Ponto de saturação

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Não gosto de Gaitán e assumo-o sem qualquer problema. Desde a época passada que acho que a sua postura em noventa por cento dos jogos é uma falta de respeito para com os colegas que se esforçam dentro do campo e também em relação a quem contribui com dinheiro de bilhetes e quotas para lhe pagar a casa, o carro, a comida e o raio que o parta. Há muito tempo que não me lembro de ver no Benfica um jogador com tanta técnica individual e, simultaneamente, com tamanha atitude "estou-me a cagar para vocês todos, dêem-me mas é a merda da bola" (o último talvez fosse o Roger, se bem que acho que o Roger ainda conseguia ser tecnicamente melhor do que o Gaitán). Marca golos fantásticos? Marca, sim senhor. Faz assistências brilhantes? Também. E tudo isso fica na retina, é óbvio. Mas é bom não esquecer a quantidade de golos que o Benfica sofreu na época passada e nesta porque o Gaitán perdeu uma bola ao tentar fintar quatro gajos, porque o Gaitán não esticou a perninha para travar um contra-ataque, porque não lhe apeteceu vir ajudar o lateral que acabou a levar com dois adversários em cima, etc, etc, etc. É claro que todas estas não-acções não ficam na retina (o olho humano não está preparado para gravar não-acções) e é fácil atribuir as culpas de um desses lances ao Maxi, ao Emerson, ao Luisão, ao Garay, ao Jardel, ao Javi, ao Matic ou a outro qualquer. É demasiado fácil, aliás, porque ir procurar o que deu origem ao contra-ataque do adversário dá mais trabalho e não interessa muito. E assim lá vai sobrevivendo Gaitán, entre os pingos da chuva, deixando permanentemente cocó na sanita numa casa onde moram onze pessoas sem nunca ninguém se aperceber que a merda é mesmo dele.

"Mas uma equipa precisa de desequilibradores!" Pois precisa. Mas eu vejo um Pedro, um Cristiano Ronaldo, um David Silva, um Nani, um Rooney, um Ribéry e até um Messi muito mais envolvidos nos processos defensivos das suas equipas do que o Gaitán no Benfica. E aqui nem estou a falar da qualidade individual, todos eles muito melhores do que Gaitán, mas sim da mentalidade. Todos estes jogadores têm mentalidade competitiva altíssima. Uns talvez já tivessem nascido com ela, mas a outros foi-lhes incutida ao longo do tempo. O Gaitán está na segunda época no Benfica e para mim nesse aspecto consegue estar pior do que na época passada. Com mais tiques de vedeta, mais "estou-me a cagar". Mais enervante. E é inadmissível que o treinador continue a compactuar com isto. É uma tortura para mim ver o Gaitán em campo a fazer sempre, sempre, sempre, sempre o mesmo sem que ninguém o chame à atenção ou o castigue com o banco. Não consigo ver mais Gaitán, pronto. Não consigo. Rebentei ontem. Prefiro o Nolito com uma fractura exposta da tíbia dentro do campo ou o Mika adaptado a essa posição.

E é curioso que já tenha visto mais pessoas com camisolas e cartazes do Witsel, do Javi, do Luisão ou do Maxi do que do Gaitán, o suposto mega-craque da Luz. Acredito que o público sabe reconhecer quem sua até à última gota pelo clube, tal como numa empresa as pessoas sabem reconhecer quem está onde está por mérito próprio ou por cunha do chefe.

Por isso gostava imenso de poder entrar numa máquina do tempo e programá-la para daqui a três ou quatro anos só para poder levar Jesus a ver em que clube estaria Gaitán a jogar. A brilhar num colosso tipo Manchester United ou Milan, ou a arrastar-se meio esquecido (mas de bolso recheado) num longínquo campeonato turco ou ucraniano?

Caso se verificasse a primeira hipótese, era sinal de que Gaitán se esforçava e trabalhava a sério dentro do campo. Quereria isso dizer que enquanto tinha estado no Benfica andava a gozar com meio mundo (que é aquilo que eu penso), só se dignando a correr quando tinha a bolinha no pé, porque sabia que tinha sempre o lugar garantido no onze inicial. Se fosse verdadeira a segunda hipótese, então aquilo que ele tinha mostrado no Benfica era, efectivamente, aquilo que ele tinha para oferecer.

