Twente 2-2 Benfica

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Um golo sofrido a frio não fazia antever nada de bom. Porém, o Benfica reagiu muito bem e virou o resultado. A segunda parte poderia ter sido mais calma, mas uma substituição de Jesus entregou o jogo aos holandeses. E aí brilhou Artur. E depois brilhou o árbitro e o árbitro de baliza e o raio que os parta.


Artur: o grande responsável por o Benfica não ter perdido.

Pietra: jogou com uma máscara do Maxi na cabeça (daquelas que os gajos da Missão Impossível usam) mas infelizmente as pernas já não respondem como nos anos 70. Espero que o Maxi volte depressa das férias. Não compreendo como é que alguém diz que este plantel é completíssimo quando não há um lateral direito para fazer concorrência ao Maxi.

Luisão: abaixo do nível habitual. Incrível o espaço que deu no primeiro golo deles.

Garay: bem mais sereno e concentrado do que Luisão.

Emerson: não gostei.

Javi: lentíssimo, pesadão, um buraco no meio-campo. Já contra o Gil Vicente não tinha gostado, mas hoje foi muito pior. Acorda, hombre!

Witsel: penso que é claramente "o" reforço da época. Fundamental nas transições, muleta de Javi a defender e parceiro de Aimar a atacar. Tudo com grandes pitadas de classe, como é exemplo o passe para Nolito encostar.

Gaitán: pior que em Barcelos era impossível, mas também não foi muito melhor. Um jogo no banco não lhe faria mal nenhum, antes pelo contrário.

Aimar: o exemplo perfeito do que deve ser um profissional de futebol. O nome e a carreira não o fazem deixar de suar dentro do campo. Pena que já não dure 90 minutos porque assim o Benfica só joga 60 ou 70 minutos.

Nolito: aquele toque de bola muito curto continua a fazer miséria nas defesas adversárias. Não consegue parar de marcar golos mas podia ajudar um pouco mais o defesa esquerdo. Teve uma recepção de bola absolutamente deliciosa nos últimos minutos de jogo. Tem uma atitude competitiva que deveria contagiar mais alguns dos seus colegas.

Cardozo: muito lutador, segurou imensas bolas, golaço, participação activa e importante no segundo golo. Uma merda, dirão alguns...

Ruben Amorim: entrou para dar mais consistência ao meio-campo e ajudar Maxi nas tarefas defensivas. Não conseguiu.

Saviola: percebo que Cardozo não tenha pique. Não posso dizer o mesmo em relação a Saviola. Deu ideia de que era o único jogador em campo que estava agora a iniciar a pré-época. Se desde a época passada o seu rendimento já não é o melhor ao lado de outro avançado, então sozinho na frente torna-se confrangedor.

Matic: entrou bem mas deveria ter entrado muito mais cedo para o lugar de Aimar, fazendo Witsel subir no terrreno.

6 comentários:

Luis Pepe disse...

Concordo em pleno com as análises individuais. Também não gostei de Emerson... continuo a achar que Capdevilla está a ser vítima da casmurrice de JJ.

Mentiroso disse...

Com o resultado favorável e a perdermos o meio campo, Matic deveria ter entrado muito mais cedo.

Concordo com a tua análise sobre a forma de Maxi e Saviola. Demasiado lentos. Rodrigo e Nelson Oliveira (Mora é o mais rápido de todos mas não entra nas contas) têm uma palavra a dizer na dinamização daquele ataque.

Marco disse...

Ponto 1 foi um erro começar a época com o Jesus. Só com ele é que Amorim que não faz a pré época é titular e é a 1ª opção a sair do banco. Assim que entrou o benfica deixou de pressionar, pelo menos o pouco que fazia, passou a encostar-se à área e a aguardar o ataque do Twente. Com Jesus dificilmente seremos Benfica.

DeVante disse...

Completamente de acordo com TUDO!!!

Jotas disse...

Na minha opinião, foi jogo que teve um Benfica com bons momentos e outros que revelaram algumas fragilidades defensivas preocupantes.
Se por um lado, se viu um Benfica forte e criativo no ataque, com belos momentos ofensivos, onde se destaca a jogada do 2º golo, Por outro lado revelou imensas dificuldades em estancar o jogo ofensivo do adversário, especialmente no meio campo, algo que já havia sido visto em Barcelos e que é urgente melhorar.
De qualquer modo, julgo que se viu um Benfica personalizado, que reagiu sempre muito bem aos revés do jogo, não se podendo esquecer, que isto é uma eliminatória a duas mãos e como tal, é também normal que a vencer ao intervalo, o Benfica se tenha preocupado em defender a vantagem no marcador, muitas vezes foi Jorge Jesus acusado de não o fazer, o resultado esse, abre excelentes prespectivas para o jogo da Luz.
Cardozo mais uma vez a dar um bofetada aos seus críticos ferozes, recordando eu que nas últimas duas épocas fez 61 golos e não presta para as más línguas, imagine-se se fosse goleador.
Artur foi gigante e isso é muito importante para que a equipa confie no seu guarda - redes.

Miguel Sousa disse...

TEMOS INVENTOR: O Homem (Jorge Jesus) inventa que se farta.
Tem vindo a dizer desde o inicio da época, que agora tem mais soluções que no ano (época) passada. Se assim é porque faz adaptações?, tipo Gaitan no corredor (ala) direito, flectindo para o centro, quando este, a exemplo da época passada fazia e muito bem o corredor esquerdo, ficando o lado direito entregue a Salvio. Se na verdade quer utiliza-lo no lado direito, deixando o lado esquerdo para Nolito (que também flecte para o centro) poderá se assim o entender, fazer alternância dos dois (Ora na direita ora na esquerda).
Ao fazer esta adaptação, deixa de servir o ponta-de-lança (Cardozo) que vê-se na obrigação/contingência de vir buscar a bola ao meio campo, para poder ser útil a equipa, sendo este um jogador pesado, que não é veloz (rápido) dificilmente poderá ser útil á equipa como matador que efectivamente é (a época passada é prova disso).
Se o Sr. Inventor quer uma equipa produtiva (criativa), sem Cardozo, deverá prescindir de Axel Witsel em prol de uma equipa mais ofensiva sem invenções ou adaptações, composta do meio campo para a frente por: Javi Garcia, Witsel ou Matić (trinco), Enzo Pérez (flecte para o centro) ou Urreta (Um puro ala que faz melhor que Jara o lado[ala] direito), Pablo Aimar ou Bruno César no meio, Gaitan no lado esquerdo (onde rende mais e como tal mais útil à equipa), Nolito ou Urreta (adaptado) depois no ataque Nolito (centro esquerda) e Saviola (centro direita), jogando assim no esquema 4X4X2. De salientar no ataque ao contrário do que dizem, tem alternativas bastante válidas (Nelson Oliveira, Óscar Cardozo e Rodrigo), sem contar ainda com Jara (muito batalhador) e Rodrigo Mora que não conseguiram ou dificilmente conseguem lugar neste “Benfica 2011/2012”.
Para segurar o resultado e segurar o jogo a meio campo prescindindo da criatividade, terá que contar em definitivo com o excelente jogador que é Axel Witsel.
Em resumo uma equipa com claramente mais soluções que a época passada não tem necessidade de acabar os jogos a sofrer ou com a angustia de perder o desafio (Gil Vicente e Twente). SEM INVENÇÕES CONSEGUIREMOS SAIR VITORIOSOS EM QUALQUER JOGO OU EQUIPA QUE ENFRENTAR-MOS.

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.