Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus

sábado, 30 de abril de 2011

Hipótese 1:

Eu tenho um excelente produto. Um produto cobiçado por outros. Espero pacientemente que os outros se dirijam a mim com propostas. Os outros são muito mais ricos mas têm que vir até mim. Comer na minha mão. O produto é meu, estou na minha casa. A vantagem negocial é minha. Encareço o produto.

Hipótese 2:

Eu tenho um excelente produto. Um produto cobiçado por outros. Desloco-me a casa dos outros para escutar as suas propostas. Os outros são muito mais ricos e eu vou até eles. Comer-lhes à mão. O produto é meu, mas não estou em casa. A vantagem negocial é deles. Empobreço o produto.


Não é preciso ter um curso superior em Economia/Gestão/Contabilidade ou outra coisa qualquer relacionada com dinheiro para perceber qual é a melhor hipótese. Isto e tão básico que faz parte do b-a-bá de qualquer negócio. Então será o presidente do Benfica burro e com pouco habilidade negocial? Não, longe disso, ninguém amealha uma fortuna pessoal tão grande com burrice e falta de jeito para os negócios.

A questão é que o Benfica não respira a saúde financeira que nos tentam impingir, o Benfica precisa desesperadamente de vender com regularidade para ter liquidez. Precisa de dinheiro a pronto, em caixa. A banca sabe disso e, de uma forma muito inteligente, faz com que os outros clubes também saibam. E assim é fácil perceber o porquê de as cláusulas não serem batidas, o porquê de jovens jogadores serem envolvidos nos negócios quando precisamos de alternativas para o imediato e não para o futuro, o porquê de sermos presa fácil de empresários sem escrúpulos (tipo Kia). O porquê de uma equipa campeã que maravilhou a Europa ir ser desmantelada em dois anos.

Porque, com a corda ao pescoço, somos sempre a parte mais fraca em qualquer negociação. No mundo dos que negoceiam com milhões e milhões de euros, o desespero cheira-se à distância. O rotundo falhanço na Champions e as bilheteiras fraquíssimas desta época vieram agudizar ainda mais a situação. Basta analisar os contornos da saída do David Luiz, a forma como foi vergonhosamente empurrado para fora do clube no Verão passado (espero que um dia ele conta a história toda), e como voltaram à carga em Dezembro e lá conseguiram os seus intentos. Basta dar uma vista de olhos nos relatórios e contas para perceber a dimensão do problema. Só não vê quem não percebe nada disto ou quem não quer. Os primeiros têm desculpa, os outros não.

11 comentários:

Anónimo disse...

Estranho seria ter feito o investimento que se fez nos ultimos 3 anos, ter adquirido jogadores como, Aimar, Saviola, Javi Garcia, Gaitan, Jara, etc...
e não ter que vender jogadores para pagar o investimento, isso sim seria muito estranho.

Anónimo disse...

e quem fala assim não é gago!

Querem comprar o melhor DE do mundo actual? Venham cá e depois fala-se

LFV vai-te embora, o SL Benfica é para os Benfiquistas

águia_livre disse...

Caro amigo Eter

O Benfica em comunicado já desmentiu que Luis Filipe Vieira tivesse estado em Madrid a negociar o Fábio Coentrão.
ABola MENTIU, deu uma pseudo noticia que é completamente FALSA.
Escrevi sobre o assunto aqui: http://obelovoardaaguia.blogspot.com/
que é como sabes o meu cantinho

Cumprimentos e um grande abraço

Carlos disse...

O modelo de gestão desta direcção levou-nos ao papel de entreposto de jogadores, com um título de campeão de quando em quando. Mas 90% por cento dos sócios gostam disto, não há nada a fazer.

Cumprimentos.

Éter disse...

Caro águia_livre, eu sei disso. Escrevi o post propositadamente depois de ter saído esse desmentido, que infelizmente vale tanto como os desmentidos do David Luiz, do Ramires, etc.

Um abraço

Anónimo disse...

a senhores que se diz que do benfica mas so falam mal este e que devia de ir para rua o benfica nao presica deste senhores camada de burros

Éter disse...

Estou a ver que tens um acordo ortográfico só teu. Isso sim, é prestígio.

FCdaFruta disse...

Posso estar enganado, mas não acredito nem 1 pouco nessa notícia... Penso que por ele estar em Madrid, a comunicação social mandou mais 1 noticia enganosa...

Cabe na cabeça de alguém ele ir para madrid para vender 1 jogador que é cobiçado por muitos clubes? Ainda por cima não batem a cláusula e ele não se mostra com pressa para sair...

Logo acho que tem pouco fundamento essa notícia...

Éter disse...

"Cabe na cabeça de alguém ele ir para madrid para vender 1 jogador que é cobiçado por muitos clubes?"

É a hipótese 2 do post. No ano passado já esteve em Madrid a negociar o Di María e este ano em Londres a negociar o David Luiz. Isso é público.

Manuel disse...

"Não é preciso ter um curso superior em Economia/Gestão/Contabilidade ou outra coisa qualquer relacionada com dinheiro para perceber qual é a melhor hipótese. Isto e tão básico que faz parte do b-a-bá de qualquer negócio."

Isso é o tipo de lógica empresarial de há 30 ou 40 anos. Isso é lógica à lá "comércio de rua". Actualmente os negócios já não se fazem assim. As pessoas podem ou não deslocar-se, isso não significa absolutamente nada.
Quem fala assim é não conhece o b-a-bá da lógica de negociação.

Pelo contrário, uma pessoa que se desloca mostra iniciativa, dinâmica e uma boa dose de empreendorismo que é sempre de enaltecer e que não tem nada a ver com colocar-se numa posição de subalternidade.

Quando se é pouco dinâmico, ou se tem complexos de inferioridade, ou défice de conhecimentos de línguas, enviam-se negociadores, ou empresários em seu nome, negociar. Como faz o Peidolas da Costa, "à lá Saloio". Que nem línguas sabe falar.

Falam sem saber. Mas com vontade de dizer mal.

Mentiroso disse...

Este Manuel é um optimista de meter inveja ao Sócrates. Nesta linha de pensamento ainda vamos aplaudir os negócios com as aquisições do Alípio, do Rodrigo e do Fernandez. Quanto às vendas, ficámos sem Di Maria, Ramires e David Luiz, mas que importa isso? E o desvio de Falcao, Álvaro Pereira e James Rodriguez para o clube do Porto? E os negócios com o A. Madrid?

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.