Benfica à moda de Shakespeare

quarta-feira, 30 de Novembro de 2011

Artur: As águas correm mansamente onde o leito é mais profundo.

Eduardo: É lícito aspirar ao que não se pode alcançar.

Mika: Quem cedo e bem aprende, tarde ou nunca esquece.

Maxi: Homens de poucas palavras são os melhores homens.

Luisão: Ser grande, é abraçar uma grande causa.

Garay: Pois a coragem cresce com a ocasião.

Jardel: Do que tenho medo é do teu medo.

Miguel Vítor: Algumas quedas servem para que nos levantemos mais felizes.

Emerson: A necessidade faz-nos habituar a estranhos companheiros de leito.

Capdevila: Melhor assim: saber que é desprezado do que sê-lo sob a capa da lisonja.

Luís Martins: A juventude, embora ninguém a combata, acha em si própria o inimigo para combater.

Javi: As águias deixam que os passarinhos cantem, sem nenhuma preocupação com o seu trinado alegre, certas de que com a sombra das suas asas poderão reduzi-los ao silêncio.

Matic: O passado e o futuro parecem-nos sempre melhores; o presente, sempre pior.

Rúben Amorim: Aceita o conselho dos outros, mas nunca desistas da tua própria opinião.

Witsel: Uma coisa bela persuade por si mesma, sem necessidade de um orador.

Rúben Pinto: Ninguém poderá jamais aperfeiçoar-se, se não tiver o mundo como mestre. A experiência adquire-se na prática.

David Simão: Ser ou não ser: eis a questão.

Aimar: Conservar algo que possa recordar-te seria admitir que eu pudesse esquecer-te.

Enzo Pérez: Chorar sobre as desgraças passadas é a maneira mais segura de atrair outras.

Gaitán: O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação.

Bruno César: Mal usada, mesmo a mais dura faca perde o fio.

Nolito:
Para o trabalho que gostamos levantamo-nos cedo e fazêmo-lo com alegria.

Cardozo: Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos.

Rodrigo: O talento revela-se exactamente porque esconde a sua perfeição.

Saviola: Se os homens fossem constantes seriam perfeitos.

Nelson Oliveira: Sabemos o que somos, mas não sabemos o que poderemos ser.

Rodrigo Mora: A adversidade põe à prova os espíritos.

O Natal está aí à porta e não há dinheiro para prendas

"Há salários em atraso em todas as modalidades desde o início da temporada..." A revelação foi feita ao DN por atletas profissionais dos azuis e brancos - que não se quiseram identificar - ao serviço das ditas modalidades amadoras, que explicaram detalhadamente o facto de no andebol, basquetebol e hóquei em patins, todas modalidades em que os dragões são campeões nacionais, haver "quem não tenha recebido um tostão desde que a época começou".

Cá está um pequeno vislumbre daquilo que eu já tinha escrito. Agora é juntar as "notícias" dos últimos dias que tentam inflacionar o valor do Hulk.

Um passo à frente

Somos o único clube em Portugal que está a participar já este ano numa experiência piloto com a UEFA, em que querermos aplicar a nós próprios aquilo que são os mecanismos do Finantial Fair Play, para depois anteciparmos em um ano o que serão as exigências da UEFA, a partir de 2012/13, by Domingos Soares Oliveira.

Excelente medida de gestão.

Pacificação?!

terça-feira, 29 de Novembro de 2011

Deixem ver se percebi a ideia. O Sporting afirma hoje que só quer contribuir para a pacificação. Hmmm...

Sábado, dia 26 - um dirigente do Sporting afirma aos quatro ventos que o Benfica recebeu os adeptos verdes de forma pré-histórica, colocando duas pessoas por cadeira. Curiosamente, são várias as fotografias em que se percebe que há imensos lugares vazios. Parece, pois, que estiveram de cadeirinha por vontade própria ... e gostaram.

Enquanto esse dirigente dizia o que dizia, os adeptos incendiavam um sector da bancada onde assistiram ao jogo. Pouco tempo depois, os mesmos tristes agrediam bombeiros que tentavam apagar o fogo.

Segunda-feira, dia 28 - o presidente do Sporting afirma que Luís Filipe Vieira esteve envolvido em "incidentes graves, à porta dos balneários, incidentes graves, balneários", tudo documentado em gravações. Afinal, parece tudo não passou de uma troca de insultos, coisa a que os nobres e betinhos daquele clube não estão habituados. Palitar os dentes em directo na tv ainda passa; mas agora insultos?? Credo! Bolas! Cocó pra ti também!

Portanto, confere... Sporting, um clube pela pacificação.

Para descontrair

Nada melhor do que rir um pouco com um comunicado ridículo e doentio que, trocado por miúdos, serve apenas para o seu autor anunciar, com grande pompa e toque de fanfarra, que:

A luta pela verdade desportiva, em Portugal, é verde e branca.

Duas faces da mesma moeda

Não deixa de ser curioso que, precisamente no mesmo dia, o Sindicato dos Jornalistas e o Sindicato Nacional de Bombeiros Profissionais emitam comunicados a repudiar agressões de que alguns dos seus membros foram alvo. No caso do foculporto, o espancamento de jornalistas que não digam constantemente que o foculporto é a melhor equipa do planeta já é prática corrente daquela entidade. Já em relação ao zbordin, penso que haverá poucas coisas mais vis e rasteiras do que dar porrada em bombeiros que tentam apagar um incêndio.

A relação está óptima e recomenda-se

segunda-feira, 28 de Novembro de 2011

Não me agrada nada que o presidente equacione rever a posição do Benfica na relação com o zbordin. Eu gosto bastante da presente relação. Uma relação de domínio e superioridade a todos os níveis, excepto, claro, no chinquilho, na cabra-cega e noutras actividades de massas deste género.

E também não quero ver o Benfica iniciar uma relação com o zbordin do género da do foculporto com o mesmo zbordin. Ruis Jorges, Binos, Cleytons, Costinhas, Peixes, Ricardos Fernandes, Postigas, Edmilsons, Andrés Coelhos, Moutinhos, etc, etc, etc, todos trocados muito amigavelmente entre os clubes e acompanhados de ramos de flores e cartões de amor; jantarinhos de confraternização entre os respectivos presidentes para se discutir a melhor forma de acabar com o Benfica; o zbordin caladinho com as arbitragens quando é roubado nos jogos contra o foculporto; o zbordin a aceitar humildemente os segundos lugares de acesso aos milhões da Champions. Não quero isto. Não quero ser amiguinho do zbordin; não quero pagar-lhes jantares; quero ir lá buscar jogadores, caso sejam bons, à força; quero ganhar-lhes com eles a darem o máximo no relvado e a espumarem da boca quando os jogos acabam.

No fundo, não quero convidá-los para virem a minha casa e vê-los abrirem a pernoca docilmente na ânsia de o acto produzir um rebento que sele para sempre tão bonita união, que é o que o foculporto lhes faz, mantendo-os na ilusão de algo que nunca irão ter. Quero entrar-lhes sem medo pela jaula adentro, dar-lhes duas ou três chicotadas no lombo e mostrar-lhes quem manda, que é, na prática, aquilo que o Benfica tem feito nos últimos tempos. E muito bem, porque não merecem mais do que isto.

As epidemias alastram-se?

Já todos sabemos que há granel com as assistências do foculporto. O número de espectadores é inventado, não sabemos se por muito ou por pouco, mas o que é facto é que é inventado, dada a terminação estar sempre concordante com o número do marcador do golo da primeira parte (este fds contra o Braga foram 38.5 e Hulk)

Nada disto é inédito para os leitores, nada disto causa estranheza. Todavia, desde que fomos lá jogar (jornada 6, onde a assistência foi de 49.5 e Kleber), pelos vistos apanhámos o vírus.

Incubou com o Paços de Ferreira, onde a contagem foi normal, mas contra o Olhanense tivemos 35.3 e Rodrigo e contra o Zbording tivemos 63.14 e Javi. Coincidência? Espero que sim, mas vou estar atento.

Se no foculporto não querem saber disto, estou-me borrifando. Agora em nossa casa queremos os dados certos, quer estejam 30000 quer estejam 60000. As homenagens fazemos nós no final do encontro e no final da época, não precisamos nem queremos manipulação da contagem.

Não tinha já acontecido a adopção temporária de uma forma infantil de fechar a celebração de um golo pelo speaker? Também tinha sido uma virose?

Fim-de-semana de novidades do Marketing

O novo site ganhou vida, com qualidade a anos-luz do que tivemos (lamentavelmente sem possibilidade de melhorar, por ter estado entregue à Sportinveste) até este momento. Um site segmentado de forma clara, muito mais intuitivo, com mais e melhor apelo aos sócios e adeptos, que trará benefícios ao clube e à Direcção Comercial e de Marketing, que está de parabéns.

Foram também visíveis medidas interessantes para dinamizar o consumo de produtos e eventos do clube, numa fase de bons resultados positivos, de onde se destaca a iniciativa da troika com relevância alargada a vários produtos do clube e não só à componente futebol.

O facebook mantém-se hiperactivo, com o lançamento do Fantasy Manager (os sócios receberam o link a avisar pelo senhor Elias, todos menos o Ricardo, estou certo...). O Benfica no Google + também já dá os primeiros passos...

O clube mantém-se activo e no caminho adequado nesta componente. Há coisas a melhorar ainda, mas o trabalho que está a ser feito quase sem orçamento pela Direcção liderada por Miguel Bento mostra uma vitalidade que devia gerar inveja a outros clubes e a muitas empresas.

Sodomia segura

domingo, 27 de Novembro de 2011

Queremos 40 mil bilhetes para Alvalade, pagamos adiantado e não devolveremos nenhum.

A frase é soberba. Mas João Gabriel deveria tê-la proferido enquanto segurava um preservativo do Benfica na mão, de preferência aquele que anuncia "Esta vai ser à Benfica". Fazia publicidade ao novo produto e protegia-se. Sabe-se lá as doenças que se podem apanhar quando se enrabam lagartos desta forma.

Passe a publicidade



Excelente!

Ah, o Mesozóico... Bons tempos!


Paulo Pereira Cristóvão denunciou as condições pré-históricas da bancada reservada aos seus estimados consócios. O clima pré-histórico foi de tal forma acentuado que os adeptos do zbordin resolveram replicar o momento em que o primeiro homem fez fogo enquanto se emocionavam recordando os tempos em que uns lagartos muito grandes dominavam a terra.

