Vem aí o mês que vai ditar a época

sábado, 30 de Outubro de 2010

Lamentavelmente estivemos fora este fim-de-semana (eu ainda estou, mas tenho agora uns minutos para escrever enquanto espero pelo avião), pelo que não conseguimos actualizar o blog.
Não vi o jogo, já vi um resumo no Youtube onde sobressaiu claramente o golo do Aimar, o contraste entre a confiança do Roberto e a descrença do Saviola e a importância do Fábio na nossa equipa.

Globalmente pareceu-me tranquila e justa a vitória, vi um resumo de 5 minutos, li uns posts que comprovam isso e portanto adiante.

Novembro!

Foculporto, Naval, Beira Mar para a Liga
Braga para a Taça
Lyon e Hapoel T para Liga dos Campeões
Angola para o Campeonato do Financiamento

Um mês absolutamente crítico que definirá muito do sucesso da época em curso.

Primeira Semana de Novembro!

Lyon e Foculporto
É destas semanas que o Benfiquista gosta. Os grandes desafios, as grandes batalhas.

Vamos esquecer por um momento Angola, reforçar espírito de equipa, elogiar os adversários que têm estado melhor que nós e preparar-nos para a semana da época.
Duas vitórias seria mágico, mas ficaria muito satisfeito com a vitória em casa e o empate no Porto.
Precisamos para isso de muita humildade, espírito de sacrifício e entre-ajuda, de uma estrutura defensiva ao seu melhor nível, de um meio campo seguro, de um ataque inspirado e de um treinador muito racional, aspectos que só têm aparecido a espaços.
Precisamos do melhor Benfica e do melhor Jesus desta época para ultrapassar estes 2 adversários. Vamos fazer de Novembro um mês de grande sucesso para o SLB!

O amiguinho

quinta-feira, 28 de Outubro de 2010


Se se confirmar o cenário de greve (o que obviamente não vai acontecer), proponho ir buscar este senhor à reforma para apitar douradamente o próximo foculporto-Benfica.

Pelo menos este já deu a cara pelas suas convicções e saberíamos ao certo com o que contar. Aliás, não deu a cara mas sim a voz.

Sempre em frente, sempre em frente.

Quem?!

Deve ser a primeira vez que há um árbitro escolhido para um jogo do Benfica do qual eu nunca ouvi falar.

Mas quem é este Bruno Esteves? Um cão de fila do Jorge Sousa para preparar dia 7?

Confere

quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

Hulk foi um jogador banal nos jogos que fez na época passada.

Hulk agrediu stewards.

Hulk quis uma bola só para ele.

Hulk foi castigado por ter agredido os stewards.

Hulk choramingou e reclamou em todos os lances em que perdeu a bola.


Na época seguinte, o foculporto atribui-lhe o dragão de ouro para jogador do ano. Confere...

Encomendar o banho de humildade a quem?

Mário, és o maior, foste um grande capitão, uma lenda... o Eusébio tratava-te por Sr. Coluna, foste um Monstro Sagrado, ganhaste tudo o que havia para ganhar pelo clube, muitas vezes jogaste lesionado e sacrificaste-te em prol do clube, foste uma das maiores e mais incontornáveis figuras de todos os tempos do Sport Lisboa e Benfica.

 Vamos-te dar o prémio de maior mérito do clube, porque foste simplesmente um dos maiores. O que tens a dizer sobre isso?


O SLB é isto. É isto que se espera nas pessoas que estão no clube e o servem. O elogio vem de fora, a humildade tem de vir de cada um. Só partilhando este valor com o clube podemos dizer que somos o Benfica.

Por aqui estamos um pouco fartos do auto-elogio...

Foi um lapso, certamente

Manuel Vilarinho coloca-se a si próprio entre os cinco melhores presidentes da História do Benfica, a par de nomes como Joaquim Ferreira Bogalho, Fernando Martins e Ferreira Queimado.

Com certeza que o Dr. Vilarinho, por lapso, esqueceu o que fizeram pelo clube nomes como Rosa Rodrigues, Félix Bermudes, Conceição Afonso, Eng. Vieira de Brito, Dr. Fezas Vital ou mesmo João Santos (que nos últimos anos de mandato viu a sua imagem ser denegrida pela comunicação social pelo ataque sem tréguas que movia contra o corrupto do norte).

Nada que um banho de humildade e uma consulta aos livros não resolva.

Como se resolvia a questão do Orçamento

Neste momento, uma certa figurinha deve estar a olhar para o panorama político e a pensar o seguinte:

Estes gajos do governo são muito meninos. Se fosse eu já tinha arranjado maneira de enfiar o Passos Coelho numa casa de putas e depois tirava-lhe fotos comprometedoras. Ou então mandava darem uma carga de porrada num gajo qualquer do PSD para os pôr em sentido.

Estrebuchamento

As Associações de Futebol andam louquinhas da vida por verem o poder fugir-lhes das mãos mas acabaram de levar uma valente marretada. Espero que os mafiosos do futebol português compreendam, de uma vez por todas, que vão ter que alterar os estatutos da Federação.

E o decrépito Lourenço Pinto escusa de continuar a ameaçar colocar criancinhas equipadas a rigor em frente à sede da Federação como forma de protesto. Só mesmo um ser humano desprovido de escrúpulos é capaz de utilizar crianças nas suas maquinações para manter o poder.

Invictos

terça-feira, 26 de Outubro de 2010



Não percam. É daqui a pouco, às 21h30m. Simplesmente o melhor programa da Benfica Tv.

A minha noção de prestígio é um pouco diferente

Li algures por aí que o Benfica faz muito bem em ir a Angola porque isso dá prestígio. Eheheheheh! Isto parece uma daquelas alarvidades que o presidente corrupto expele e toda a gente faz continência.

Realmente dá um prestígio do caraças lamber as botas a uma ditadura disfarçada de democracia. Portanto, o reino da família dos Santos, um dos países mais corruptos do planeta, agora é uma democracia. Essa é boa.
Prestígio dá ser campeão português, conquistar a Taça de Portugal e fazer boas campanhas nas provas europeias. O Benfica hoje é conhecido mundialmente por aquilo que conquistou dentro dos relvados e não por visitas a outros países. Esse género de visitas são importantes, sim senhor, mas há alturas próprias para as realizar. Durante a pré-época e nunca inseridas a martelo no meio do calendário oficial.

E já agora preferia que se assumisse claramente que Angola é um parceiro económico estratégico do Benfica e que esta visita está inserida nessa relação. Agora quererem mandar areia para a cara das pessoas é que não.

Aproveitar para recordar esta notícia de 2009:

A equipa de futebol do Belenenses de Portugal chegou domingo ao país, onde vai distinguir, na segunda-feira, o governo angolano com um diploma de honra pelos feitos que tem realizado nos últimos tempos em prol do desenvolvimento do desporto no país e no continente africano.

Gostava de saber o que pensam as pessoas que nessa altura criticaram o Belenenses por ir fazer uma operação de charme a Angola e tentar recolher apoios financeiros nas vésperas de um jogo contra o foculporto, e assim não ter tempo de preparar convenientemente esse encontro, e que agora dizem que o Benfica faz muito bem em ir e que dois dias são suficientes para preparar o jogo contra a Naval.

