Por uma questão de coerência

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A gripe de última hora que afastou Urreta da convocatória do Guimarães é uma coincidência tão absurda quanto as "lesões" de jogadores emprestados pelo foculporto a outras equipas em vésperas de jogo contra o foculporto. Não me sentiria bem ao estar sempre a refilar quando isso acontece e agora fingir que não se passou nada.

10 comentários:

Henrique disse...

As regras deviam ser clarificadas. Se é para andarem com estes esquemas mais vale que esteja escrito que um jogador emprestado não pode defrontar o seu clube. E assim acaba-se com estas palhaçadas.

Mar de Chamas disse...

Até podia achar que tinha sido um arranjinho e isso iria-me deixar bastante chateado, mas qual seria o interesse para o Benfica deixar de fora um jogador que em quase 4000 minutos de futebol esta época apenas jogou 40 min?

Posso até estar a ser anginho, mas não aconteceu com Nuno Coelho, Faria e o ano passado com Nelson Oliveira e acontecer com ele que infelizmente não tem jogado, estranho não?

Carlos disse...

Há um país onde é proibido emprestar-se jogadores a clubes da mesma divisão. Era uma maneira de acabar com a teia montada pelo Porto.

Éter disse...

Foi titular nos dois últimos jogos do Guimarães depois de ter recuperado da lesão. Mas é legítimo pensar-se que neste nem para o banco ia. Aceito essa opinião mas não a compro.

Danilo Oliveira disse...

Concordo em absoluto Eter.
É nojento o que se vai continuando a fazer neste futeluso... e mais ainda quando somos nós a fazê-lo. Não aceito uma coisa destas aos outros, quanto mais a nós.

A ideia do impedimento de empréstimos de jogadores entre clubes da mesma divisão iria resolver algumas coisas neste antro futebolês, de entre elas a concorrência desleal que alguns clubes fazem e a megalomania de certos dirigentes acabava na hora.

Mas os clubes pequenos sobrevivem muitas vezes à custa disso e por isso nunca vão alinhar numa reforma que vá nesse sentido. Temos o futebol que os clubes querem e infelizmente eles querem "isto".

Tiago disse...

Éter.

É de salutar o post que fizeste, penso da mesma forma que tu, no entanto, se tivesse jogado e se por alguma (in)felicidade ou outra acontecesse algo, existiriam sempre acusações duvidosas! Lembro-me num jogo entra a Olhanense vs fcp do Ventura (se a memória não me engana) de esr titular e de sofrer um golo que levantou muita dúvida, mas se não tivesse jogado, teriam dito que tinham deixado o melhor GK de fora para "abrir" as pernas ao resultado do jogo.

Assim sendo, acho que mais valia existir a lei que proibisse jogadores emprestados de jogar contra o seu clube do que jogarem e depois existirem "promiscuidades"...

Jotas disse...

Concordo em absoluto, daí eu defender que é urgente a Liga criar regras claras para empréstimos, limitando por exemplo o nº de emprestados a equipas que jogam o mesmo campeonato.

Éter disse...

Não me parece que os clubes pequenos aceitem a proibição de se emprestar jogadores a clubes da mesma divisão. É uma forma de ajudar à construção do plantel sem qualquer encargo e eles não se importam que esses jogadores não possam jogar contra quem os emprestou, porque o campeonato deles é contra os outros clubes pequenos.

Hattori Hanzo disse...

Percebo que em termos financeiros seria pior para os clubes mais pequenos, mas numa questão de verdae desportiva e para que não acontecessem estes casos ou dúvidas penso que seria melhor o não empréstimo a clubes da mesma divisão. Claro que por outro lado poderia acontecer quase o oposto: um clube receber na Vitalis vários emprestados e depois ao subir não ter plantel e ter de reconstrui-lo.

Henrique disse...

Ontem esqueci-me de dizer que dou bastante valor ao Sporting neste aspecto. Os emprestados jogam sempre e normalmente até lhes marcam golos.

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.