Os lamentos do adversário

A caixa de segurança
Os bilhetes
A entrada tardia dos adeptos
A lesão do Matias
A ineficácia
O penalty (???)
O Capela (???)
O Carriço
As bolas paradas
A diferença de altura dos jogadores
O Artur
O Javi Garcia
A moral do SLB resultante da visita ao Man Utd
O Miguel Prates e o Luis Freitas Lobo (???)

Anything else?

Gosto de os ver dizer que celebrámos como se tivessemos ganho a Champions. Efectivamente raras vezes (1 vez por ano) vêem os adeptos do Benfica a celebrar uma vitória para o campeonato e portanto estranham.

Aos adversários que nos visitam: Não tenham dúvidas, convosco ou com o Gil Vicente, a vitória é celebrada da mesma forma, sempre com entusiasmo. Quando em inferioridade numérica, encarregamo-nos de dar força aos nossos bravos jogadores para superarem as dificuldades. Isto é o Sport Lisboa e Benfica, isto é uma das nossas maiores forças. Não estranhem. Conheçam, aprendam e respeitem.

Venha o próximo!

Assim não deu

sábado, 26 de Novembro de 2011

Na segunda volta do campeonato podem tentar jogar contra nove, porque já se viu que contra onze e dez não vão lá.

Leonor, menos...

O Benfica já jogou fora de casa com os rivais FC Porto e Braga e trouxe um ponto de cada uma dessas visitas de alto risco. Vencer o adversário de hoje, o rival que faltava nesta primeira volta, seria interessante.

A repetição vezes sem conta de uma parva mentira torna-a, invariavelmente, numa verdade aceite por todos. Não compreendo nem sequer aceito que se queira transformar um clube como o Braga num rival do Benfica. Não tem o menor sentido, não tem ponta por onde se lhe pegue, é uma ideia profundamente idiota e até ultrajante para o historial do Benfica. Que seja um indivíduo adepto do Braga a dizer uma coisa destas, ainda se entende. Agora ver a Leonor Pinhão entrar nesta onda custa a compreender.

Zbordin, do trauma à insanidade

sexta-feira, 25 de Novembro de 2011

Avô, os outros meninos não gostam de mim. Dá-me um clube. É bom deixar desde já bem claro que algo que nasce assim não pode ser boa rês.

Ora bem, vamos a factos. Pouco depois de parido, já o pequenito zbordin tinha a sua primeira ejaculação precoce, vendo oito jogadores do Sport Lisboa (que após este episódio iria dar origem ao Sport Lisboa e Benfica) juntarem-se às suas fileiras em busca de melhores condições para treinar. Ficou portanto bem vincada desde muito cedo a essência dos dois clubes: um humilde, trabalhador e que tinha amor ao que fazia e outro que basicamente aliciava jogadores alheios com banhos quentes e massagens aos pés (reza a história que no Sport Lisboa nem água quente havia e os jogadores tinham que trocar de roupa a céu aberto, muitas vezes à chuva).

Veio então o primeiro derby contra o Sport Lisboa. O zbordin marcou primeiro, o Sport Lisboa empatou já na segunda parte e escassos minutos após este golo os jogadores do zbordin saíram a correr do relvado porque... estava a chover. Vou repetir: porque estava a chover (e aqui se explica a debandada quase geral dos jogadores do Sport Lisboa para o zbordin de que falei atrás, os meninos não se podiam molhar porque dava cabo do penteado e estragava o bigode. No Sport Lisboa ficaram os rijos). Mas continuemos... O árbitro, já na altura um mauzão para os pobres jogadores do zbordin, obrigou-os a regressarem ao relvado. Mãos a proteger o cabelo, histéricos, eu imagino a cara de estupefacção dos jogadores do Sport Lisboa a olharem para aquele bando de idiotas (e aqui convido-vos a imaginar estarem com um grupo de amigos a jogar futebol, de repente começar a chover e verem a malta da outra equipa a correr para trás e para a frente aos gritos "Ai, que está a chover! Vamos falecer!"). Então, face a isto, e atente-se ao carácter nobre e altruísta do nosso Pai, o que faz Cosme Damião? Sabem? Imaginam o que fez Cosme Damião? Marcou um golo na própria baliza para deixar o zbordin ganhar e os seus jogadores irem a correr para a banhoca quente entre orgasmos múltiplos provocados pela vitória e primeiros sintomas de pneumonia por causa da chuva . Que senhor! Não sei se foi isto que deu origem a um trauma que já dura há mais de 100 anos, mas não deve andar longe.

E, com o passar do tempo, o trauma virou obsessão. Quiseram desviar o Eusébio (embora continuem a negar e a inverter a história mesmo depois do próprio Eusébio a ter contado vezes sem conta) mas felizmente nessa altura já havia banhinho quente no Benfica. Eusébio que depois passou anos e anos a fustigar a baliza do zbordin sem dó nem piedade... Roubaram o Pacheco e o Paulo Sousa porque estavam a construir uma grande equipa e iam ser campeões de tudo e mais alguma coisa mas acabaram a comer seis golos em casa com o Pacheco e o Paulo Sousa a assistirem na primeira fila...

E assim a obsessão degenerou em insanidade. Nestes últimos anos chegaram ao cúmulo de um presidente apresentar um jogador no relvado e começar a saltar e a cantar "SLB, SLB, etc..." (com o jogador a olhar para ele com o ar mais estúpido possível) e de serem elementos da claque a apresentar outro jogador, colocando-lhe aos ombros um cachecol com a frase "O Benfica é merda". Eu acho que isto deve ser caso único no mundo.

Acredito piamente que hoje em dia tudo no zbordin gira em torno do Benfica. Acredito que o Godinho só foi eleito porque o Domingos já ganhou ao Benfica e os treinadores dos outros candidatos ainda não. Acredito que o Carlos Freitas só foi contratado porque já comprou jogadores que ganharam ao Benfica. Acredito que o Onhinhi (não tenho a certeza de como se escreve o nome do rapaz e não me apetece ir procurar no Google, apesar de esta justificação que escrevi já me ter levado mais tempo do que se tivesse ido procurar) só foi contratado porque eles acreditam que é o gajo que melhor pode parar o Cardozo. Acredito que o Rodríguez só foi contratado porque eliminou o Benfica nas meias-finais da Liga Europa da época passada. Acredito que o Insúa só foi contratado porque participou na eliminatória em que o Liverpool eliminou o Benfica há duas épocas e, ainda por cima, cometeu um penálti escandaloso na Luz e nada foi assinalado. Acredito que o Rinaudo só foi contratado porque lhes tinha dado a palavra de que iria partir uma perna a um jogador do Benfica (correu mal, coitado). Acredito que o Elias só foi contratado porque o Benfica já esteve interessado nele. Acredito que o Capel só foi contratado porque acharam que ele conseguia fazer a cabeça em água ao Maxi. Acredito que o Wonhinhi (a mesma explicação do Onhinhi) só foi contratado porque consideraram que ele tinha capacidade para se libertar da marcação do Luisão (mas agora lixaram-se porque o Luisão não joga). Enfim, no fundo eu acredito que a equipa do zbordin é montada única e exclusivamente para vencer o Benfica. Se depois conseguirem ganhar a outras equipas, tanto melhor. A época resume-se e esgota-se em dois singelos jogos e se houver um terceiro (como pode acontecer na Taça de Portugal, por exemplo) eles já ficam completamente desorientados. "O quê?! Três jogos?! Mas isto foi estudado para dois jogos... E agora?! E agora?!" (um pouco como a cena de histerismo na chuva de 1907).

E noto bastante esta fixação no Benfica nos meus colegas. Nas duas semanas que antecedem os dois derbys do campeonato entram numa esquizofrenia que me aflige. Num dia estão eufóricos com conversas triunfantes de vitória mas no dia imediatamente a seguir já estão arrasados e deprimidos com a perspectiva da derrota. A sério que enerva assistir a isto. E cagam muito. Cagam imenso nesses dias. Gajos que normalmente cagam uma vez durante a tarde, ou até nem cagam, nessa semana cagam três e quatro vezes ao dia. É uma roda-viva para a casa de banho que não se pode trabalhar sossegado. Se algum dia algum médico se der ao trabalho de analisar este fenómeno vai chegar seguramente à mesma conclusão do que eu: há um "síndrome do cólon zbordinguista irritável em semana de jogo contra o Benfica". Investiguem isto, por favor. É um caso de saúde pública.

E é por tudo isto que eu encaro sempre os jogos contra o zbordin com alguma apreensão, chegando ao ponto de já ter estado várias épocas sem ir ver o derby à Luz porque, de alguma forma que agora não me lembro, me convenci de que a minha presença no estádio dava azar ao Benfica. A loucura em que o zbordin vive permanentemente contagiou-me, decerto.

Portanto, muito cuidado amanhã e nada de euforias púberes e parvas. Uma instituição que trabalha 363 dias por ano para estar na plenitude da sua pujança em apenas outros dois não pode ser menosprezada. É um erro crasso não ter isto em conta.

Este tipo de informação nunca é de mais

Locais de recolha de sangue nos próximos dias:

Odemira - dia 26 de Novembro, a partir das 9 horas, na delegação da Cruz Vermelha, em Colos;
Coimbra – dia 26 de Novembro, a partir das 9 horas, no Centro de Histocompatibilidade da região Centro na Praceta Professor Mota Pinto, ed. São Jerónimo, Piso 4;
Peniche – dia 1 de Dezembro, a partir das 9 horas, na sede da Casa do Benfica;
Pombal - dia 7 de Dezembro, das 9 às 20 horas, na sede da Casa do Benfica;
Aveiro – dia 10 de Dezembro, das 9 horas às 13 horas, no Mercado Municipal de Santiago.

Quem ainda não participou e reside nalguma destas localidades, ou relativamente próximo, não tem desculpa para continuar indiferente.

O mérito aqui vale muito pouco

quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

Gosto de pensar no futebol como um jogo em que as equipas candidatas aos lugares cimeiros mas que não jogam um caracol vêem isso reflectido na classificação do respectivo campeonato. Podem ser bafejadas pela sorte em jogos pontuais mas no longo prazo acabam sempre por ser punidas. Vou apoiar-me no exemplo do campeonato inglês, que é talvez o mais justo na relação entre mérito dentro do campo e pontuação.