Se é verdade que em 2009 o Belenenses escolheu uma bela altura para ir a Angola e baixou as calças ao foculporto, não será menos verdade que agora o Benfica, aliás, que a Benfica SAD baixou as calças ao governo angolano.

Confere

O mais recente relatório da Transparência Internacional revela que Portugal é um dos piores países europeus no combate à corrupção. Os principais motivos apontados para isto são:

- leis invariavelmente herméticas e cheias de regras que ninguém compreende e excepções por forma a obedecer muitas vezes a este ou aquele grupo

- leis que atribuem um ilimitado poder arbitrário a quem as administra

- o aparelho da Justiça não funciona e apresenta resultados praticamente nulos


É engraçado como estes três pontos conferem totalmente com o processo Apito Dourado.

Indispensável para assistir às conferências de Villas-Boas


O rapazito ganha por 5-1 e mesmo assim lá vem o Benfica à baila. É impressionante!

Uma pessoa normal ouve isto e tem duas opções: mija-se a rir ou então vomita.

A Benfica SAD tem um novo elemento

O rumor surgiu há alguns dias, mas a confirmação oficial apenas veio hoje. O Benfica vai mesmo viajar até Angola (que como todos sabemos fica a meia horita de carro de Lisboa) para participar nas comemorações da independência desse país. Ora isto deixa apenas dois dias de treino para preparar o jogo contra a Naval, já para não falar do desgaste do jogo e das duas viagens.
É com agrado que vejo um Benfica forte e confiante no campeonato, cujos 20 pontos de avanço lhe permitem embarcar neste tipo de festarolas sem pensar duas vezes...

Bem sei que a Isabel dos Santos já opina bastante em vários sectores da vida portuguesa e que tem cada vez mais influência em grandes empresas, mas...

Por acaso a moça faz parte da Benfica SAD e ninguém nos disse nada?

Teatrinho da Ribeira apresenta...

segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

Está quase a começar mais uma peça de teatro no dragay. O problema desta peça é que nos querem fazer crer que ela varia de semana para semana mas, se repararmos bem, o guião é sempre o mesmo, o que acaba por defraudar o espectador.

Vai chegar o dia em que uma equipa se vai apresentar em campo com os juniores quando defrontar o foculporto e toda a gente vai achar isso perfeitamente normal.

Manda quem pode, obedece quem tem juízo, já dizia esse grande poeta popular chamado António Araújo.

É isso mesmo, Rui

O Benfica vai estar pronto para o desafio, mas é pena que ficará pelo caminho uma das mais importantes equipas do país.

Em vez de um discurso de peito inchado e arrogante, esta frase revela humildade e respeito pelo adversário. E por isso não dá pontos à filial de Braga, não dá azo a que o Choramingas chegue ao balneário e diga aos jogadores que os responsáveis do Benfica os menosprezaram, dando-lhes assim motivação extra. Pelo contrário, amacia-os, fá-los sentirem-se importantes.

O Rui Costa sabe muito sobre como pensam os jogadores e sobre como se motiva e desmotiva um balneário. Devia falar muito, muito mais do que aquilo que fala actualmente.

Braga na Luz para a Taça

Um sorteio pouco interessante. Os objectivos são todavia os mesmos - a festa do Jamor.

E como no caminho até lá todos têm que cair, excepto 1, que seja já o Braga então.

6 jogos entre equipas da primeira liga nesta fase deve ser inédito... Pena não se poder ver mais a festa da Taça em casa dos clubes mais pequenos nesta fase. Mas pode ser que um lhe saia a sorte grande e chegue à final com o SLB.

Filial corrupta de Portimão 0-1 Benfica

Entrada algo mole do Benfica, que permitiu cerca de 10/15 minutos de excitação à mais jovem filial do foculporto na primeira divisão. A partir daí os jogadores do Benfica aperceberam-se de que o jogo já tinha começado e decidiram jogar à bola. O golo logo a abrir a segunda parte permitiu controlar totalmente o jogo e o resultado acabou por ser tremendamente escasso para a quantidade de lances de golo criados. Os avançados bem podiam ter horas extra de treino de finalização.


Roberto: muito seguro no pouco trabalho que teve, o que por vezes não é fácil. Está a melhorar bastante nas saídas da baliza para socar ou agarrar a bola.

Maxi: à semelhança do jogo em Lyon, será fácil dizer que Maxi jogou mal. No entanto, e novamente à semelhança do jogo em Lyon, Maxi esteve completamente sozinho no corredor direito. Aimar e Martins, que se iam revezando no lado direito, pura e simplesmente ignoraram as tarefas defensivas. Assim é muito fácil dizer que Maxi está uma nódoa, mas a culpa não é toda dele.

Luisão: pouco a dizer sobre a regularidade das exibições do capitão. Imperial como sempre, o líder da equipa.

David Luiz: esteve melhor do que aquilo que tem mostrado esta época, mas ainda longe do jogador da época passada. Merecia um golo para aumentar a confiança.

César Peixoto: defensivamente fez o seu trabalho, ofensivamente foi nulo.

Javi García: mais uma vez muito sozinho no miolo, mas como não havia ali Gourcuffs e Pjanics conseguiu disfarçar. Dá ideia de que o Javi tem alguma doença contagiosa, já que os colegas não gostam muito de se aproximar da sua zona, ou então julgam que ele é o Super-homem, Ah, o Javi corta essa bola, não vou lá. Ah, o Javi manda aquele gajo abaixo, não preciso de correr. Boa movimentação na área no lance do golo.

Carlos Martins: mais raça do que cabeça, quando se pede o contrário a quem joga na sua posição.

Gaitán: quase inexistente na primeira parte. Na segunda, depois do golo, a filial teve que abrir um pouco mais e aí pudemos ver alguns bons pormenores de Gaitán, entre os quais uma bola colocada redondinha na cabeça de Kardec. Flectiu muitas vezes para o centro do terreno, o que afunilou o jogo em demasia.

Aimar: só deu para ver o verdadeiro Aimar na última meia hora, quando o jogo estava mais aberto.

Saviola: continua inteligente nas movimentações mas tem falhado muito nos momentos de decisão, o último passe e o remate.

Kardec: apetece-me evocar um argumento muito utilizado quando se fala de Cardozo: o Cardozo não é nada de especial porque limita-se a empurrar a bola para a baliza. Se calhar não é assim tão fácil... Movimentou-se bem e segurou a bola sempre que foi necessário.

Menezes: entrou mais objectivo do que Carlos Martins, vê-se que tem boas ideias e toque de bola. No entanto continua a demonstrar uma exasperante lentidão de processos.

Jara: jovem, isto não é a malta do Sarandí. É o Benfica. Convém levantar a cabeça para ver se há algum colega a quem passar a bola, e já agora também para se enquadrar com a baliza.

Airton: porra, até que enfim!, pensou Javi.

Depois de dizeres isso, é melhor enfiares-te num buraco n.º 2

Pergunta do jornalista da Sport TV a Javi Garcia no flash interview...