Regressando então ao presente, o que fazer com Gaitán? Sentá-lo no banco de castigo, caso ele no futuro andasse a brilhar nos principais palcos europeus (a tal primeira hipótese de que falei atrás). Despachá-lo o mais rapidamente possível, caso ele no futuro andasse a cozer no deserto turco ou a congelar na tundra ucraniana ou russa (a segunda hipótese).

Seja como seja, Gaitán não é jogador à Benfica. Pode ser uma centena de outras coisas quaisquer, todas elas espectaculares e orgásmicas, mas à Benfica não é.

33 comentários:

Mindfuck disse...

O Ronaldo é a par do Hulk e do Quaresma dos jogadores que mais se desleixam no processo defensivo... Mas concordo que o Gaitán também tenha esse "dote". A modos que uma venda em Janeiro por 40 milhões já me deixava feliz da vida...

Helder disse...

Assino por baixo!!

Éter disse...

O Ronaldo na selecção é uma cópia do Gaitán no Benfica. Mas no Real é um pouco diferente, já o vi ir recuperar bolas que ele próprio perdeu.

Mindfuck disse...

Mas se neste aspecto o Gaitán é igual ao Ronaldo então é o jogador que o Fergunson procura xD

Anónimo disse...

Tenho de concordar. O Gaitán, nos jogos da Liga Portuguesa, é de uma displicência incrível. De vez em quando acende-se a luzinha na cabeça e lá faz uma jogada boa ou saca de um golo assim do nada, mas a maior parte do tempo fica apenas a ocupar um lugar que podia ser ocupado por outro jogador que se esforçasse mais.

Creio que nesta época, como já comentei com amigos (que concordaram comigo), só vi Gaitán jogar "a sério" na Liga dos Campeões, onde tem muito mais visibilidade do que no nosso campeonato. Muitas vezes até ajuda a defender, coisa que no campeonato, nem ver. Se Gaitán se aplicasse para o campeonato como se aplica para a Liga dos Campeões, tenho a certeza absoluta que estaríamos em primeiro lugar isolado. Mas lá está, não tem aquela visibilidade...

J.

M.C. disse...

Independentemente de se gostar ou não do Nico Gaitan, o que é para o si um jogador á Benfica, e se puder exemplificar melhor ainda ...

Marciano disse...

Nunca gostei. Parece que anda sempre enfadonho e a fazer frete. E também não entendo, um gajo com 22 anos e sem força.

Éter disse...

M.C., para mim um jogador à Benfica não tem nada a ver com questões técnicas. Um jogador à Benfica é um jogador que quando o árbitro apita eu sinta que ele deu tudo o que poderia dar enquanto esteve em campo e que dessa forma mostra respeito pelo clube e adeptos (palavras vãs em entrevistas ensaiadas não contam).

Entrando isto claramente no campo da subjectividade, será presunção da minha parte pensar que o Gaitán não se enquadra neste perfil? Talvez, mas é o que eu penso. Gaitán não me transmite sentimento algum, é apenas um gajo dentro dum campo a jogar futebol com uma camisola do Benfica vestida.

Um exemplo na equipa actual? Maxi.

moondog disse...

Compreendo, e aceito perfeitamente, a tua opinião.

Na época passada, aos primeiros jogos que vi dele, disse (e mantenho a mesma opinião) que o Gaitán era muito mais jogador que o Di Maria. E irritava-me que, na Luz, o assobiassem (como chegaram a assobiar) nos primeiros jogos. Irritava-me porque, óbvio, queriam que ele chegasse e jogasse logo como o Di Maria jogou na época anterior (a sua 3ª, no Benfica). Mas o Gaitán é diferente, quer queiram, quer não queiram. Não é aquele jogador da correria louca a dinamizar todo o ataque, como era o Di Maria (o da 3ª época, sublinho).

Depois, com o decorrer da época (desastrosa, digo eu), também eu comecei a irritar-me com a maneira, não de jogar, mas de ser, do Gaitán. E essa maneira de ser, está perfeitamente descrita aqui neste post. Um jogador com uma qualidade enorme, mas um desleixado, um "deixa-andar"..

Uns tempos no banco não lhe fariam nada mal.