Em Inglaterra há três casos bem elucidativos: o Liverpool, uma equipa tremendamente inconstante que não consegue vencer mais de dois jogos consecutivos; o Arsenal, que agora está bem mas teve um início de campeonato horrendo; o Chelsea, que até começou bem mas que agora está a decair a olhos vistos. E o que lhes aconteceu? Estão todas a 12 pontos do primeiro lugar.

E agora olho resignado para a classificação do campeonato português e vejo o foculporto, que não anda a jogar a ponta de corno há muito tempo, lá na frente com o Benfica. É verdade que o Benfica teve aí alguns jogos muito pouco conseguidos mas nunca, e friso o "nunca", atingiu patamares exibicionais tão confrangedores como o foculporto.

E agora pergunto: alguma vez será possível ver o foculporto jogar miseravelmente mal e estar a vários pontos do primeiro lugar ao fim de dez jornadas? Não. E o Benfica? Sim, e nem precisa de estar a jogar miseravelmente mal. E é isto o campeonato português.

Por mim podes meter o respeito na peida

Estou a torcer pelo Sporting, mas algo dividido, até porque tenho o máximo respeito pelo Benfica como instituição e pelos amigos que deixei lá.

Já se sabe que durante hoje, amanhã e Sábado vão ser ouvidas 1001 pessoas em relação à sua preferência no derby. Começámos pela mais imbecil possível, de seu nome Vanderlei. Provavelmente a criatura mais execrável que já jogou no Benfica.

Para manter esta linha

Esteve muito bem o presidente Vieira ao lançar um comunicado a elogiar o fantástico e inexcedível apoio que os jogadores tiveram nas bancadas de Old Trafford. No princípio da época prometeu que iria falar menos e está a cumprir. Tem falado pouco e bem. O meu elogio também para ele neste aspecto.

Inspirado por um estagiário qualquer

quarta-feira, 23 de Novembro de 2011

O Sporting está de regresso ao Inferno da Luz. Desde o tempo da velha senhora, os verdes, que não encontram qualquer razão para existir que não seja o Derby, subiram ao palco 77 vezes e dele saíram derrotados em 52.

Depois de um demasiado longo período de afastamento das luzes dos grandes jogos do futebol nacional o Sporting, em 2000 e 2002, conseguiu, com notável escândalo, ganhar os seus últimos 2 campeonatos nacionais – faz agora 10 anos; a história mais recente acentua este desequilíbrio entre os 2 lados. Nos últimos 7 confrontos, 5 vitórias encarnadas e 2 empates. 

A maior curiosidade está em saber como será neste Sábado onde o Sporting chega inchadinho, inchadinho, mas mesmo inchadinho de soberba, inchadinho de esperança. Nada se decide neste derby, e até pode muito bem acontecer que, independentemente do resultado do jogo de hoje, se qualifiquem as duas equipas para a Liga dos Campeões (nota de redacção: é que o Porto está uma bela merda), mas já se sabe, para o Sporting joga-se metade da época.

Onde o Sporting nunca ganhou

A verdade é que o Sporting nunca ganhou neste palco imenso que faz parte da história do futebol, desde que foi instalada a zona de conforto nas bancadas da Luz (e o tempo que já passou entretanto, ui, ui). Nem no consulado do «velho» Campeonato de Portugal, nem no reinado da novinha «Caneca da Liga». Será, então, uma missão impossível, aquela que, ao início da noite de Sábado, que promete, aliás, ser fria e chuvosa, terá pela frente o Sporting de Domingos?

Aqui, na grande mancha urbana que ganhou espaço para mais de 1,5 milhões de habitantes, divididos entre o Benfica e o Atlético (que grande campeonato estão os 2 a fazer), ninguém acredita que este Domingos seja capaz de mudar a história.

Resta, apesar de tudo, a esperança de uns míseros três mil sportinguistas, que mal se deverão ouvir na imensidade do Estádio da Luz (até porque a rede de segurança foi comprada com mute incluído, como todos sabem), para acreditar no milagre de Domingos. E resta a natural fé de jogadores e técnicos que sabem bem - ou deviam saber - que têm muito mais a ganhar do que a perder em mais um jogo na Luz, do qual saem quase invariavelmente derrotados.

O derby está quase aí, mas nunca mais é Sábado...

PS: Serpa, devias ter vergonha na cara e nunca mais aparecer perto do Estádio da Luz. Era fazer como D. Maria fez ao Marquês - pelo menos 20 léguas de distância. E leva o Salema contigo, pá.

People Are Strange

"Renove com um, assine com mais cinco".

Andei eu tanto tempo a dizer mal de Paco Casal e afinal o bom homem só quer o bem do Benfica, tal como mostra a forma completamente desinteressada como ele nos oferece cinco juniores do seu leque de representados, apenas e só por fazermos o favor de lhe pagar os 30% do passe do Maxi.

Mas o altruísmo de Paco Casal não se esgota aqui, não senhor. Paco Casal vai mais longe ao colocar Jim Morrison em Lisboa. Já estou a ver as copiosas filas de fãs transferidas do Père-Lachaise para a Luz. A estátua do Eusébio que se prepare para perder protagonismo.




P.S. O Ricardo do "Ontem Vi-te no Estádio da Luz" que me desculpe. Eu sei que colocar uma música no final de cada post é trademark dele, mas desta vez teve mesmo que ser. São os Doors, pá!

Somos um clube que não gosta de facilidades

Taça de Portugal: Sporting, Marítimo, Belenenses, Tirsense, Nacional, Desp. Aves, Ribeira Brava, Mirandela, Oliveirense, Moreirense, Torreense, Leixões, Académica, Estoril e Olhanense.

Ena, tanto adversário possível! O mais difícil é claramente o zbordin e depois o Marítimo.

Olha, calhou o Marítimo, que giro.


Taça da Liga, Pote 2: Guimarães, Nacional, Paços e Rio Ave.

A equipa mais complicada é capaz de ser o Guimarães. Olha, calhou o Guimarães, que giro.


Taça da Liga, Pote 3: Marítimo, Gil Vicente, Setúbal e Portimonense.

O Marítimo é nitidamente o mais forte. Olha, calhou o Marítimo, que giro.


Com esta apetência que os sorteios têm em nos colocar contra os mais fortes, estou mesmo a ver acabarmos em primeiro no grupo da Champions e levarmos com o Real, também ele primeiro no seu grupo, nos oitavos. Parece que os regulamentos dizem que isso é impossível, mas eu em sorteios onde o Benfica esteja metido ao barulho já acredito em tudo.

O próximo a vir com a treta do "clube do regime" leva um estalo

Mas o que é esta merda?!?! Isto está bonito, está...

Man Utd 2 - 2 BENFICA

terça-feira, 22 de Novembro de 2011

E que bom é ouvir SLB GLORIOSO SLB no palco dos sonhos, sair de lá de cabeça erguida e com o sentimento de que, com mais uma pontinha de sorte, podíamos ter festejado a vitória.

Foi um grande jogo por parte do Benfica, de grande pressão durante largos minutos da primeira parte, a forçar o erro do adversário.

Notou-se maturidade e certamente encheu todos os benfiquistas de grande orgulho e esperança no resto da época.

Os meus parabéns ao Jorge Jesus, que esteve muito bem tacticamente.


Artur Moraes - começo a não ter palavras para qualificar este senhor. Que grande exibição. Salvou vários lances claros de golo. Foi Rei em terras de Sua Majestade... (Já ouvi isto algures...)

Maxi Pereira - começo a achar que perdeu alguma inteligência a jogar. Erra cruzamentos por forçar o passe para a área quando não tem linha. Fez faltas desnecessárias a permitir livres perigosos na lateral.

Luisão - estava a fazer um grande jogo, até se lesionar. Não o culpo pelo primeiro golo dos Devils pelo simples facto de Berbatov estar fora-de-jogo. Espero que jogue contra o Zbordin.

Garay - cortes cruciais e uma grande sobriedade em campo. Ele e Luisão fazem uma grande dupla.

Emerson - é curto para o Benfica. Falha passes e perde bolas infantilmente. Compensa por vezes a defender. Arrepiei-me quando fez um carrinho dentro da área quando o jogo estava 2-2.

Javi Garcia - boa pressão a meio-campo. Deixou Fletcher sozinho para marcar o segundo do United.

Witsel - certamente dos melhores jogos desde que enverga o manto sagrado. Foi um jogo feito de pequenos grandes pormenores. Durou 90 minutos, sempre em alta rotação.

Gaitan - é para mim um mistério. Faz duas ou três jogadas de dar nas vistas e começam as asneiras. Fintas arriscadas, bolas perdidas e desinspiração. Provocou o auto-golo.

Bruno César - grande jogo do brasileiro. Tentou o golo na primeira parte e esteve na jogada do segundo.

Aimar - durou quase 90 minutos, em grande ritmo. Segura a bola como poucos e faz a equipa jogar. Marcou um merecido golo, após 7 anos de jejum na champions.

Rodrigo - foi um jogo esforçado, com pormenores muito interessantes para um miúdo de 19 anos. Perto dos 90, arrancou para o golo mas atirou ao lado. Era chave de ouro.

Miguel Vitor - apesar de entrar praticamente a frio, teve estofo para cumprir a tarefa.

Matic - foi importante para segurar o ímpeto atacante do United, pressionando alto e forçando o erro. Gostei.

Amorim - entrou para o lugar do Aimar e pouco tocou na bola.

Não é para todos

Old Trafford em silêncio a ouvir os cânticos dos nossos adeptos durante trinta minutos.

Arrepiante.

Um bom benfiquista é um benfiquista preparado para tudo, mesmo tudo

Achei as frases dos preservativos do Benfica muito fraquinhas. Também já li outras sugestões por aí mas continuou a parecer-me que faltava qualquer coisa. O Benfica deveria ir ainda mais além do expectável e comercializar um mega-pack com preservativos para todo o tipo de ocasiões possíveis e imaginárias.


Anima-te, nem o Preud'homme conseguiu estar tanto tempo sem encaixar um. Para uma noite romântica com uma tímida e receosa virgem.

Aos 69' volto a mexer na táctica. Para quem gosta de experimentar várias posições.

Calma, antes vou regar o terreno. Para entusiastas de sexo anal.

Podes começar a aquecer. Para uma rapidinha.

Que foi? O Aimar também é meia-leca mas é quem põe aquilo tudo a mexer. Para quem é curto de membro.