"Agora Javi é esperar que o Porco perca pontos?"

Priceless... e provavelmente mais um jornalista para o desemprego.

Sondagem nº 21

domingo, 24 de Outubro de 2010

Luisão, Maxi, Javi e Martins. Cada um à sua maneira, todos jogadores importantes no onze titular. E todos com quatro amarelos. Qual será a melhor estratégia para gerir esta situação tendo em vista o jogo contra o foculporto? Pensar apenas jogo a jogo e colocar os quatro de início frente ao Paços? Deixar alguns de fora?

Sugestões para venda do Red Pass



Na minha memória ficou para sempre gravada uma ida ao antigo Estádio da Luz, onde jogávamos com o “fortíssimo” Estoril Praia às 3 ou 4 da tarde de um Domingo. Estava um calor daqueles e eu e o meu irmão estivemos 2 horas na fila, tipo sardinha em lata, a destilar com o meu pai, aflito pelos riscos que corria em nos perder no meio da multidão, para comprar o bilhete para ir à bola.

Lembro-me de pensar, ainda adolescente, como era possível os sócios serem tratados abaixo de cão. Entrámos 15 minutos depois da hora, para ver um jogo em que empatámos 1-1, com o golo do Estoril a ser marcado, nunca mais me vou esquecer, por um australiano chamado Tapay que desapareceu do panorama futebolístico tão rapidamente como entrou na Luz para marcar um golo ao glorioso (história que por certo vai contar aos netos).

Isto é felizmente passado. Agora temos o Red Pass, esse instrumento que mudou a vida de muitos dos sócios do Benfica e garante a antecipação de receita antecipada ao clube. A sua transmissibilidade permite adicionalmente que menos lugares de época comprados fiquem vazios, outro aspecto positivo.

Todavia, continuamos a vender apenas “meia dúzia” por ano. É uma questão que dificilmente compreendo, mas que vou tentar ajudar a optimizar, com algumas sugestões.

Já escrevi aqui que a definição de objectivos atingíveis é fundamental e que os benfiquistas continuam ainda sem saber quantos Red Pass estão vendidos e quantos são para vender este ano (o mesmo aconteceu nos anos anteriores). Como sabemos pouco à partida, as minhas sugestões seguem 2 pressupostos:

1: Parto do pressuposto (alguns se calhar pensam que é absurdo, mas ainda não vi comunicação do clube em contrário) que o Estádio é para encher sempre, se possível com sócios do Benfica e portanto o objectivo máximo seria vender 50 a 55000 Red Pass (ficando 10 a 15000 bilhetes para as borlas, lugares corporate e adeptos equipa contrária).

2: Tendo como verdadeiro o número de sócios pagantes (próximo de 200 mil), e partindo do pressuposto que 50% são de Lisboa, temos como base de potenciais "cativos anuais" 100 mil sócios (e não estou a colocar aqui pessoas como o meu irmão que está em Phoenix e tem cativo). Será preciso portanto uma taxa de conversão de perto de 50% dos sócios da zona de Lisboa para conseguir estádio cheio, todos os jogos, mas a base de angariação é grande. Já teve mais disponível (em Maio, Junho e Julho deste ano), ainda está por aí, mas para encher o Estádio actualmente as receitas têm de vir também de sócios fora de Lisboa.

As sugestões básicas:

1: A possibilidade de compra do Red Pass a prestações, por débito directo, é óbvia e devia já estar implementada, dados os constrangimentos financeiros aos quais a maioria dos portugueses está sujeito.

2: Uma das razões mais profundas para a “não venda” é os lugares disponíveis não serem os “ideais”. Existem muitos lugares para venda nos topos, mas nas centrais os lugares disponíveis são nas últimas filas, onde se vê menos bem. Conheço vários casos que me dizem “160€ para ver o jogo na fila AJ não dou… não vejo bem”. Donde é necessário ter outro nível de preço para o nível 3 superior, dividindo-o em 2 níveis (passaríamos a ter 3 nível superior, médio e inferior). Os sócios já com Red Pass nessa zona teriam um desconto no preço do Red Pass do próximo ano, para não serem prejudicados.

3: Red Pass família. É uma ideia óbvia também. Eu tenho 3 lugares, um deles é do meu filho, que tem 3 anos. Muitos há todavia que não asseguram lugares para mais familiares que são sócios porque não têm benefício por isso e os miúdos só vão ver a bola de vez em quando. 10% para o segundo Red Pass, 20% para o terceiro Red Pass, ajudaria a vender.

4: Red Pass Natal. “A prenda” para o sócio. Não é preciso dizer mais nada, pois não?

5: Colocar o Red Pass à venda sempre no final da época anterior, aproveitando o subsídio de férias e a “fome de bola” de Junho e Julho. Aplicar o principio das prestações aqui.

As sugestões menos “óbvias”:

6: Mudar a bilheteira principal do clube. Ter alguém a vender o Red Pass o ano inteiro, na bilheteira, com o preço do Red Pass actualizado jogo a jogo. Os funcionários deveriam tentar upselling em cada transacção, procurando que um sócio que vai comprar um bilhete levasse um Red Pass, que um adepto que vai comprar o bilhete levasse um kit de sócio.

7: Conseguir que cada casa do Benfica de fora de Lisboa consiga a venda de 50 Red Pass a correspondentes, a preços especiais (um autocarro). O objectivo é criar um grupo de sócios em cada casa que se desloque quinzenalmente à Luz, sempre para o mesmo lugar. Se não consegue ir, a casa arranja outro sócio e “devolve” dinheiro ao sócio que não pôde ir. Quantas casas do Benfica existem? Mais que muitas… Se 100 aderirem, são 5000 Red Pass. Parece fácil, não é?

8: Quando se faz o sorteio do lugar de ouro, no intervalo, entregar ao vencedor que não seja sócio ou tenha lugar cativo, essas duas benesses, em duplicado (para passar a trazer um amigo), pago pelo patrocinador do “Lugar de Ouro” - CGD. Mais 30 Red Pass por época.

9: Enviar, mensalmente, mail com referência multibanco para compra do Red Pass (sempre com valor actualizado) e permitam escolha postecipada do lugar, para se encontrar eventuais amigos ou, em alternativa, envio de informação por sms do lugar a ocupar no próximo jogo pelo clube, se o sócio não escolher.

10: Criar novos pontos de venda de Red Pass, com remuneração atractiva para esses canais, de modo a que seja feito esforço na venda e comunicação. Os parceiros estratégicos deveriam ser envolvidos nesta questão (BES, PT, Meo). Que sócio da zona de Lisboa rejeitaria a possibilidade, após instalar Meo em casa por causa da Benfica TV, de conseguir um Red Pass por 30 ou 40€ para o resto da época (mais uma vez com pagamento faseado)?

Como notas finais:

O nosso estádio é pequeno, para uma equipa e dinâmica como a que assistimos na época passada. 65000 lugares é curto para o SLB dominador. 50000 Red Pass deviam voar num instante e era expectável que houvesse lista de espera, após um ano de sucesso como o ano transacto.

Como obter resultados? É pensar no assunto, passar as ideias para o plano de negócio e fazer acontecer.

Acontece de tudo

Agora é uma lesão no jogador que tem mostrado melhor condição física e que dinamitava o lado esquerdo como ninguém. Assim é complicado.

E os ingleses até costumam ser inflexíveis nestas coisas

sábado, 23 de Outubro de 2010


Espero sinceramente nunca ver no Benfica um jogador emitir um comunicado a dizer que quer abandonar o clube e a querer imiscuir-se em assuntos da direcção e dias depois ser anunciada a renovação do seu contrato. Isto é o grau zero do decoro.

Este país mete-me nojo

sexta-feira, 22 de Outubro de 2010

Apesar de estarmos na Europa, em termos de direitos do cidadão e respeito pelo próximo este país assemelha-se mais a um Ruanda do que a uma Dinamarca.

Como é possível que neste caso nenhuma das empresas envolvidas não tenha a decência de dar o primeiro passo no sentido de procurar auxiliar o rapaz e seja necessário recorrer aos tribunais? Repito, como é possível?

O Benfica bem podia mexer-se e arranjar-lhe um advogado (há alguns na BenficaTv a coçar a micose e a debitar alarvidades que podiam aproveitar para dar uso ao diploma), porque se isto fica entregue ao Ministério Público o rapaz bem pode esperar pela indemnização.

Está difícil sair do “darkside”


Os meses de Setembro e de Outubro têm sido 2 meses de equívocos. Dei por mim a ver os últimos posts que escrevemos (mais os meus) e a perceber que têm saído muito mais posts negativos do que positivos, o que deixem que vos diga não me agrada nada (detesto falar sobre problemas, prefiro resolvê-los).

Obviamente que é mais fácil criticar (não é tão comum e fácil criticar com sentido e apresentando soluções como tentamos fazer aqui) que elogiar e que os resultados desportivos fazem obviamente balançar os posts entre loas aos êxitos e lamentos perante as falhas, mas no nosso futebol as coisas não têm efectivamente corrido bem.

E ontem à noite, confirmado hoje, comprova-se que irá acontecer aquilo que não foi evitado pela direcção do SLB… Alguém do Portimonense dizer que já tinha vendido 10000 bilhetes... Afirmando que ainda ontem a claque do Benfica tinha pedido 500 bilhetes... Que no fim-de-semana esperava-se casa quase cheia...

O presidente do Portimonense disse recentemente na Antena 1 que apesar de ter subido de divisão, o tinha conseguido apenas 615 novos sócios nos últimos meses, tendo agora perto de 5000 sócios, pelo que apurei.

Como é fácil fazer as contas, serão mais os Benfiquistas que estarão no Algarve, “ignorando” o apelo inicial da Direcção, do que sócios e adeptos do Portimonense.

Também já falámos das causas porque tal vai acontecer: Desde a inexistência de incentivos para “desertar” nos jogos fora, até à incompreensível solicitação de bilhetes para o jogo com o foculporto, o Benfica pôs-se mais uma vez a jeito para ser alvo de chacota.

Os adeptos irão ao estádio em números significativos (menos do que poderiam ir, é certo) e alguém virá à praça pública afirmar que os apelos da direcção foram ignorados, que o clube não tem credibilidade, que os adeptos furam a greve definida, que os sócios boicotam a direcção, etc.

Pede-se encarecidamente que se coloque a mão na consciência, que não se responda ou comente sem pensar como aconteceu em Setembro e Outubro, para que o clube evolua na direcção certa. Por mim encerro este tema do comunicado e da carta a apelar ao boicote, sabendo que jamais ficará bem resolvido pelos contornos que assumiu.

Amanhã retomo o ciclo de sugestões, desta vez para apresentar as alternativas que o clube tem para tornar a venda dos Redpass um êxito. Não espero más notícias até lá.

Forcing final

Um pouco à imagem dos políticos bem falantes da nossa praça, que quando as sondagens estão más redobram as idas aos mercados e feiras e fingem que gostam muito de andar ali aos beijos e abraços ao povo, também Vítor Baía está a fazer o forcing final da sua campanha eleitoral.

Só lhe falta voltar com a história que era benfiquista desde criança e aparecer com um cachecol do Benfica aos ombros.

Gerir os cartões

Deixando as tristezas para trás, é altura de centrar atenções no campeonato. Os próximos dois jogos são importantíssimos, não só pelos pontos mas, pela proximidade do jogo contra o foculporto, também pela questão dos cartões. Vejamos o panorama:

Luisão: 4 amarelos
Javi García: 4 amarelos
Carlos Martins: 3 amarelos
David Luiz: 3 amarelos
Maxi Pereira: 3 amarelos
(o Ruben também tem 3 amarelos mas infelizmente não entra nestas contas)

Estes cinco jogadores já de si são propensos a verem amarelos (quatro deles por terem que travar os adversários e o outro por refilar em demasia), e se juntarmos a isso o espectacular critério com que os senhores do apito (dourado) têm brindado o Benfica, amarelando por tudo e por nada, temos que temer o pior.

Por mim o Luisão e o Javi forçavam (se bem que da forma como isto está este ano nem é preciso forçar) em Portimão o quinto amarelo para limpar em casa contra o Paços. Qualquer dos outros que visse amarelo em Portimão e que ficasse tapado ficava a descansar contra o Paços.

Não sei o que é que Jesus tem em mente no que diz respeito à gestão dos cartões, mas convém relembrar o que foi montado em Olhão na época passada, antes de recebermos o foculporto na Luz, onde se assistiu a tudo o que era possível e imaginário, inclusivamente a algo que eu nunca tinha visto: o ponta-de-lança adversário correr dezenas de metros que nem um tontinho para ir puxar os cabelos a um jogador do Benfica que estava no chão. Essa ficou-me na memória.

Tácticas à parte...

quinta-feira, 21 de Outubro de 2010


Que se passa contigo, pá? Como é possível esta diferença abissal de forma em poucos meses? E aqui não há lesão, Mundial ou dedo do treinador. É outra coisa.

Vê se atinas, começo a sentir-me idiota por te ter colocado nos píncaros na época passada.

Provar que o que aconteceu foi normal, mas com números

De modo a fecharmos o assunto Lyon, e sobretudo para não deixar a justificação cair no "falta de sorte" e na "expulsão do Gaitán", deixo os números que devem ser alvo de análise e que permitem ser reflexivo em relação ao ponto onde o nosso clube está, face à elite que anualmente se degladia na UCL.

A análise dos números leva à conclusão que já tirámos no início da época - este plantel para a competição interna pode chegar, para a Liga dos Campeões, fica a milhas do nosso prestígio do passado, dos objectivos da direcção e do treinador e das expectativas criadas.

Serve sobretudo para quem anda com a cabeça mergulhada na areia e pensa que, por se ter sido campeão, ter perdido "apenas 2 jogadores" e ter mantido um bom treinador, está tudo mais que pronto para voltar à competição de elite do futebol por equipas.

Jogadores sem experiência de UCL e de qualidade mediana não chegam, nem de perto nem de longe, para ter sucesso, porque erram com mais frequência e, nesta competição, o erro faz toda a diferença.

Alguns dados: 70% dos jogos do 11 inicial do SLB na UCL foram disputados por Luisão, Aimar e Saviola. Estes 3 jogadores são responsáveis por 95% dos golos que o nosso clube fez na prova. Os restantes 8 jogadores do 11 inicial dividem entre si 42 jogos de UCL, o mesmo número de jogos que fez Lisandro, menos 5 do que o treinador do Lyon já fez na prova. Pjanic, de 20 anos, tem 18 jogos e 6 golos na UCL...

Ficam os números do confronto entre o "gigante" Lyon e o "pequeno" SLB para reflexão, todos retirados do site da Uefa CL. Que permitam tomar decisões ponderadas em Janeiro para o fecho desta e em Maio para a preparação da próxima época.

Venha o Portimonense, esse sim do nosso campeonato.


Castigo eterno?


Diz-nos a mitologia grega que Zeus decidiu castigar os titãs pela sua rebelião. O mais famoso chamava-se Atlas, que foi condenado a sustentar a abóbada celeste para todo o sempre.
Pode parecer bizarro, mas esta história antiga faz-me lembrar o actual Benfica...

Desconheço o que fez o desgraçado do Javi García para Jesus o ter condenado, pelos vistos também para todo o sempre, a sustentar a equipa do Benfica. Só que, ao contrário do Atlas, que lá vai cumprindo a sua missão (ainda não me caiu nenhum pedaço do firmamento na cabeça), o mesmo não se passa com o Javi. É por demais evidente que o rapaz não dá conta do recado sozinho; e se no campeonato português ainda vai disfarçando, lá fora a conversa muda de tom. Não consegue, não vale a pena insistir. Chega a ser confrangedor ver um jogador daquela qualidade (e todos sabemos que a tem) completamente perdido no campo, tentando acorrer a todos os fogos, por vezes ateados involuntariamente por companheiros de equipa, e acabar invariavelmente subjugado pelo adversário. Há até alguns momentos nos jogos em que o Javi tem um ar tão perdido que só me apetece entrar pela televisão dentro e dizer-lhe: Hombre, yo te ayudaré!

Se calhar era altura de repensar a estratégia, a táctica, o sistema ou que lhe quiserem chamar. Continuar a insistir nisto dificilmente dará bons resultados. Estamos a chegar a um ponto em que a teimosia roça outra coisa... Lembro-me que gozava bastante com Paulo Bento por ele se recusar a abandonar o seu célebre losango, quando era claro que esse sistema já estava esgotado. Não vou gozar com Jesus mas não posso deixar de questionar o porquê de não se verem alternativas de jogo. O Benfica não tem jogadores para jogar como fazia na época passada, porra! E o que enerva mais é que parece que já toda a gente percebeu isso menos o treinador.

O problema, o grande problema, é que na época passada havia um amigo que ajudava o Javi, mas foi para Londres e não volta. E entretanto ninguém lhe apresentou outro amigo. Não se faz.

Fanfarronice

quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Não é só nos livros infantis e nos filmes que as personagens fanfarronas começam em grande estilo mas acabam mal. Na vida real, mais cedo ou mais tarde, geralmente isso também acontece. No mundo do futebol, assim de repente, só me lembro de dois treinadores que fogem a esta lógica: José Mourinho e o mítico Brian Clough, este sim o melhor treinador de todos os tempos, que gozava descaradamente com tudo e todos (mas com aquela classe tipicamente british).

Jesus já devia ter percebido que nunca integrará o restrito lote dos que fogem a esta lógica de moralidade. Quando é humilde, ganha. Sempre que se arma em esperto, paga por isso. Acho que já é altura de parar com esta atitude. Pelo menos enquanto for treinador do Benfica. Até porque a genética deste clube não é essa, antes pelo contrário.

Normal seria ganhar???!!!

Normal seria jogadores que ganham fortunas terem atitude. Até podiam ser os maiores pategos, mas falta de atitude, com aquela camisola vestida, não admito. Sintam-se privilegiados por vestir essa camisola.

Passes falhados, perdas de bola e desistência da jogada, não atacar a bola, fazer faltas ridículas. O que é isto?!

Quem é o Jara para dominar mal uma bola e virar as costas à bola? Oh menino, tens de comer a relva, se for preciso!

Quem é o esperto que faz uma falta sem bola quando já tem amarelo?

E quem é que teve a lata para ficar satisfeito com a lesão do Cardozo? Continuarão satisfeitos, depreendo...

Não reconheço este Benfica comparando com o da época passada. Mas já o reconheço se o compararmos com as últimas épocas... Banal, sem brilho, perdedor.

O Roberto foi a desculpa para tudo o que correu mal. E agora? Quem é o culpado? Ele e o Coentrão foram os que mais se evidenciaram no meio de tanta apatia e falta de empenho.

Nem tenho coragem para pedir reforços para Janeiro... Tenho receio que venham mais Jaras, Rodrigos e outros que tais...

Amanhã, felizmente, é outro dia... este foi mau.

Uma boa acção

A França vive dias muito difíceis, portanto apelo ao carácter filantrópico do Benfica para hoje dar uma pequena alegria aos emigrantes portugueses, bem como aos milhares de adeptos do PSG, Marselha e Bordeús.

Uma vitória do Benfica fará a França um bocadinho mais feliz. Excepto em Lyon...

Não gosto de "Cagança"

Sempre me fez espécie...

"Vencer o Lyon será normal"  |  "Poucas equipas no mundo jogam como nós"

Passar estas mensagens para dentro, mostrando convicção nas capacidades dos jogadores para superar o adversário, compreendo. Em contrapartida, vir para a conferência de imprensa debitando auto-elogios deixa-me sempre desconfortável.

Humildade sempre foi um dos atributos que mais prezo e que revejo na nossa instituição (mais no passado do que hoje, é um facto) e este discurso projecta o contrário.

Só vi ainda um tipo que conseguiu sobreviver a este modelo (não sem se queimar de vez em quando, como na Taça de Portugal contra o SLB). Todos os outros são mal vistos ou ridicularizados quando corre mal (AVB é exemplo claro) e, como sabemos, as  coisas não vão correr sempre bem.

Vencer o Lyon, neste momento, em Lyon, não será nada normal, na minha perspectiva. Será uma extraordinária surpresa positiva para mim, se acontecer.

Será nesse momento que aceitarei alguma presunção - depois do trabalho feito. Até lá prefiro usar e abusar da água benta.

O Lyon

Hoje o Benfica vai enfrentar o melhor Lyon da época (três vitórias nos últimos três jogos) mas que ainda assim é uma equipa que não se encontrou totalmente com o seu futebol e que não tem um esquema de jogo claro e definido (em onze jogos oficiais só repetiu o mesmo onze inicial e esquema táctico por uma única vez).

A confusão na cabeça de Claude Puel parece ser muita, já que desde o início da época já experimentou o 4-2-3-1, o 4-4-2 clássico e duas variantes do 4-3-3 (uma com apenas um pivot-defensivo e outra com duplo pivot).

Na defesa tem rodado bastante os quatro lugares, o que, de certo modo, ajuda a explicar o facto de ser a quarta defesa mais batida de França, e nos primeiros jogos da época até colocou Toulalan a defesa central, o que é quase anedótico (infelizmente para o Benfica, Puel já corrigiu essa situação e Toulalan regressou ao seu lugar habitual no centro do terreno).

No meio-campo está a grande dor de cabeça do treinador e um dos principais factores do descontentamento do presidente do Lyon e dos próprios adeptos: Puel ainda não conseguiu tirar o rendimento esperado de Gourcuff, a grande contratação da época, por quem o Lyon pagou 22 milhões de euros. Por outro lado, Toulalan, o garante do equilíbrio defensivo e um dos jogadores mais experientes da equipa, está lesionado e isso é uma excelente notícia para o Benfica.

No ataque parece estar o grande perigo desta equipa que, apesar de um arranque pouco produtivo, nos últimos três jogos marcou três golos em cada um. Lisandro (em grande forma) está de regresso à equipa e é preciso muita atenção aos rapidíssimos Michel Bastos e Briand, os habituais titulares, que jogam nas alas.

Regra geral, no campeonato francês todas as equipas jogam com extremos velozes e bem abertos que tornam o jogo muito rápido e vertical, bem diferente do futebol mais mastigado e horizontal que se pratica em Portugal. É bom que o Benfica esteja preparado para defender correrias desenfreadas junto à linha e que não dê hipótese para o Lyon lançar contra-ataques. É fundamental não entrar no jogo à maluca (ouviste, Jesus?) e gerir bem a posse de bola para adormecer o adversário. Acelerar demasiado é ir-lhes comer à mão.
Na minha opinião, o Benfica não perde em nada para este Lyon mas os franceses têm quilómetros e quilómetros de jogos na Champions. Espero que isso não desequilibre a balança.


P.S. Não sei o que me deu para escrever uma lengalenga destas, habitualmente não tenho paciência para estas tretas. Isto é muito estranho e portanto só pode significar que vamos ganhar. Carreeeeega!

Passado é passado, mas...

Estive a ver o Real Madrid vs Milan, o que reforçou ainda mais a minha ideia de que uma das coisas que esta época tem feito bastante falta ao Benfica são as acelerações de jogo do Di María. O rapaz, por vezes, é um pouco individualista e algo perdulário na concretização mas joga que até dói. E já caiu no goto dos adeptos, o que naquele cemitério de craques não é nada fácil.

Mais uma para juntar à colecção

terça-feira, 19 de Outubro de 2010

Mais uma jornada da Champions, mais um jogo do Benfica que dá na OliveirinhaTv. Até agora a lógica seguida tem sido: Benfica joga em casa, dá na Rtp; Benfica joga fora, dá na OliveirinhaTv.

Ora acontece que esta lógica é funesta para os interesses do Benfica. Quando o Benfica joga na Luz o interesse é levar o maior número de pessoas ao estádio. Se o jogo der em canal aberto (Rtp), logicamente que haverá mais gente a pensar Ah, o jogo dá na televisão, fico em casa. Mas se o mesmo jogo der na OliveirinhaTV, muitas dessas pessoas que não têm esse canal dirão Como o jogo não dá na televisão, hoje vou ao estádio. Parece-me que isto é claro como água.

Mais uma vez comidos à grande por aquela cambada, é o que é. Até quando, meu Deus? Até quando?

Gozo descarado

Ver Sepp Blatter mandar abrir um inquérito à corrupção dentro da FIFA é o mesmo que ver André Villas-Boas queixar-se da arbitragem portuguesa.

Se não fosse tão triste, quase dava para rir.

Hoje é um dia histórico para o Benfica

Tive a agradável oportunidade de espreitar alguns minutos do primeiro (sobre Julinho) e terceiro (sobre a conquista da Taça Latina) episódios da série documental "Vitórias e Património" que vai hoje para o ar na Benfica Tv às 21h30m e digo-vos que, por aquilo que vi, o Benfica tem ali um autêntico tesouro em mãos. Não estarei a exagerar se disser que vai ser, sem qualquer sombra de dúvida, o melhor programa da Benfica Tv e um dos documentos mais importantes de (e sobre) toda a longa História do Sport Lisboa e Benfica.

Todos os atletas do Benfica (principalmente os estrangeiros), de todos os escalões e modalidades, deveriam ser obrigados a ver esta série para perceberem o que é o Benfica e o que significa jogar de águia ao peito. Dos adeptos nem falo, porque tenho a certeza de que todos os benfiquistas que têm Benfica Tv não vão perder este programa.

Obrigado, Benfica Tv! Esperei anos e anos por algo assim.

O fado só podia ser mesmo português

Tenho lido por aí várias despedidas emocionadas ao Nuno Gomes, o que me faz lembrar quando, aqui há uns anos, um amigo meu anunciou que iria estagiar um ano nos Estados Unidos no âmbito do programa Inov Contacto. A família tratou logo de organizar um jantar de despedida quando ainda faltava meio ano para o rapaz ir embora. Claro que conforme a data da partida se ia aproximando, os jantares de despedida se multiplicaram. Já mesmo na recta final, houve pessoas que deixaram de ir às despedidas, já que estas tinham perdido totalmente o sentido.

Bem sei que isto é um fenómeno muito típico de Portugal e que não adianta nada estar a tentar mudar a tradição. Regra geral, os portugueses têm um prazer mórbido em prolongar a dor e gostam bastante de lembrar a ausência de quem ainda não partiu, o que é um paradoxo absolutamente delicioso.

- Ahhh, o Antunes... Era um gajo bem porreiro.

- Estou aqui ao pé de ti, pá...

- Sim, mas estou a preparar-me para quando não estiveres. Vais fazer falta, amigo.

E é por isso que hoje não vou recordar, emocionado, a carreira do Nuno Gomes no Benfica, os seus golos, as suas assistências ou o seu espírito de liderança. Nem tão-pouco dizer, com uma lagrimita no canto do olho e um xaile negro nos ombros, Felicidades para o resto da tua vida, Nuno. Foi um prazer ter-te aqui.

Não. O Nuno Gomes ainda é atleta do Benfica, tem mais oito meses de contrato, mais títulos para vencer, mais jogos para fazer, mais golos para marcar, e recuso-me a enterrá-lo antes do tempo. E mesmo que não jogue mais um único minuto, ainda assim faz parte do Benfica. Quando ele realmente sair do Benfica cá estarei para o homenagear, que ele bem merece.

O processo criativo da turminha do Alexandre Pais

segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

Redacção do Reco-reco, na madrugada de quinta para sexta:

- Pessoal, parece que o Benfica anda a observar dois gajos do River. Vamos pôr na capa?

- Mas isso assim é muito soft. Não gosto.

- Também não me agrada, falta aí qualquer coisa mirabolante.

- O que havemos de fazer, então?

- Há aí alguma coisa sobre o River?

- O presidente diz que vai criar um fundo para tentar comprar o Aimar e o D'Alessandro.

- O que jogou no Sporting?

- Não, esse era Alecsandro.

- Alessandro, Alecsandro... Que confusão! O que diz o Acordo Ortográfico disso?

- Nada.

- Vamos concentrar-nos na capa, vá.

- Hmm...

- Esperem, estou a ter uma epifania.

- Uma quê?

- Queres um ben-u-rom?

- Não, obrigado. É só uma epifania.

- Não será uma epifânia?

- Acho que Epifânia é com maiúscula e epifania com minúscula.

- Isso está no Acordo Ortográfico?

- Mas chamo um médico ou não? Não quero apanhar isso.

- E com isto tudo são quase horas de mandar isto para imprimir...

- Vamos dizer que o Aimar vai servir de moeda troca com os putos do River.

- Boa! Não mexe mais.



Redacção do Reco-reco, na madrugada de ontem para hoje:


- Hoje não há nada de jeito para dizer sobre o Benfica.


- Pois não...

- Podíamos voltar à carga com a história do Aimar.

- Parece que ele considera a hipóteses de acabar a carreira no Benfica. Já não cola.

- Temos que arranjar outro gajo para trocar com os putos do River.

- Mas quem?

- Olhem lá, no último jogo o Nuno Gomes e o Weldon entraram e o Jara não.

- E?

- "E?" Quem é este gajo?

- É estagiário, não ligues.

- Ah, bom. Vê-se logo.

- Desculpem...

- Bom, então está feito. Jesus não conta com Jara e este vai sair em Janeiro como moeda de troca com os gajos do River.

- Boa! Não mexe mais.

Um dilema chamado Gaitán

No jogo contra o Arouca, os poucos minutos em que Jorge Jesus colocou Gaitán nas costas dos avançados veio cimentar aquela que é há muito tempo a minha opinião: Gaitán é um excelente armador de jogo mas não passa de um extremo jeitoso para o campeonato português, sendo que neste aspecto até rende mais à direita do que à esquerda. Ou seja, numa das posições abre o livro e brilha, nas outras duas limita-se a cumprir o que lhe pedem. Tenho muitas dúvidas de que, como extremo, venha a alcançar o nível de, por exemplo, Di María, mas também é óbvio que com Aimar no plantel aliado à clara falta de opções para as alas as suas hipóteses de jogar no meio são muito reduzidas.

Alguns cenários possíveis (partindo do princípio que todo o plantel está disponível):

Gaitán à direita - implica sentar Carlos Martins (que está num momento de forma fantástico) e faz com que Coentrão tenha que jogar a extremo e Peixoto a defesa (medo).

Gaitán no meio - implica sentar Aimar (o que deveria dar prisão) e novamente o problema de Peixoto ter que ser titular.

Gaitán na esquerda - Aimar e Martins titulares e Coentrão nas costas de Gaitán. Parece claramente a opção mais equilibrada, mas Gaitán só mostra metade do seu real valor.

Resumindo, parece-me óbvio que apenas em caso de lesões/suspensões de alguns jogadores importantes ou em experiências de Jesus em jogos já resolvidos é que poderemos voltar a ver Gaitán no meio. O que, na minha opinião, é uma pena.

Enganaram-se na porta, só pode

A PSP do Porto devia era ter vergonha na cara. Se o Benfica lhes deve dinheiro, eles devem coisas muito mais importantes do que dinheiro ao Benfica: protecção efectiva, isenção e respeito.

No ano passado vimos um representante da PSP do Porto, mesmo com o jornalista a dizer-lhe o contrário, teimar em frente às câmaras de televisão que não se tinha passado nada com o autocarro do Benfica; vimos centenas de bolas de golfe entrarem no estádio do dragay mesmo debaixo das barbas da PSP, quando esse esquema andou a ser denunciado em blogues e redes sociais durante a semana que antecedeu o jogo; vimos duas senhoras que foram interceptadas e agredidas na estrada pelos animais do costume; vimos os estragos no autocarro do Benfica e percebemos que o Aimar não ficou com a cabeça aberta (ou pior) por escassos centímetros.
Já para não falar da final da Taça da Liga, em que as claques do foculporto saíram do Porto acompanhadas pela PSP local mas isso não as impediu de praticarem o seu desporto favorito, que consiste em parar em áreas de serviço, espancar adeptos benfiquistas que tenham a infelicidade de se encontrar por ali e saquear as instalações.

Perante tudo isto, a PSP do Porto quer dez mil euros a propósito de quê? Do bom serviço prestado? Tenham vergonha. Se fosse comigo não viam um chavo. Como se diz na gíria, vão pedir para outra freguesia (sugiro a Campanhã, dizem que há por lá muito dinheiro a circular).

Ainda a mancha azul


Hoje estava a ver o Blackpool vs Manchester City e quando olhei para a camisola dos Seasiders lembrei-me imediatamente da camisola do nosso Benfica. A mesma mancha azul clara, a mesma aberração estética, outra camisola arruinada.

Que um clube pequeno como o Blackpool não tenha força para se impor aos sponsors, eu ainda compreendo. Agora que o Benfica tenha que se vergar é que já não me entra tão bem na cabeça. Afinal ser o maior de Portugal, o Glorioso, o Enorme, serve para quê?

Mas algo me diz que na próxima época esta situação se vai alterar...

Política de empréstimos a rever

domingo, 17 de Outubro de 2010


Oito jornadas passadas na Liga Inglesa e este menino sem um único minuto nas pernas. Confesso que este tipo de coisas me faz muita confusão. O Bolton tentou tudo por tudo para contratar o Rodrigo e o Marcos Alonso ao Real Madrid, mas acabou por só conseguir comprar o lateral esquerdo, ficando com o Rodrigo por empréstimo do Benfica. Curiosamente, os dois jogadores somam zero minutos na Liga Inglesa.

Se a parte do Marcos Alonso não me interessa para nada, quanto ao Rodrigo obviamente não se passa o mesmo. Não seria preferível ter emprestado o rapaz a uma equipa do campeonato português, onde ele de certeza absoluta que seria titular e serviria ainda para se adaptar ao futebol português?

Absolutamente lapidar

Admiro bastante o senhor Carlos Móia pelo muito que tem feito pelo desporto português, nomeadamente por ser o principal mentor das corridas nas duas pontes sobre o Tejo. Para além disso, é um benfiquista dos sete costados que muito me apraz ouvir falar, o que normalmente faz pouco mas bem. Aqui fica um excerto do seu discurso ontem na Casa do Benfica de Ovar (podem ler a notícia completa aqui):


Ser do FC Porto era ser o que o FC Porto era: um clube a fechar-se dentro de uma região, a olhar todo o resto de Portugal como um espaço de inimigos em delírio, de mouros a abater. O Benfica dava-me a imagem oposta: a ilusão de um universo sem limites

Naquele tempo, ser Benfica era escolher simbolicamente a liberdade. Enquanto os nossos adversários tinham a dirigi-los homens da Legião, deputados da União Nacional, magnatas e burocratas enfeudados no salazarismo, nós, no Benfica, tínhamos presidentes que tinham sido operários e sindicalistas, que tinham sido deportados e perseguidos pela PIDE, que não se resignavam à ditadura, antes pelo contrário

Não, o Benfica nunca foi o clube do regime, foi sempre o clube que o regime teve de suportar a contragosto e de que, depois, se apoderou para, na sua propaganda, lhe parasitar a glória.

Acusaram-nos de sermos ridículos por ameaçarmos não jogar no Dragão se não nos derem condições de segurança. Ridículos? Só assim, levando essa nossa luta para além dos 3 pontos que estão em jogo, poderemos ganhar o que é preciso ganhar: a batalha por um futebol mais respirável, menos subterrâneo. Onde a viagem a um estádio não se transforme na vertigem de uma intifada com meia dúzia de aprendizes de talibãs escondidos a rirem-se dos vidros partidos, dos desaforos, dos insultos, do sangue talvez.

Obrigado, Diabos

"Horários e interesses de mãos dadas para tirar adeptos da bancada".

"Não ao futebol moderno. Não à SportTV".

Imagino que a SportTv não tenha filmado o sector dos Diabos Vermelhos...

Para uma má semana espero um bom fecho

sábado, 16 de Outubro de 2010

Esta foi uma má semana para o Benfica, sem termos jogado 1 minuto de futebol... E até estavamos no bom caminho.

Tivemos zero influência e deixámos marcar o jogo do Arouca para as rídiculas 21 Horas de hoje

Recebemos uma carta do presidente a reforçar que os jogos fora não eram para ir, sem apresentar formas de compensação aos sócios.

Tivemos logo a seguir o clube a contradizer-se e a pedir bilhetes e passes vip para o jogo com o foculporto (mesmo que sejam para devolver, já se instalou a dúvida, já se deu mais um tiro na credibilidade da nossa actuação).

Esta semana não criámos condições para manter a luta que mostravamos vontade de iniciar em vários tabuleiros e demonstrámos que falta capacidade para "fazer acontecer".

Ficam os meus votos de que hoje à noite o SLB apresente qualidade em campo que permita o início do sucesso na caminhada para o Jamor. Que o desempenho seja inversamente proporcional à capacidade demonstrada esta semana na gestão, quer em termos de influência, quer em termos de coerência nas acções.

Força para logo, façamos do jogo uma festa. Demostremos pelo menos através do futebol que somos os melhores.

O dinheiro lavado tem outro perfume

Pago uma cervejola nas roulotes ao pé do Colombo, em dia de jogo do Benfica, a quem encontrar negócios de jogadores de futebol relacionados com a Mamers B. V., a Gol Football Luxembourg e a Pearl Design Holding Ltd que não envolvam, respectivamente, Moutinho, Rodríguez e Walter.

Eu já procurei e não consegui.

A linguagem do futebol

sexta-feira, 15 de Outubro de 2010

O criminoso diz que não acha normal nem saudável que os presidentes de Benfica e foculporto não se falem.

No entanto, já acha normal e saudável chamar "filhos da puta" ao vice-presidente do Benfica e outros membros do staff, como aconteceu na época passada no dragay.

Espera... Esqueci-me que, segundo o próprio criminoso, chamar "filho da puta" a alguém não tem mal nenhum porque é a linguagem do futebol. É um bocado como dizer, em linguagem extra-futebol: "Então, tudo bem?"

Bilhetes para o jogo no Porto - As consequências

Só pode haver uma explicação para o pedido de 2500 bilhetes e de 100 passes Vip para o jogo com o foculporto.

São todos para ficar na gaveta e devolver a 48 horas do jogo.

Se os bilhetes forem postos à venda no Estádio da Luz é um inadmissível erro de gestão, um absurdo "emendar de mão" após 2 comunicações escritas que instigam os sócios a não ir aos jogos fora e várias comunicações verbais a confirmar a solicitação.

Quero acreditar que seja o cenário que coloco aqui. Vamos esperar que assim aconteça.

________
Adenda: Via Red Pass veio o esclarecimento:

O Benfica justifica o facto de ter requerido bilhetes para o jogo no Dragão com o argumento de que, "com esta Direcção", o FC Porto "nunca se baterá pela verdade desportiva" e por causa do "benfiquismo" de Villas-Boas.


"O jogo do Porto é o único que não cumpre os pressupostos em que assentou o pedido dos órgãos sociais. O FC Porto, com esta Direcção, nunca se baterá pela verdade desportiva", disse à agência Lusa uma fonte do Benfica"

Mantenho o que disse no post. As afirmações das cartas e comunicados eram claras como água. Não contemplava excepções. É um retrocesso lamentável e um erro grave de gestão, reforçado por um erro de comunicação do clube.

Neste momento, se alguém não benfiquista se rir do meu clube eu ficarem envergonhado e reconhecerei que têm razão.

Quem agora vai acreditar que se o autocarro for apedrejado, voltamos para trás?
Quem agora vai acreditar que Joaquim Oliveira não vai garantir as transmissões?

Quem vai acreditar ou levar a sério a partir de hoje algum comunicado do clube!?

Esta época tem que haver febrada!

Apesar de já terem havido duas eliminatórias da Taça de Portugal, para mim a festa da Taça só começa amanhã. Isto porque para mim a Taça só é verdadeiramente festa enquanto o Benfica está presente e desse modo me permite sonhar com a mítica febrada/sardinhada (ou outra comezaina qualquer) nas imediações do Jamor.

A última vez em que os benfiquistas puderam estar presentes na final foi em 2004/05, mas julgo que o momento nem foi convenientemente saboreado, já que os festejos do título ainda estavam muito frescos na memória de todos e, isto tem que ser dito, os jogadores não se apresentaram em campo nas melhores condições físicas e com os índices de concentração mínimos para um momento como aquele. Nessa época Trapattoni fez um trabalho de mestre com aquele grupo de jogadores, mas nos dias que se seguiram ao jogo no Bessa foram permitidos exageros a muito boa gente que impediram que o Benfica somasse mais uma Taça ao seu historial.

Assim, o último grande momento do Benfica nesta prova foi mesmo em 2003/04, onde venceu uma final para a qual, na cabeça de muita gente, entrava à partida derrotado pela equipa do super-Mourinho. Lembro-me bem desse jogo. Nem mesmo a porrada de meia-noite do princípio ao fim e as agressões bárbaras dos jogadores do foculporto impediram o Benfica de, com toda a justiça, conquistar a Taça e de a dedicar ao nosso Miki. Foi um grande momento, daqueles que não se esquecem.

E são momentos como aquele que eu e todos os benfiquistas queremos. Este ano é para ir ao Jamor.

As modalidades do Benfica

quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

Excelente texto sobre a vitalidade das modalidades do Benfica e o futuro auspicioso que todos nós lhes auguramos.

O Benfica não pára de me surpreender



Jordy Smith tem um gosto especial por Portugal. O surfista, n.º 2 do ranking mundial, admite adorar o País, onde gosta muito de surfar. Mas tem outra paixão: o futebol. "Acompanho o campeonato português. Adoro o Benfica e até tenho uma camisola com o meu nome", confessou ao DN. Acrescenta de imediato que vibra com os golos de Cardozo, que considera o melhor jogador da equipa, e na época passada assistiu ao Benfica-Sporting. (resto da notícia aqui)

Como é que um sul-africano, que vive a milhares de quilómetros de Portugal e não tem qualquer espécie de ligação ao nosso país (a não ser vir cá surfar de vez em quando), diz uma coisa destas? