Porque é relevante discutir o patrocínio das Camisolas do Benfica?

domingo, 16 de maio de 2010

Na sequência de um comentário do GB aqui no blog, apelando a que se esqueça esta questão (obrigado GB pela visita e confronto de opiniões), resolvi escrever mais umas linhas em relação à questão das camisolas.

Como sabem o contrato foi negociado com a PT em 2005 por 5 anos consecutivos, até 2011 (TMN era uma empresa à parte e Meo não existia) - segundo o que sabemos por 25 Milhões de Euros - 5 Milhões/época.

Só 3 anos depois chegaram as novidades "TMN e Meo". TMN foi colocado aquando da alteração da identidade corporativa da marca. Meo surgiu no mesmo ano de 2008 e também tivemos Sapo (um logo verde que nunca pensei ver na nossa camisola...). Nesse momento, alguém aprovou o azul, o preto, o verde e as alterações.

Se me disserem que em 2008 a PT pagou mais X especificamente para ter o logo corporativo TMN ou a possibilidade de colocar múltiplas marcas, eu percebo a legitimidade dele lá estar (não percebo o clube ter aceite).

Pelo menos eu não conheço as condições detalhadas do contrato e se previa alterações, mas uma coisa é certa... No momento da assinatura em 2005 a camisola tinha logo PT em linha ou em quadrado, não havia Meo, TMN era independente do Grupo PT.

Se estamos a falar dos mesmos 5 Milhões de Euros por época, o clube tinha legitimidade para contestar e negociar a sugestão da PT  de diversificação.

De qualquer forma, o contrato acaba esta época que começa agora. Se não houver alterações este ano, o resultado será perda de vendas de camisolas para o nosso clube (e se tinhamos capacidade apenas para vender meia dúzia de camisolas em 2005, agora não é bem assim... os adeptos demonstram significativa intenção de procura)

Se nada mudar este ano, os Benfiquistas terão dado um sinal inequívoco ao clube de que nesta temática a estrutura tem de ser mais exigente, como aliás está já a ser na questão da Benfica TV na Zon ou como foi no passado em relação à relação Benfica - Galp Energia (onde a nossa imagem ainda não está presente, porque a Galp não apresenta contrapartidas por usar a marca Benfica).

Todas estas iniciativas, manifestações de desagrado e outras "paneleirisses", se não tiverem repercussões hoje, terão em 2011, ano de nova negociação contratual.

Só para relembrar: A camisola é uma das componentes de identidade mais relevante do nosso clube, um elemento de ligação entre a equipa e os adeptos. É do clube e serve o clube. O ajuste terá sempre que ser do patrocinador, o elemento estranho ao clube, com quem teremos sempre uma relação temporalmente finita.

10 comentários:

Valco disse...

Eu assinei a petição contra a mancha azul na camisola.
Com aquela nódoa azul eu NÃO compro a camisola. Da minha parte, é um cliente a menos. Talvez o clube ou a tmn não se importem.
E afirmo, ainda bem que não sou cliente tmn, e com esta falta de respeito para com o SLB, não serei cliente da tmn.
Da parte do Benfica, o clube tem que se respeitar a ele próprio primeiro para que os outros o respeitem.

Manuel Oliveira disse...

Caro Luís Rosário, não o conhecia antes de entrar neste espaço que visito diariamente e que designava como do amigo Éter que tenho o prazer de conhecer pessoalmente. Vi que já me visitou e comentou, o que agradeço.
Quanto ao tema do post, concordo com o que foi dito e espero, aliás tenho quase a certeza, que o Benfica saberá negociar muito melhor no futuro. Temos actualmente um Director Financeiro competente, o clube já não está tão mal para aceitar todas as exigências dos patrocinadores e somos campeões. Tudo isto dá-me garantias de melhores negociações futuras.
Abraço glorioso.

GeracaoBenfica disse...

Meu caro, eu não disse que esta é uma questão para esquecer, porque na minha opinião - e conheces bem o GB - não há qualquer tema que não mereça uma opinião, por muito discordante que seja.

O que acho é que não vale a pena apelar a situações complementamente estereis em termos de decisão.

Vamos a factos:

1. O contrato está em vigor, logo é para respeitar. O que podes criticar não é a não renegociação do mesmo, mas a propensão da Direcção para negociações de longo prazo quando sabemos que estamos a trabalhar para um Benfica cada vez maior... logo estaremos a perder potencial de negocio.

2. A parceria da PT com o Benfica vai muito além da camisola. Envolve o namming de duas bancadas, as camisolas e... (ESPECIALMENTE) o Canal BenficaTV.

Neste ultimo ponto, chamo a tua atenção para o papel que a BTV teve para o desenvolvimento do MEO, é certo, mas também na necessidade de viabilização financeira do projecto, que ficou inteiramente a cargo da PT (através do MEO).

Assim sendo, e porque os negocios têm sempre duas partes interessadas, o que acho é que é absolutamente irreal falar em renegociações com base... na cor do simbolo.

Imaginas quanto não vale para a PT o destaque brutal que a cor azul tem na camisola vermelha???? BIG BUCKS!!!!

Éter disse...

É um assunto complicado. Eu desconheço os termos do contrato com a PT, e o Benfica até pode estar obrigado a ter lá o rectângulo azul e não ter qualquer margem negocial neste momento.

Como o Geração diz, e bem, ter contratos de longo prazo foi óptimo no início, porque permitiu grande entrada de capital, mas foi mau nos últimos anos, porque a marca Benfica tem-se valorizado a um ritmo assustador e quase de certeza que neste momento o Benfica não está a receber o valor justo por parte da PT.

Mas a minha grande questão é sempre a mesma: se o Liverpool se recusa a ter o verde da Carlsberg e o Manchester o azul da AIG, por que raio há-de o Benfica levar com o azul da TMN?

GeracaoBenfica disse...

Vê o que escrevi sobre o tema aqui:

http://geracaobenfica.blogspot.com/2010/05/luis-filipe-vieira-volta-tramar-luis.html

ZePissa disse...

Nunca o Benfca teve tanto poder de negociacao como agora, se a direccao quiser retirar o azul nao vejo qq problema. a relacao com a PT e' de uma parceria estrategica, se o azul tras problemas para ambas as partes rapidamente se faz uma emenda ao contracto - problema menor.

Para mim e' uma questao de identidade e o nos nao deviamos deixar alterar um dos simbolos maiores do nosso clube - a nossa camisola!

vao ver as camisolas antigas, da FNAC, CASINO ESTORIL, etc e vejam o tipo de logos que se adaptam 'a comisola, nao o contrario!

Carrega rumo 'a europa :)

Éter disse...

Tenho uma camisola com o patrocínio da Fnac.

Coisa mai' linda!

Luis Rosario disse...

GB,

A questão chave que me levou a escrever estas linhas no Céu...

Se ninguém falar disto, se ninguém se revoltar com o atentado ao manto sagrado, ninguém no Benfica saberá que esta questão incomoda o adepto e terá de ser acautelada no futuro (já para o ano).

Em relação a esta temática, penso que os blogs Benfiquistas estiveram muito bem em destacar o que de errado se passa com a nossa camisola, pelo que é expectável revisão desta questão em 2011/2012 (a PT é parceiro estratégico, mas concerteza será sensível a argumentos do SLB, não?)

Arsène Lupin disse...

É preciso ter algum cuidado quando se fala destas questões.

Em primeiro lugar, é preciso acertar nas coisas que se diz que sejam conhecimento público. A TMN sempre fez parte do Grupo PT.

Por outro lado, é preciso ter em conta que (e muito bem...) nós adeptos não sabemos todos os detalhes de todos os contratos do clube com os seus patrocinadores, fornecedores, etc.

Concordo com o GB quando diz que o azul da TMN vale bastante dinheiro. Se preferia que ele não estivesse lá? Idealmente, preferia, claro. A questão é: qual é a contrapartida?

Não considero que estejamos em posição de dizer com certezas que era "melhor" ou "pior" que o azul lá esteja sem sabermos qual é a contrapartida, financeira ou não.

Podemos, e é legítimo, dizer que gostávamos mais sem o azul. Aí, estou inteiramente de acordo.

Luis Rosario disse...

Caro Arsène Lupin,

Obrigado pelo comentário. Percebo a sua referência "é preciso acertar..."

Admito que "TMN era independente do Grupo PT" possa ser mal interpretado.

Curtei nas palavras para dizer que TMN era gerida de forma independente do Grupo PT, tinha estrutura de gestão autónoma e em Iriarte Esteves um Presidente da Comissão Executiva com plenos poderes para tomada de decisões na empresa, que não necessitava do aval da estrutura da PT.

A integração da TMN e da PT Comunicações no Grupo PT ocorreu em 2006 (na altura apenas uma re-estruturação societária).

A efectiva integração da TMN e PT Comunicações na PT Portugal (com partilha de gestores e focalização na convergência da oferta) surgiu apenas em 2008 (altura onde começámos a ter as camisolas com as diversas marcas do grupo PT e onde as nossas bancadas passaram de Sapo e PT para Meo e TMN).

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.