Hoje só vou bombear bolas para as costas da defesa. Para uma jornada de doggy style.

O Michael Thomas jogou no Benfica. Para quem é preguiçoso e gosta que seja a parceira a fazer tudo.

Não me leves a mal, mas fazes-me lembrar o Rui Costa. Para aquele amor que julgavam perdido mas que passados muitos anos conseguiram recuperar.

És o meu campeonato.
Para a vossa mais-que-tudo.

És a minha Taça de Portugal. Para uma gaja com quem já não estão há muito tempo.

És a minha Taça da Liga. Para aquela gaja fácil de sacar.

És a minha Champions. Para uma gaja que não sabem quem é e ainda estão à espera que apareça.

Depois tens que dizer que eu só dei conselhos matrimoniais. Para quando uma amiga portista vem desabafar problemas com o marido mas afinal quer algo mais que desabafar.

No fundo sempre quiseste jogar aqui, não foi?
Para quando uma amiga sportinguista vem desabafar problemas com o marido mas afinal quer algo mais que desabafar.

Para receberes depois passas na torre das Antas e pedes para falar com a Manuela Cunha. Para quando forem às putas.

Aviso já que o Simão também falhava penáltis. Era raro, mas falhava. Para quando chegarem a casa irritados e cansados do trabalho mas ainda assim têm que cumprir com os deveres do matrimónio.

Jogo, mas sob protesto. Para quando têm que estar com a directora feiosa para ganhar a promoção.

Comigo não há amigáveis. Se forem um gajo que não pratica sexo sem estar primeiro numa relação séria.

Hoje vais para o banco. Para uma no banco de trás do carro.

Vamos trocar os extremos. Para um swing com um casal amigo.

Já ouviste falar no Trap? Para quando estão sem grande inspiração mas querem garantir um bom desfecho.

Olá, sou o Paulo Sousa. Caso pratiquem sexo a troco de dinheiro.

Bem, o Andrés Díaz também veio com o Di María... Para quando têm que papar a gaja feia para chegarem à amiga boazona.

Desculpa, mas vou imitar o Nelo a cruzar. Para quando a parceira é parecida com a Odete Santos e não querem olhar-lhe para a tromba.

Quero ver se depois desta me voltas a chamar Nuno Gomes. Para a segunda vez, depois de um falhanço estrondoso na primeira.

Se estou mesmo interessado em ti? Tenho que te observar melhor. Para as férias de Verão.

Acabaram-se as experiências, assinas hoje. Para o último dia das férias de Verão.

Não, foram só rumores. A outra opção para o último dia das férias de Verão.

Isto hoje é tudo ao molho e fé em Deus. Para quando se vai para uma orgia.

Viste o Eusébio jogar? Caso gostem de mulheres mais experientes.

Viste o Félix Bermudes jogar? Caso gostem de mulheres ainda mais experientes.

O onze da minha vida: Bossio, Dudic, Sérgio Nunes, Ronaldo, Rojas, Ednilson, Chano, Uribe, Kandaurov, Carlitos e Toy. Para aquela malta que, durante o acto, gosta de trespassar mamilos com pionés e outras coisas que devem doer.

Não te preocupes, sou mestre da finta curta como o Paneira. Para sexo em espaços exíguos.

Hoje, mas só hoje, podes chamar-me Nepomuceno*. Para sexo mais agressivo.

Tu aí, prepara-te para entrar. Para um threesome.

Em relvados empapados o melhor é bico lá para a frente. Para aqueles dias chatos do calendário feminino.

31 de Maio de 1961, vês como não esqueço datas importantes? Para aquelas datas tipo aniversário de namoro, casamento, etc, de que elas tanto gostam.

Não preciso de ser armado cavaleiro pela rainha de Inglaterra para te montar, pois não? Para hoje à noite, depois da vitória em Old Trafford (mas se não ganharmos fica bem na mesma).


* De todos os nomes próprios e apelidos de jogadores que já passaram pelo Benfica, Nepomuceno é, de longe, o meu preferido. Tem algo de misterioso, de aventureiro, quase místico. Parece um nome de uma qualquer personagem saída de "As minas de Salomão" misturado com "Corto Maltese" e com um cheirinho de "Sandokan". E ainda por cima foi grande jogador, o nosso Nepomuceno.

Estes africanos são loucos

Uma equipa do Lesoto vai ter um jogo complicado numa deslocação ao Botswana e o seu treinador decide afirmar que o campeonato botsuano é inferior aos campeonatos do Malawi, da Namíbia e do Zimbabwe e que aquele apenas melhorou com a chegada de jogadores e treinadores de outros países. É certo que o treinador da equipa lesota tem todo o direito à sua opinião, tal como eu teria todo o direito de entrar num bar apinhado de neonazis e dizer que o Hitler foi o maior filho da puta da História, mas resta saber se escolheu o momento indicado para a dar.

Felizmente que no Benfica não se passam este tipo de coisas.

Digno de final de Champions



Peço especial atenção para os 1:12 do vídeo. Tivesse sido um Cristiano Ronaldo, um Messi, um Rooney ou um Ibrahimovic a marcá-lo e teria corrido o mundo.

Mas pelo menos o Melgarejo é nosso.

Angelino

segunda-feira, 21 de Novembro de 2011

Angelino esteve recentemente presente num encontro de antigos alunos da FEUC em Gouveia. Angelino entusiasma-se sempre nestes encontros. Angelino fala de mais. Angelino anuncia que a situação está muito má. Angelino confirma que o seu presidente entrou numa loucura para desviar Alex Sandro e Danilo do Benfica. Angelino revela que, por causa desses dois, não houve guito para um ponta-de-lança a sério, cujo negócio estava bem encaminhado. Angelino diz que para pagar Mangala e Defour teve que se fazer uma ginástica dentro das contas do clube, tirou-se de um lado para pôr noutro. Angelino não se admira que alguns jogadores não corram nem acertem um passe. Angelino aguarda ansiosamente pela reabertura do mercado de transferências para tentar pôr ordem nas finanças.

Enfunados


Normalmente encaro sempre os jogos contra o zbordin com alguma desconfiança e apreensão, e isto por pior que eles andem a jogar. Mas em relação ao jogo do próximo fim-de-semana, curiosamente, não estou nada apreensivo. O zbordin até está bastante melhor do que em outras épocas (é verdade que pior seria difícil) mas vem à Luz com o peito tão inflado e com uma cagança tal que tem tudo para dar asneira. E na criação deste clima eufórico de conquista da Champions que envolve as imediações do metro do Campo Grande eu agradeço bastante à comunicação social, com particular e óbvio destaque para o Record. Continuem, pois, que eu quero vê-los entrar no relvado da Luz mais inchados do que o Fernando Mendes.

Mais que merecido



Agora falta outro "golo" bem mais importante...


P.S. Pena que o jogo tenha sido interrompido porque um árbitro auxiliar foi agredido.

Vítor Pereira demitido

domingo, 20 de Novembro de 2011

Calma, não entrem em pânico, isto não é verdade.

Aliás, esta é uma frase que nenhum benfiquista deverá querer ouvir durante os próximos tempos (décadas, se possível). A "cadeira de sonho" está muito bem entregue.

Quando todos perdem

sábado, 19 de Novembro de 2011

O esgar crispado, a mão a coçar a face com impaciência, outra mão a passar pelo cabelo nervosamente, a preocupação evidente nos mais pequenos gestos, uma gotita de urina a assomar nas calças...

Fica a dúvida: estarei a falar de Vítor Pereira ou de Pedro Emanuel?

Mais uma gotinha

E o copo continua a encher... Espero que depois desta provocação, e de outras ao longo dos últimos tempos, no final não haja a cara de pau de renovar com a Olivedesportos.

Legado

Pensei em escrever sobre como, mesmo com as condições do terreno, gostei bastante da exibição do Rodrigo Mora mas depois de ter ouvido o Freitas Lobo dizer que "o Mora movimenta-se bem no mesmo habitat táctico do Saviola" tudo parece banal e sem graça.

Gabriel Alves tem a sucessão assegurada.

Prémio cueca molhada

sexta-feira, 18 de Novembro de 2011

Pablo Aimar, entre outras fintas, consegue fazer cuecas a adversários sobre água. Os cristãos têm Pedro, nós temos Aimar.

A vampirização das selecções

Eu queria ver se o jogo em causa fosse o do próximo fim-de-semana, e não este para a Taça com uma equipa da segunda divisão, a barulheira que não seria feita por o Gaitán não ter chegado a tempo de jogar. Mas como é a Naval a malta nem liga. Está mal... Qualquer dia ficamos sem um jogador importante num jogo igualmente importante porque o avião da América do Sul chegou atrasado.

Para mim, enquanto adepto de um clube, torna-se um bocado cansativo ver que os clubes são sempre tratados como os maus da fita no triângulo amoroso clube-jogador-selecção. Só se ouve falar de multas ou sanções para clubes que tentam impedir que um jogador vá à sua selecção mas nunca ouvi que há a hipótese de uma selecção ser castigada por não permitir que um jogador chegue a tempo aos compromissos do seu clube.

Talvez seja por este laxismo que se vive nas selecções que há cada vez mais jogadores com mais de 30 anos a anunciarem o abandono às suas selecções, apesar de ainda estarem em perfeitas condições de as representar. Não será por falta de amor ao país, como dizem alguns, é simplesmente porque não estão para aturar estágios e mais estágios, viagens e mais viagens, jogos e mais jogos. Nos anos 80 e 90 não havia nada disto, havia gajos com trinta e muitos anos a vestir a camisola do seu país até efectivamente pendurarem as botas no clube. É claro que também não havia a quantidade verdadeiramente ridícula de jogos de selecções como existe hoje em dia, mas isso é outra problema que a FIFA deveria tentar resolver. E a desculpa de que é importante haver muitos amigáveis por causa do entrosamento para mim não cola. Com excepção desta Espanha dos últimos anos, as grandes selecções que vi são aquelas velhinhas dos anos 80 e 90, da Itália, do Brasil, da Argentina, da Alemanha, da Holanda, da URSS, etc (nem falo das outras míticas de 60 e 70 porque essas só vi em vídeo). E nesses tempos praticamente não havia amigáveis.

Sempre em grande


Este homem tem tanta classe dentro das quatro linhas como fora delas. Assim de repente, não estou a ver nenhum jogador de futebol discursar tão bem para uma plateia composta maioritariamente por pessoas que nada têm a ver com futebol como Pablo Aimar.


P.S. A foto não tem grande qualidade mas foi o que se pôde arranjar.

Solidariedade

quinta-feira, 17 de Novembro de 2011

Ainda na onda de solidariedade que se está a gerar em torno de Carlos Martins, em virtude da situação do seu filho, aproveito para dar o meu testemunho sobre a doação de medula óssea.

Estou inscrito na lista de dadores de medula óssea há cerca de quatro anos. Foi um processo tão simples quanto ir tirar sangue. O pouco que doa a penetração da seringa na nossa pele não tem comparação com a dor que Carlos Martins, a sua família e muitos outros familiares de doentes com esta patologia estarão a sentir neste momento.

Demora cinco minutos e pode salvar vidas.

Lembrem-se que a vossa doação pode fazer a diferença entre a vida e a morte de uma pessoa, seja o Gustavo, o Afonso, o Manuel, a Joana, a Cristina, etc.

Um dia poderá ser a nossa vez...

Sobre merda


Deve ser a primeira vez na vida que fico exultante com uma nomeação de um árbitro para um jogo do Benfica. Estou realmente muito satisfeito. Soares Dias amanhã na Figueira da Foz implica que o jogo contra o zbordin será arbitrado por outro qualquer que não ele, que é, na minha opinião, o gajo mais insuportável a dirigir jogos do Benfica. Com ele em campo, jogo em que o Benfica acabe com menos de oito cartões já considero muito positivo.

Claro que isto acaba por ser um pouco como ter que escolher obrigatoriamente que balde de merda é que vamos comer, de entre vários tipos colocados à nossa frente. Mas a verdade é que mesmo a merda pode ser alvo de cuidadosa e ponderada reflexão. Por exemplo, eu nunca comeria merda de porco ou de bode, que são bichos que papam tudo o que lhes aparece à frente. Nem merda de abutre ou de hiena, que comem maioritariamente bichos putrefactos. Nem merda de dragão de Komodo, porque se um bicho tem bactérias altamente mortíferas na saliva, nem quero imaginar como serão as do cocó. Ficar-me-ia pela merda de coelho, talvez, um bicho com ar simpático e que só come ervinha e outras coisas verdes. E Soares Dias não é, decididamente, merda de coelho.

240 minutos de SLB

Fez por estes dias 20 anos que pela primeira vez (e penso que única até hoje) vi 2 vezes imediatamente consecutivas o mesmo jogo de futebol.

No início dos anos 90 a cassete VHS era rainha e a primeira mão tinha-nos deixado esperanças de um bom resultado, pelo que lá em casa se optou por gravar o jogo. O jogo terminou e o entusiasmo pelo futebol praticado e pela entrega demonstrada, levou-nos lá em casa a rebobinar a cassete e a carregar "play".

O nosso adversário: O Arsenal. Os bravos do dia: Isaías e Companhia...

Fui ao excelente Memória Gloriosa buscar o link, mas hoje vou buscar a cassete à arrecadação e ver os 120 minutos outra vez... Estas semanas sem Benfica a sério deixam saudades, nada melhor que recordar um dos melhores jogos do nosso clube que alguma vez vi, nas vésperas de uma nova visita à ilha britânica.

De todos, um

quarta-feira, 16 de Novembro de 2011



Não vi o jogo da selecção, e só hoje tomei conhecimento do drama que o Carlos Martins vive.

Tenho dois filhos e só de os associar, de forma imaginária, a uma situação como esta gera uma sensação de vazio indescritível. Seria certamente uma dor tremenda, uma sensação de impotência inimaginável.

Decerto que os mais próximos do Carlos o estão a apoiar, mas é a família mais alargada que pode fazer a diferença.

O Carlos já nos fez chorar de alegria, já nos deu momentos mágicos em campo, já nos permitiu exprimir sentimentos (positivos e negativos) cheios de vida, nunca de indiferença.

Está na hora de devolver a amabilidade, dizendo obrigado e disponibilizando ajuda. De entre os não sei quantos milhões que somos existe certamente alguém que pode salvar o Gustavo. A informação para o processo de doação está aqui.

E se não tens filhos ou és um tipo mais para o indiferente nesta coisa da relação com as pessoas, pensa que precisavas de doar medula para salvares algo muito querido para ti - por exemplo o teu Benfica.
Pode ser que isso faça o click na tua cabeça e te leve a agir.

Eu vou fazê-lo porque chorei ao ver esta foto, porque o Carlos é parte da família que amo e que não quero perder. Como se vê pela foto, o Gustavo também é dos nossos. E tu, o que vais fazer?

Parabéns, velhote!


Por, à semelhança da época 2004/05 no Benfica, continuar a mostrar que com poucos ovos de boa qualidade e muitos de qualidade duvidosa se pode fazer uma belíssima omeleta.

Os cantos secaram

Artigo interessante hoje n'O Jogo sobre a falta de eficácia dos pontapés de canto no Benfica. No ano do último título éramos muito fortes nas bolas paradas (quer a atacar como a defender), na época passada decaiu-se bastante mas esta época está a ser ridiculamente má nesse aspecto do jogo, tão importante no futebol dos nossos dias. Não fazia a menor ideia da estatística, mas realmente um golo em 77 cantos é muito mau. Principalmente quando se tem traves como Luisão, Garay, Javi/Matic ou Cardozo no plantel. É como diz o William no tal artigo, os adversários já sabem de cor e salteado o que vai acontecer, quem vai correr para que lado, quem vai bloquear onde, quem vai vai aparecer ao primeiro e segundo poste ou no centro da área. Até para quem está a assistir no estádio ou no sofá começa a ser monótono observar as movimentações dos nossos jogadores na área contrária. E o William termina com uma mensagem elucidativa: Tem de mudar para ter a vantagem da surpresa. Não pode aperfeiçoar o que existe, é preciso que os movimentos na área sejam diferentes.

Chega de Luz

terça-feira, 15 de Novembro de 2011

Confirma-se que a equipa que joga em casa na Luz tem sempre muitos problemas com lances de penálti e fora-de-jogo. Para bem da selecção, a FPF tem que parar de marcar jogos na Luz. Em jeito de sugestão, e sempre a pensar nos superiores interesses do país, proponho que todos os jogos de todas as fases de qualificação de europeus e mundiais passem a ser disputados única e exclusivamente no Dragão. Aí, a "sorte" sorri sempre à equipa da casa. Deve ser dos ares do norte...

Memórias de um avô

Numa casinha algures perto da praia de Jaguaribe, o avô entretém os netos com memórias dos seus tempos de jogador. "Olhem aqui esta fotos das épocas em que o avô foi campeão português". "Pôxa, vô! Cê era bem novo aqui, hem?", exclamou o pequeno Horinando. O avô sorriu, algo melancólico, e foi ao quarto. Regressou com várias camisolas coloridas na mão e estendeu-as no sofá para os netos apreciarem melhor. "Estas são as mais bacanas que tenho", disse, orgulhoso. "Cambiasso, Ronaldinho, Clichy, Carragher, Luís Fabiano", leram os petizes de seguida em voz alta. "Ronaldinho, vô? É o cara dos dentes de cavalo, né?", perguntou a espevitada Iracema. "É, era um grande jogador. Perdemos com um golo dele nos descontos, nunca mais me esqueço", respondeu o avô, revendo o lance mentalmente. "E esta medalha da final da Liga Europa... É bonita, né?", mostrou o avô, enquanto a medalha ia passando pelos netos de mão em mão. "E agora vou mostrar-vos o meu maior troféu, que guardo com todo o carinho", atirou, enquanto se dirigiu à parede e pegou numa moldura. Lá dentro estava um pequeno papelinho. "Quê qué isso, vô?", perguntou a pequenada em coro. "É uma notícia de um jornal. Lê aí pr'á gente, Horinando", ordenou o avô ao seu neto predilecto. E o pequeno leu:

O Alan, do Braga, veio queixar-se que Javi chamou-o de preto. Ele é preto e devia ficar ofendido se o chamassem de branco. Quantas e quantas vezes chamaram-me preto, mas nunca fiquei ofendido, porque sou realmente preto. Alan é um estúpido.

Quando o menino acabou, o avô tinha os olhos marejados de lágrimas. Eusébio tinha mencionado o seu nome, e isso valia mais que tudo na vida. Horinando, intrigado, perguntou: "Ué, a gente num é preto, vô?"

"Espero merecer ficar"

Aimar pegou na bola, levantou a cabeça, fintou dois, levantou novamente a cabeça e colocou a bola mesmo a jeito do remate do ponta-de-lança. Vamos aguardar para ver como acaba a jogada. Se com um toque de classe que faz a bola aninhar-se calmamente no fundo das redes, se com um remate violento e sem direcção que faz com que a bola se sinta tão mal tratada que até sai do estádio para nunca mais ser vista.

Politicamente parvo

Temos excelentes jogadores portugueses para a posição do Pablo Aimar, com grande técnica, sentido de jogo, com visão periférica do relvado e que vão levar a bom porto os intentos da seleção, respondeu o secretário de Estado do Desporto e da Juventude, no âmbito da homenagem a Aimar, quando lhe perguntaram se gostaria de ver Aimar amanhã no relvado da Luz.

Ora para organizar o jogo da selecção temos o... o... hmm... o... Não, realmente não temos ninguém.

É certo que estas palavras são proferidas por um político e, como tal, são politicamente correctas (passe a redundância). Compreende-se a intenção da frase mas não deixa de ser extremamente parva.

O Rei voltou ao activo?

segunda-feira, 14 de Novembro de 2011

Se continuar nesta forma fora de série, faz dupla com o Cardozo contra o Zbording.

Um novo "o fair-play é uma treta"?

Platini voltou hoje a falar do fair-play financeiro que a UEFA quer implementar. Resta saber se essa medida será tratada pela própria UEFA com a leviandade que foi tratado o igualmente muito propalado combate à corrupção ou se até acabará por cair no ridículo da novidade dos árbitros de baliza que, como se tem visto em vários jogos, às vezes estão a menos de um metro de um lance de penálti claro e nada assinalam.

Teve que ser


Não me recordo da última vez em que isso aconteceu, mas hoje tive que comprar A Bola. Não resisti a esta capa e a este ídolo.

Os desafios do SLB para 2011/2012 – Rui Costa

Já abordei Jorge Jesus, o Presidente e Miguel Bento. Vamos ao Maestro.

Rui Costa facilitou a execução deste post com a entrevista que recentemente deu. Nela foram visíveis alguns dos aspectos-chave onde a sua intervenção se faz notar e outros onde, detendo conhecimento, não é visível intervenção relevante.

O seu contexto de inserção dentro do clube é talvez único. Rui tem conhecimento real dos últimos 25 anos do clube, por os ter vivido directamente ou acompanhado de perto. Tem (parece que já teve mais nos últimos 2 anos que agora, mas ainda tem) o ouvido do Presidente disponível para abordar assuntos do clube, reputação no exterior e, por último mas talvez o mais relevante, um amor ao clube sem limites. É um crime não aproveitar o Maestro para ajudar a fazer um SLB melhor.

Todavia, é visível um problema actual. O perfil de Rui Costa é diferente do de Luis Filipe Vieira e de Jorge Jesus. Esta situação tem gerado decrescente protagonismo desde o primeiro ano de ligação, onde o Maestro foi responsabilizado pela infeliz aposta em Quique (LFV sacudiu a “água do capote” também nessa ocasião). Daí para cá, Rui tem tido menos visibilidade, menos intervenção, mas o seu papel é e pode ser ainda muito relevante na nossa estrutura.

Rui Costa não é propriamente um factor de inibição de desempenho. É sobretudo um elemento que pode potenciar o nosso sucesso. Como?

Validando talentos a contratar. A experiência é uma mais-valia, mas a grande certeza de que Rui Costa deve ser aproveitado nesta componente é o facto de, ele próprio, ter sido um talento enorme. Olhando para eles, falando com eles, obtendo informação deles, poderemos ter nele uma grande ajuda para diminuir o risco de falhar nesta componente.

Enquadrando talentos contratados. Como exposto no ponto anterior, o percurso de Rui Costa fez com que vivenciasse também esta questão. Também ele sentiu dificuldade na entrada no plantel dos seniores, também passou pelo empréstimo, também passou pelo enquadramento até à afirmação na equipa principal do nosso clube. Excelentes os insights que deu na reunião em relação a esta temática, onde ficou provado que pode dar valiosos contributos aos nossos jovens.

Gerando/fortalecendo relações internacionais. A reputação exterior do homem é enorme e vai manter-se pelo menos nos próximos 10 anos. Esta reputação poderá contribuir para estreitar as relações com os maiores clubes europeus, reforçando a partilha de conhecimento, oportunidades e troca/venda de jogadores.

Defendendo o grupo / equipa de futebol. Demorou 2/3 dias para surgirem as primeiras palavras de protecção a Javi no caso da semana passada, proferidas pelo presidente num contexto desadequado. Até o presidente do zbording falou do assunto antes do SLB. Rui Costa deveria ter a responsabilidade/possibilidade de assumir esta questão, matando o assunto de imediato e resguardando o presidente de um assunto “não presidencial”.

Representar o SLB. Quem melhor que um atleta reputadíssimo e de comprovada qualidade técnica e humana para dar a cara pelo clube, em cerimónias, sorteios ou outras ocasiões onde o SLB necessite de estar.

Complementar/ser a extensão o Presidente. A primeira valência atribuída aquando da despedida dos relvados, que paulatinamente tem sido cada vez menos visível. O Presidente tem responsabilidades e áreas de intervenção que tem de delegar e Rui Costa é o homem certo para as assumir. Um dos erros na gestão de LFV tem sido este, em vez de delegar nos competentes, assume a liderança em assuntos que não domina, falhando por inabilidade, incompetência ou timing.

Influenciar consagrados. Pablo Aimar. Deveremos estar para sempre gratos por isto. E como este poderão vir mais, persuadidos pelo Maestro para o desafio desportivo do nosso clube e pela paixão com que Rui Costa fala dele. Uma mais-valia que muito poucos no mundo poderão dar a um clube.

Estabelecer parcerias internas. Se no exterior o prestígio é inequívoco, também internamente Rui Costa pode trabalhar muito e bem sobre a vertente institucional, desenvolvendo parcerias dentro da primeira e segunda liga e com instituições do futebol nacional – colocar jogadores, melhorar relação, diminuir influência do sistema. Há muito que pode e deve ser feito.

Parte da blogosfera benfiquista defende que Rui Costa já se devia ter demitido, pois está limitado nas funções e já várias vezes foi “desautorizado” ou “responsabilizado” por falhas da estrutura. Não compreendem como é que não saiu ainda do clube.

Rui Costa foi claro na entrevista. Sai quando deixar de ser útil, quando o mandarem embora. Porquê? Rui Costa está profundamente ligado ao clube que ama, ignorando o menor protagonismo que detém, a responsabilização excessiva pelos insucessos, os problemas de erros ou falhas nas contratações (por que é que pensam que é sempre Rui Costa que apresenta os talentos aquando da chegada…)

Como é que ele aguenta isto? É fácil de perceber. Se eu trabalhasse no SLB, seria preciso fazerem-me a vida negra, mas mesmo negra, para me afastar, porque era ali que queria estar. Engolia todos os sapos necessários em prol do clube. Se visse o clube prejudicado não me calaria, é certo, mas enquanto o visse dirigido no rumo certo, não vacilaria e manter-me-ia à disposição – a máxima seria “I serve at the pleasure of the President”.

Rui Costa mantém-se na Direcção, mesmo prejudicado pessoalmente, porque ama de mais o clube para se importar com isso. Está 7 dias por semana ao dispor do SLB e é feliz porque está perto dele e do que sempre gostou de fazer. É como se fosse um de nós lá dentro, porque o Rui é dos nossos. E se conseguir dar o contributo que pode, continuará a ser um tremendo activo.

Duas coisas com pouco sentido

domingo, 13 de Novembro de 2011

Bruno Alves pede para os adeptos encherem a Luz. Eu sei que é a selecção mas mesmo assim não soa bem.

Parece que o zbordin falou com Tomás Taveira e este concordou com o fecho do fosso do estádio. Acho que isso deve ser mentira, Taveira sempre foi especialista em abrir coisas, não em fechá-las. Isso está, aliás, bem documentado em vídeo.

Old school

Yashin, Carlos Alberto, Beckenbauer, Gérson, Cruyff, Maradona, Platini, Eusébio, Di Stéfano, Garrincha e Puskás.

É medonho imaginar esta equipa a jogar, estando cada um no auge da sua carreira. Pagava mil euros para assistir ao jogo, qualquer que fosse o adversário, sem pensar duas vezes.

Custa-me deixar Sir Bobby de fora, mas puseram-no ao lado do Eusébio... O Pelé fica a ver da bancada porque não gosto do homem. Não consigo conceber nem o Messi nem o Cristiano Ronaldo a jogarem ao lado destes colossos.

Podem votar aqui e se quiserem compartilhar qual o vosso onze, força.

Espero que esta decisão não dê merda

sexta-feira, 11 de Novembro de 2011

Claque do zbordin no piso 3 da Coca-Cola? Só me faz lembrar de um jogo contra o foculporto em que vi vários adeptos do Benfica serem evacuados do piso 0, porque os animais estavam a arremessar cadeiras e outras coisas simpáticas lá de cima.

A idolatria do ordinário


Já vi muita coisa em capas do Record, mas nunca os tinha visto descer tão baixo. Não só legitima o gesto como também o enaltece, que bonito... É a actual cultura da falta de educação e da brejeirice em que vivemos, onde os alunos gozam descaradamente com os professores e os netos batem nas avós.

Quanto ao capitão da selecção, aqui há uns tempos fazia-me confusão o porquê de lhe terem atribuído a braçadeira mas agora tudo faz sentido. Ronaldo é um belo representante da maior parte deste país.

As imagens não mentem

quinta-feira, 10 de Novembro de 2011



"És um preto de merda, o Bacalhau Espiritual fica melhor se o pão for demolhado em leite morno, sou um seguidor da corrente desconstrucionista embora não partilhe da maior parte das ideias de Nietzsche, o Bolero de Ravel tem um crescendo magnífico e quero que os teus filhos morram."

Penso que é bem nítido que é isto que Javi disse.

Sai uma birra para a mesa do canto da casa de putas

A isto se chama "ficar altamente fodido". Uns prémios que nem sequer são muito significativos mas que, mesmo assim, têm o condão de eriçar os pêlos da nuca da malta do foculporto que, coitadinha, foi deixada de fora de tal evento.

Patético e prova evidente de uma grandeza que querem a todo o custo e por todos os meios possíveis e imaginários (e nós sabemos bem que meios são esses) alcançar mas que nunca irão conseguir.

Ainda parece mentira


Mas infelizmente é mesmo verdade...

Alejandro, o Aimar ainda joga...

Diría que soy amante de los jugadores cerebrales. Si me preguntás quién fue el mejor jugador de básquet de la historia, te tengo que decir Jordan. Si me decís quién me gustaba más, te digo Magic Johnson. Porque era el cerebro de los Lakers, el base, el que la llevaba e iba mirando a sus compañeros. Jordan era otra cosa, tuvo más peso, fue el mejor de todos. Ya no hay jugadores como Verón, Riquelme, Gallardo, Aimar... Son muy necesarios para el técnico, porque muchas veces se dice: “El equipo no juega a nada”. Y esos jugadores te ayudan a que el equipo juegue a algo. Con ellos podés jugar 15 ó 20 minutos bien por tiempo, y eso es bueno para el DT, para el contexto. Pero se ha ido perdiendo esa clase de jugador, palavras do seleccionador argentino em entrevista a um jornal do seu país.

É-me complicado perceber como é que o seleccionador diz uma coisa destas e depois deixa de fora da convocatória o Aimar (o Riquelme renunciou à selecção, o Verón encerrou a carreira há poucos dias e o Gallardo já nem sequer joga). Não que eu queira sobrecarregar ainda mais o nosso Pablito com jogos e viagens, antes pelo contrário, mas estas declarações fazem pouco sentido com o Aimar ainda no activo. Não entendo, mesmo.

Entendo sim quando ele diz que este tipo de jogadores estão a desaparecer. Os chamados românticos do futebol. É pena. Sem eles os jogos perdem uma parte do seu encanto. Uma parte pequena mas importante.


P.S. Quanto ao basket, plenamente de acordo com o senhor. Jordan foi o melhor da história mas o meu preferido sempre foi o grande Magic.