No entanto, e paradoxalmente, estamos para aqui todos a criticá-lo exactamente um dia depois do jogo em que talvez ele até mais ajudou a fechar o flanco esquerdo atrás.
E não falem da 2ª parte desse mesmo jogo, porque aí a apatia e a falta de entrega foram gerais.

Ricardo disse...

Está tudo muito e bem dito.

Águia Preocupada disse...

Olha M.C. Vou tomar a liberdade de te dar um exemplo mesmo sem saber a tua idade, portanto com a incerteza de os teres visto jogar. Mas pelo menos em flash televisivos deves ter visto: Álvaro, Alberto e para o caso de seres ainda novinho, mais recentemente Veloso. E digo estes porque não eram nenhuns artistas da técnica, mas tinham raça, querer e ah! sabiam o que era a mística... que o que nem Gaitan nem todos os outros sabem! E este pormenorzinho faz toda a diferença!

JNF disse...

Haja alguém com coragem para dizê-lo.

Parece que a maioria dos benfiquistas que leio e ouço, tal como os jornalistas, vivem numa realidade paralela onde é preciso defender o minino porque é um fantasista, um artista, um génio incompreendido e mais a puta que o pariu. Farto destas pseudo-vedetas que chegam ao clube para se auto-promoverem e se estão marimbando para os resultados e para o colectivo. Não joga uma poia.

M.C. disse...

Depois de ter lido a opinião do Éter e dos restantes "companheiros de conversa" fiquei com a sensação de ter voltado uns largos anos atraś,quando tambêm se discutia à volta de um jogador que nunca conseguiu reunir consensos pela sua forma de estar em campo.
Estou a falar de Néne, jogador controverso porque não se esfarrapava,não sujava os calções,não espumava pelos cantos da boca, mas ... estava sempre no sítio certo para facturar (3º melhor marcador do S.L.B. a seguir ao King e ao Zé Águas)..
Estou a recordar-me de uma célebre final da Taça de Portugal em 1989 ganha ao FCP por 3-1 com os três golos marcados pelo Néné curiosamente sempre com passes do " maozinhas" Sheu Han !

Anónimo disse...

Não dêm valor ao homem enquanto ele é nosso jogador não... depois choram assim como choram a ver o Di a brilhar no Real.

Gaitan é um super jogador, dum nivel muito acima. Tem uma maneira de jogar que nao dá a ideia de esforçado, mas é a sua maneira de jogar. Preferiam que ele se espumasse histericamente em campo como faz o Rinaudo ou o João Pereira. Isso é que é de jogador de futebol???

M.C. disse...

Gostaria de corrigir um dado, a final da Taça de Portugal a que fiz referência disputou-se em 1981 e não em 89. As minhas desculpas !

qua disse...

Assino por baixo e acho que já disseste tudo: é um acomodado, inconsequente e o JJ perante esta situação só tinha que ser treinador e não padrinho.

Éter disse...

Registo sem surpresa a tentativa do anónimo aí atrás de ir pelo lado do "vocês gostam é de jogadores que espumam pela boca". É só espreitar os jogadores que citei no 2º parágrafo e ver se algum anda a correr pelo campo esbaforido que nem um tontinho... Não, pois não? Têm classe a mais para fazer essas figuras ridículas. Mas defendem e ajudam a equipa a defender, algo que o Gaitán não faz. Portanto é um tiro na água ir por aí na defesa do moço.

M.C., não leves a mal, mas comparar a dedicação ao Benfica e atitude em campo do lendário Tamagnini com a do Gaitán é um bocado puxado. O Nené parecia que não se esforçava mas fazia-o, o Gaitán parece que não se esforça porque simplesmente não o faz.

Anónimo disse...

Isto é incrível. Onde andaram estas personagens todas até ontem? Basta um empate e é vê-los brotar...

Éter disse...

O que é incrível é alguém pensar que "estas personagens todas" pensam como pensam em relação a um jogador por causa de um simples empate, de uma derrota ou de uma vitória.

M.C. disse...

Meu caro Éter

Claro que não há comparação possível se pensarmos em termos de dedicação já que o Néné jogou 17 épocas e com 34 anos ainda conseguiu ser o melhor marcador salvo erro na época 82/83.
O que eu pretendi realçar foi o facto de quando construimos uma "orquestra" devemos saber entender as manias dos solistas e das prima-donas e não tentar transformar os artistas em carregadores de piano e vice-versa. Infelizmente já não se encontram Mários Colunas aos pontapés ...

Anónimo disse...

Pois então as personagens são criaturas "corajosas", daquelas que gostam de arrear quando se está na mó de baixo.
Quando se lançam estatísticas (como a que indica que Gaitán é o jogador que mais assistências na equipa), as críticas são etéreas, diluem-se no espaço e no tempo.

Éter disse...

Ah, as estatísticas... Já cá faltava essa... Queres que te mostre as estatísticas de golos e assistências do Quaresma quando jogava no foculporto? Ou do Hulk?

Mete uma merda na cabeça: eu não gosto desse tipo de jogadores. Aliás, abomino. Consegues perceber isso? Não gosto nem sou obrigado a gostar, mas também não pretendo a todo o custo que as outras pessoas o façam. Para mim o Benfica não são assistências para golo, é muito mais do que aquilo do que tu possas pensar mas que, por essa converseta confrangedoramente redutora de empates, derrotas, vitórias, golos e assistências, já vi que nunca conseguirás compreender.

dezazucr disse...

Ando a dizer isto desde o ano passado. Mas é curioso que neste jogo até ajudou um pouco mais a defender.

Manuel disse...

As pessoas podem não gostar do estilo de um jogador, estão no seu direito. Agora, existem factos que não se pode escamotear. Uma equipa constrói-se com jogadores TODOS DIFERENTES. Os jogdores não são máquinas nem robots.

Eles têm é de se COMPLETAR. Para quem tem dificuldade em perceber, eu comparo uma equipa de futebol a uma orquestra, em que todos tocam instrumentos diferentes mas em que no fim o resultado tem de ser positivo com todos a remar para o mesmo lado, isto é, sem desafinar.

O Gaitan quer queiram quer não, a seguir ao Javi e ao Witsel, tem sido o jogador que mais corre ao longo de um jogo. Vem quase sempre em 3º ou 4º lugar. Isto são estatísticas, mas são FACTOS, que não podem ser escamoteados.

Se isso é sinal de que se está a marimbar, então o rapaz marimba-se correndo muito. Se corre mal, isso já é outra coisa.

Luis Rosario disse...

Eu tenho uma relação amor/ódio com o Gaitán.

O ódio tende a ser a base da relação que tenho com o rapaz, mas pago o meu bilhete sobretudo para ter a hipótese, de quando em vez, de ver a minha equipa jogar futebol genial.

Pago para ver Aimar, Saviola, Cardozo, Rodrigo e Gaitán em momentos de genialidade.

Se um jogador me dá essa oportunidade, a postura displicente que pode transparecer passa para 2º plano.

Éter disse...

Tal como eu dizia, és curto de mais de vistas para compreender. Não tens culpa, claro. Tal como uma pedra não tem culpa de o ser. Limita-se a sê-lo sem perceber que o é.

Mas pelo menos escreveste "cu" sem acento, tens direito a uma bolacha.

Anónimo disse...

benfiquista a serio,

caro eter,

concordo plenamente consigo. o gaitan é do tipo de jogadores que desiquilibram completamente uma equipa. uma equipa vencedora tem de defender e atacar com todos, quando um não faz a sua parte desiquilibra a equipa e destoi o trabalho dos outros. se gaitan não mudar essa atitude nunca será um grande jogador ( ele tem tecnica suficiente para se tornar num bom jogador mas se não mudar a sua atitude será um novo Roger que passou ao lado de uma grande carreira). não percebo como num clube como o benfica ninguém veja isso, inclusive o mestre da tatica não perceba que com este tipo atitudes, as tacticas saiem sempre furadas.

Bcool973 disse...

Fosmix, tanta coisa contra o gaitán no jogo em que ele até trabalhou mais e nem uma palavrinha sobre o gordo que fez um jogo miserável, não apoiou nada e tirando uma corridinha perto do intervalo nada fez. eu sei que dá a impressão que não se esforça, mas vendo ele colegas que pouco ou nada fazem, como foi no jogo do olhanense e são na mesma titulares, que tipo de mensagem esperas que os jogadores interiorizem ? Só gostava de saber se aplicas o mesmo critério de exigência aos outros jogadores. Eu confesso que me irrita mais certas displicências no momento de finalização que a questão do apoio, que ontem acho que deu enquanto teve pernas

Bruno Rocha disse...

Com todo o respeito, para a maioria dos benfiquistas, um jogador "à Benfica" é um jogador como Maxi Pereira. Ora, no meu entender, nada mais errado. Maxi é um jogador com uma entrega ao jogo incrível, nada se lhe pode apontar em termos profissionais, é também um excelente companheiro e bastante correcto e leal dentro de campo mas tem, efectivamente, um enorme problema: falta de qualidade para jogar no Benfica. É um jogador muito limitado e defensivamente fecha muito mal por dentro. Além do mais, sempre que apanha um jogador rápido pela frente, é um problema.
Quanto a Gaitán, pode não ter tudo aquilo que Maxi tem mas tem uma coisa que poucos que por aqui passam têm: um talento incrível e uma capacidade para transformar um simples lance em algo genial. E esses, por muito que custe a muita gente, fazem falta ao Benfica ou a qualquer grande equipa. Já agora, lembram-se de como era Di Maria e como é agora? Pois bem, eu fui daqueles que fiquei eufórico com a sua contratação e sempre (mas sempre) o defendi!

Cumprimentos

jose garcia disse...

Gaitan é um grandíssimo jogador, que ainda tem muito para aprender.

Estamos todos frustados com a merda de jogo de 4ª feira, mas parece-me algo injusto cair-se em cima do rapaz desta maneira... até porque, se for para bater, há muito mais por onde pegar, infelizmente...

Abraços

DeVante disse...

E se formos aplicar o mesmo a Bruno César? Porque será que ninguém diz que o Bruno César defende ainda menos que o Gaitán e tem ainda menos genialidade que o Gaitán? Algum dia ele marcaria aquele golo no antro da corrupção?

Mas isso é bom sinal, afinal foi assim com o Di Maria, que era "inconsequente" e "brinca na areia"...hoje destila inconsequência e não pára de brincar na areia de San Martin...

Para vós, "jogador à Benfica" deve ser Bruno César, porque embora não correndo um palmo de terreno, não pressionando ninguém e não fazendo nenhuma recuperação, não deixa de "agradecer os adeptos nos finais dos jogos"...

Éter disse...

Não sei a que propósito é chamado o Bruno César à conversa, até porque tem apenas três meses de futebol europeu e no Brasil, como é sabido, pouco ou nada defendia (aguardemos pela próxima época dele para tirar conclusões). Mas isso acaba por ser um bom exemplo do que diz o JNF ali atrás. Parece que todos os jogadores podem ser atacados sem dó nem piedade menos o desgraçado do Gaitán, porque ele é um menino especial, coitadinho. Ele nunca faz nada errado, são sempre os outros. E depois já faltava a conversa do puto que justifica aos pais ter tido 10 num exame com a elevada percentagem de chumbos nessa mesma prova, preferindo omitir que também houve 17s e 18s. Compreendo, é mais fácil e é tipicamente português.
No fundo, quem tanto o defende dessa forma acaba por tratá-lo como se ele fosse um atrasado mental inimputável.

O actual nível de exigência em relação a jogadores do Benfica roça a deprimência, é o que é. Há um gajo qualquer que faz uns malabarismos com a bola e já é o mais melhor maior do mundo.

Não foi com prima-donas como o Gaitán que o Benfica chegou a duas finais dos Campeões Europeus nos finais dos anos 80, não me lixem.

Bcool973 disse...

O Paulo Burro, hoje seleccionador, era um jogador muito esforçado, mas não é só com jogadores desses que se chega a uma final, é preciso ter talento e consequência, continuo na minha, acho que o gaitán não pode no jogo de 4.ª ser acusado de trabalhar pouco defensivamente, e foi por isso mesmo que estoirou prematuramente, vejam a exibição que ele vez em "Trazon" onde defendeu muito menos e limitou-se a aparecer a desperdiçar jogadas atrás de jogadas. Essencialmente eu acho que ele deve ser trabalhado para ser mais consequente e mais desequilibrante, obviamente também para ser mais solidário, mas preocupa-me mais ainda a falta de consequência - tem 1 assistência por jogo na liga dos campeões, tendo falhado golos incríveis. é um jogador para ser trabalhado, o que não quer dizer que não devesse fazer umas passagens pelo banco para ganhar mais humildade, ele juntamente com o gordo que parece-me que já se está a aburguesar

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.