"Benfica até..." mas a seguir completem com uma coisa à homem, pá!

quarta-feira, 9 de Novembro de 2011

Tenho reparado que a expressão "Benfica até debaixo de água" anda bastante na moda. Não gosto da mesma nem me identifico com ela, porque a considero bastante redutora em relação àquilo que o Benfica representa. Vamos lá a ver uma coisa, debaixo de água há tempo para pensar em inúmeras coisas até se ficar sem ar e ter que subir à superfície, e nem sequer precisa de se ser um Ian Thorpe ou um Michael Phelps para conseguir tal feito. Vamos imaginar um qualquer benfiquista a mergulhar numa praia algarvia em pleno Agosto: Isto hoje está cheio de bifas, tenho que ver se arranjo companhia para hoje à noite. Há ali umas poucas ao pé da minha toalha que são bem jeitosas. Mas uma parece muito novinha, vou deixar para o Carlos Cruz que também faz férias aqui na zona. A do biquini amarelo não é má, mas bebe mais cerveja do que eu e isso deixa-me um bocado constrangido. A outra que faz topless é que era, mas o o gajo que está com ela tem ar de hooligan, ainda apanho uma carga de porrada. Espera lá, por falar em hooligan, hoje o Benfica tem um amigável de pré-época contra uma equipa da 4ª divisão suíça cujo nome nem sequer me lembro. Caga nas gajas, vou mas é para casa ver a bola.

Cá está, estar debaixo de água dá tempo para muita parvoíce e o Benfica acaba por ficar para último. Não pode ser. Vamos então tentar arranjar umas frases condizentes com a grandeza do Enorme.

"Benfica até imerso em lava". Imaginemos um benfiquista mais afoito, que passeava nas encostas do Arenal, na Costa Rica, e acabou por cair num simpático rio de lava: Eh lá, isto está quentinho! Faz lembrar aquele dérbi contra o zbordin em que no final andámos à porrada com uns gajos da Juve Leo e acabou com uma carga polici... E depois falece, claro. Mas os seus últimos nanossegundos de vida foram gastos a pensar no Benfica.

"Benfica até no espaço sideral". Será uma situação improvável mas não impossível, já que eu acredito piamente que há microorganismos em Marte que discutem acaloradamente as opções do Jorge Jesus e que aquele asteróide que passou ontem a rasar a Terra se enganou nos cálculos, porque o que ele queria mesmo era ter passado às 18h do último Domingo para poder ver o jogo do Benfica. Mas vamos então imaginar novamente o nosso benfiquista em pleno espaço: Ui, isto está a apertar! Estou a ficar parecido com o Bruno César, que giro... Era isto que um jogador do Benfica deveria sentir quando veste o manto sagrado e não se esfor... Puff, e lá explodiu o homem em mil pedacinhos. Mas pensou no Benfica até ao limite da inconsciência.

"Benfica até a comer a boazona da minha vizinha que é casada com um gajo dos Comandos que está em missão no Iraque mas pelos vistos acabou de chegar a casa sem avisar que vinha para fazer uma surpresa à mulher". É uma situação dramática, admito, que merecia ser comentada em directo pelo Artur Albarran. Haveria aqui algumas frases cliché que poderiam ser utilizadas para amenizar a reacção do marido, tipo "A culpa é dela", "Foi só para a manter exercitada para ti" ou até mesmo um arriscado "Onde cabe um, cabem dois". Mas não, o nosso benfiquista diria o seguinte: Antes de começares a fazer o que me parece que vais fazer, e na eventualidade de não estares a pensar cortar-me às postas com esse facalhão medonho que tens à cintura, deixa-me só suplicar-te para me deixares um dos olhos intacto para poder ver os jogos do Benfica enquanto recupero das várias intervenções cirúrgicas a que vou com certeza ser submetido. É estóico e é bonito. O Comando iria decerto ter tão sentido pedido em conta.

Como estas frases haverá certamente mais, mas o importante é frisar novamente que a vulgaridade de um "debaixo de água" é demasiadamente insignificante para o Benfica. Isso tem mais a ver com lagartos, que nem sequer vão ao estádio quando chove, com medo de estragarem os penteados feitos pelo Eduardo Beauté e que as camisolas da Burberrys compradas na feira de Carcavelos encolham. Aceitaria de bom grado um "Benfica até debaixo de água na Fossa das Marianas sem escafandro" mas só "debaixo de água" é para meninos.

Vamos lá elevar os nossos padrõezinhos, ok?

Tomates de Guinness

(imagem retirada daqui)


O rapaz foi aconselhado a sair da sala porque, com o seu enorme par de tomates, não caberia lá mais ninguém.

Na sombra, à espreita, como sempre

A cereja no topo do bolo desta palhaçada armada pelo Alan e pelo Djamal seria o CD da Liga abrir um inquérito, considerar que as acusações eram falsas e punir os dois jogadores com um jogo de suspensão. Jogo esse que seria o próximo do campeonato, contra... deixa ver... exacto, contra o foculporto... Seria mais um marco épico no futebol português.

Onde andas, Bruno?

terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Enquanto vejo o Benfica espancar o Óquei de Barcelos na RTP2, lembro-me, não sei a propósito de quê, de Bruno Carvalho. Não sei por que estranhas divagações me perdi, mas o que é certo é que cheguei a tal personagem. Nunca mais se ouviu falar do homem... Mantém-se como patrão da Filomena? Continua a ter guito para alugar aviões quando vem a Lisboa? Já foi à Luz esta época? Não sei, julgo que ninguém sabe. O homem desapareceu do mapa.

Resolvo então ir ao Google para me relembrar qual era o site da candidatura. "Bruno Carvalho Presidente", é isso. Deixa ver. Ah, está à venda...

Se eu algum dia me candidatasse a presidente do Benfica, teria tamanho orgulho nisso que manteria o site activo até morrer.

Limpeza étnica

Arsène Wenger prepara-se para efectuar uma verdadeira revolução no plantel do Arsenal, tudo para assegurar a contratação de Javi García. Bem informado sobre as notícias em Portugal, o treinador francês sabe que, para o médio espanhol ingressar no clube londrino, vai ter de dar guia de marcha a vários jogadores.

Assim sendo, Sagna, Djourou, André Santos, Gibbs, Diaby, Song, Frimpong, Walcott, Oxlade-Chamberlain e Gervinho já foram colocados no mercado. Por via das dúvidas, e temendo que Javi não goste de árabes, Chamakh deve seguir o mesmo caminho, tal como os asiáticos Park e Miyaichi e o judeu Benayoun (comenta-se que Javi poderá ser nazi).

Espanhol a aprender a falar português

Paco Perez, o Aluno: Profesora, ¿me puede dar este lápiz negro... ¿Cómo se dice negro en portugués?


Pilar Mercedes, a Professora de Português (bem boa por sinal): Oh Paco, já te disse cem vezes... Negro em Português é Preto.


Paco: Ahhh!

Estamos diferentes, para melhor

Sentimos que a nossa força poderia ser mais avassaladora, mas olhando para trás só podemos concluir que estamos melhores. Um exemplo: O facebook oficial do clube publicou os 9 jogadores que antes de Rodrigo usaram a camisola 19.


Qual deles o pior? A quantos anos-luz está Rodrigo de alguns destes ex-jogadores do clube? A quantos anos-luz está o Benfica do clube que estes 9 representaram nos anos 90 e na primeira década do século 21?

Javi García pode ter um problema com o preto

segunda-feira, 7 de Novembro de 2011

São vários os testemunhos que parecem confirmar que Javi García tem um problema com o preto.


Manuel Joaquim, proprietário de restaurante: Sim, o Javi vem várias vezes aqui comer e nunca pediu porco preto.

Carlos Miguel, representante de uma conhecida marca automóvel: Confirmo que o senhor Javi García comprou um automóvel da nossa marca mas como só tínhamos em preto, e ele não gosta dessa cor, ainda está à espera.

Bárbara Pereira, agente imobiliária: Aquele espanhol bonitão do Benfica? Sim, na casa que lhe vendi pediu que mudássemos o chão da cozinha de preto para branco.

Cleide Marisa, cabeleireira: Ainda outro dia lhe perguntei se não queria experimentar ter cabelo preto e ele recusou.

Mehmet Aziz, dirigente do Besiktas: Quando o Javi ainda estava no Real, apresentámos uma proposta ao seu empresário mas ele nem quis negociar.

Débora Fernandes, lojista do Gato Preto: Outro dia o senhor Javi e a namorada pararam aqui à entrada da loja. Depois a rapariga entrou mas ele ficou à porta a mexer no telemóvel.

Elena Gomez, namorada de Javi García: Sempre que lhe apareço à frente com lingerie preta, ele despe-me logo. Quase nem tenho tempo de respirar.

O Javi está em todas

Nem sequer me vou dar ao trabalho de comentar as declarações do desgraçado do Alan, porque lhes atribuo tanta veracidade como a esta notícia d'A Bola.

A lesão do lateral brasileiro foi provocada por uma entrada de Javi Garcia, na sequência de um pontapé de canto.

Recomendo rever o momento da lesão do Baiano, em que ele choca contra um colega de equipa num pontapé de canto a favor do Benfica. É muito grave o que A Bola publicou.


Adenda: reparo que, entretanto, a notícia já foi alterada. A frase que citei em cima passou para "A lesão do lateral brasileiro na sequência de um pontapé de canto." O que nos remete para outro ponto interessante: o indivíduo que escreveu o texto não fazia a menor ideia de como é que o Baiano se tinha lesionado, não teve o menor cuidado de se informar e lembrou-se de escrever a primeira coisa que lhe veio à cabeça, acabando por sobrar para o Javi. Isto é jornalismo de grande nível! O tal indivíduo deve ter-se apercebido da merda que fez pelos comentários à notícia e tratou então de alterar a frase à pressa, frase essa que nem sequer está em português minimamente decente. "A lesão do lateral brasileiro na sequência de um pontapé de canto." Falta aqui qualquer coisa, não? Corrija lá isso outra vez, homem!

Flores para Aimar

Quebras de luz "acidentais" à parte, a verdade é que colocar Aimar a jogar praticamente ao lado do ponta-de-lança também contribui para um belo apagão da equipa. Mas isso, infelizmente, já todos sabemos de cor e salteado dos tempos de Quique Flores.

Não fode nem sai de cima

domingo, 6 de Novembro de 2011

Apagar as luzes três vezes durante o acto para ver se a coisa se dá, é prática de homem envergonhado, com pila curta e/ou que já necessita do milagroso Viagra. No fundo, um homem que fode tão mal quanto a sua equipa joga, mas que não suporta a ideia dos outros foderem melhor ou que outra equipa passe para a frente da sua.

Parece-me evidente de que cabeça demente veio esta habilidade, mais uma no futebol português. E também me parece evidente que, em sete anos de estádio Axa, o facto de isto ter acontecido esta noite não tenha sido uma coincidência.

braga 1 - 1 BENFICA

Mais um jogo fraco em todos os aspectos. Entrámos a tentar ter mais posse de bola, mas, logo após a primeira paragem por falta de luz, esse intento desapareceu.

O Braga começou a ter mais bola, mas sem criar perigo. Até que apareceu o penalti da praxe. Não vale a pena comentar mais isto...

Na segunda parte, o Benfica veio pior, a dar a iniciativa ao Braga. Nem mesmo após as entradas de Nolito e Bruno César passámos a pegar no jogo. Os passes errados foram mais que muitos e o golo acabou por aparecer se calhar quando já ninguém o esperava.

Podíamos ter saído com os 3 pontos, quando Rodrigo, já no final, rematou ao lado, após uma recepção de bola de primeira água.

P.S. Não pagaram a conta da luz? Ou foi brincadeira de Carnaval fora de época? Mau demais para ser verdade...


Artur - sem grandes intervenções, resolveu sempre bem quando foi chamado a jogo.

Maxi - para não destoar muito do resto da equipa, teve desconcentrações e passes falhados. Valeu a garra.

Luisão - talvez o melhor em campo, a destoar completamente da equipa. Cortes importantes a evitar o pior.

Garay - menos exuberante do que noutros jogos, chegou para as encomendas.

Emerson - entusiasmei-me com ele no início da época. Agora repenso essa ideia inicial. Acumula falhas de posicionamento e repete passes falhados a atacar. Ah, e já devia saber que em certos campos há que deixar os braços em casa. Emerson, vê lá isso...

Javi - é diferente de Matic, para melhor. Ainda assim, o meio-campo do Braga teve imensa posse de bola.

Aimar - começou bem e foi decaindo, paragem após paragem. O seu físico é capaz de não gostar muito de tanto pára-arranca. Na segunda parte, esteve algo desconcentrado, fazendo três faltas de seguida e perdendo várias bolas.

Ruben Amorim - entrou com muita vontade, mas não é um extremo. Podia ter marcado ainda na primeira parte.

Witsel - é importante em campo, mesmo quando não se dá por ele. Hoje deu-se por ele, principalmente por parecer algo apático. Teve uma perda de bola infantil perto do fim do jogo. Tem que rematar mais.

Gaitán - os números de circo não param, mesmo em zonas recuadas. Enquanto não for para o banco, não deve aprender. É muito inconsistente. Depois de algumas iniciativas boas, borra, invariavelmente, a pintura. Ofereceu o golo a Cardozo, mas este atirou ao lado.

Cardozo - jogo fraquinho, desinspirado. Lembro-me de um único remate, por sinal ia dando golo.

Rodrigo - o jogo torna-se mais rápido com ele em campo, mas se não receber a bola não adianta. Marcou com alguma sorte o golo solitário. Podia ter marcado o golo da vitória mesmo no fim. Ficou a recepção de bola fantástica.

Nolito - ajudou na manobra defensiva, mas foi inconsequente no ataque. Não teve muito a bola nos pés.

Bruno César - tentou o golo à entrada da área, mas saiu ao lado.

Nojo

Nojo é o que sinto ao intervalo desta paródia, a que insistem chamar jogo de futebol.

Ali como no dragay é proibido o Benfica ganhar. Há uns anos, este mesmo senhor a que insistem em chamar de árbitro inventou uma falta sobre Lisandro na área do Benfica...

Hoje a cena repete-se, como o mesmo senhor. Mão deliberada quando o jogador nem está a olhar para a bola? Não me gozem...

É por estas e outras que detesto que o Benfica jogue depois do foculporto, visto que dá sempre para corrigir os tropeções daqueles. "Empataram? Não há crise... O Benfica vai ser rasteirado amanhã..."

Pedido/receita para logo

Entrar em campo a pensar que só a vitória permite ficar isolado no primeiro lugar, mas ter a inteligência de transformar essa pressão em algo de positivo e que liberte a equipa e não algo de negativo e que agrilhoe os jogadores, fazendo com que pareça que jogam sobre brasas, como se viu na última época em jogos de tudo ou nada.

Resumindo: mostrar quem manda sem arrogância e ter humildade sem mostrar medo.

Carrega, Benfica!

Sim, sim, sim, sim!

Daquelas afirmações que parecem parvas mas que podem ter um fundo de verdade

sábado, 5 de Novembro de 2011

Se o Benfica ganhar amanhã é campeão.

O berço merecia melhor sorte


Como diz o cartaz que hoje foi lá colocado: "já merecia uma placa a dizer que o Benfica nasceu aqui, não?"


P.S. Grande almoço. Vim de lá todo inchado, não da comida mas com tamanho banho de benfiquismo. O Toni é o maior. O maior!

Lamento, mas primeiro penso nos meus

sexta-feira, 4 de Novembro de 2011

Não fico contente com lesões de jogadores adversários (excepto quando são do foculporto, mas nesse caso, pela forma como esse clube está no desporto, não se trata de um adversário mas sim de um inimigo) mas a probabilidade de sermos nós a lamentar uma lesão grave do prometedor Rodrigo ou até o final antecipado da carreira do Aimar aumentaria por cada minuto que Rinaudo estivesse em campo na Luz, daqui a algumas semanas. Portanto, entre a mera hipótese de um jogador do Benfica se lesionar com gravidade e acontecer efectivamente o mesmo ao potencial causador de tal lesão, vou ter que jogar pelo seguro e optar claramente pela última opção. O que obviamente não impede que um jogador do Benfica se possa lesionar nesse encontro (bater na madeira três vezes). Mas, como disse atrás, julgo que sem Rinaudo essa hipótese desce drasticamente, tal como descia drasticamente a hipótese de o João Pinto conseguir acabar um jogo sem mancar quando o Paulinho Santos não estava do outro lado.


P.S. Com poucos meses em Portugal, o Rinaudo acabou por ter o azar que nunca bateu à porta de um Neanderthal como o Bruno Alves.

Quando Aimar fala, é para ouvir

Não sei o que custa aos sites desportivos portugueses colocarem os links de onde vão buscar o material com que escrevem as suas notícias. Escreviam na mesma a peça e no final colocavam o link, até podia ser em letras mais pequeninas. Neste caso foi com a entrevista do Aimar à Cadena 3.

E sabe tão bem ouvir o Pablito na primeira pessoa...

Diz-se por aí que é uma espécie de plantel, Jesus




9 jogadores não utilizados ainda no campeonato + Capdevila + Jardel: 11 jogadores em 27 inscritos, onde se retira ainda o infeliz Enzo. Este é o Benfica 2011/2012 de Jesus: 15 jogadores.


A tabela em cima é do site do nosso clube, dados do campeonato. Os jogadores utilizados na Liga dos Campeões desde a fase de apuramento até agora são os mesmos que Jesus utiliza de forma recorrente e constante no campeonato.

Aquilo que alguns possam pensar ou dizer que é um plantel (visão inclusive reforçada positivamente pelo presidente há dias atrás, que se referiu ao mesmo como “muito forte”) reduz-se hoje a 15 (quinze) jogadores que realmente contam para o Mister.

Aprofundemos a análise. Vamos ver os minutos… A tabela é do futebol365 (penso que tem um erro no Jara, mas de resto parece-me certo).


Os dados são ainda mais elucidativos. 14 (catorze dos vinte e sete: 52% do plantel) jogadores do Benfica concentram 92% dos minutos jogados nas 9 primeiras jornadas.


Não há dúvidas. Os 14/15 jogadores estão em sobre-esforço. Isto acentua os erros individuais, que resultam em erros colectivos, enquadrados por decisões infelizes da equipa técnica.

Sejamos claros. O Benfica de Jesus não é constante, mas sempre foi coerente em 2 características:
  • Só um núcleo de 14-16 jogadores é que joga
  • Apesar de não sermos nos últimos anos muito fustigados por lesões, os nossos ciclos de forma são científicos - parecem bossas de camelo. Em ascensão de Agosto a Outubro, em depressão Novembro a Janeiro, ligeira ascensão Fevereiro e Março para fechar a época em depressão profunda, com a equipa a arrastar-se em Abril e Maio.
A depressão é tanto mais forte quanto menos jogadores forem opção e quantas mais forem as competições onde estamos envolvidos (ao qual acresce a presença assídua de 6/7 desses 15 nas selecções dos seus países).

Em que jogadores se nota mais? Nos jogadores aos quais o modelo de jogo exige mais: toda a linha ofensiva e extremos obrigados à constante pressão alta, os laterais obrigados à subida regular e ao trinco, obrigado a 11/12 Km por jogo.

A solução é clara, dar minutos e utilização frequente a 20 jogadores é fulcral. Para isso é necessário ter pelo menos 20 jogadores com capacidade para poderem ser recorrentemente utilizados na equipa principal. O Benfica tem mais de 20. O problema é que Jesus acha que não. E, sendo assim, neste aspecto Jesus é parte do problema e não da solução.

Vai ser um Novembro muito duro, como se viu na 4ª feira passada. E eu vou continuar com saudades de ver Carlos Martins (o meu segundo 10), Airton (o meu segundo 6) e Capdevila (o meu primeiro 3) com o manto sagrado, soluções com provas dadas que Jesus, não sabemos porquê, rejeitou para este ano.

Ps1: Faço a adenda com a tabela de utilização da LCampeões até à data. Como vêem as opções são as mesmas entre Campeonato e LC. Os mesmos 14-16 jogadores.

Ps2: Um plantel deve ser constituido na minha opinião por jogadores considerados como alternativas válidas para rotação da equipa e não composto por alternativas de recurso para serem utilizadas em caso de lesão do "núcleo duro". Como vê Jesus esta questão? Quando os 11 que sabemos serem os preferidos estão clinicamente aptos, jogam pelo menos 70 minutos de 4 em 4 dias. Quem é que acham que vai ser o único avançado que vai ser titular de início em Braga?

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.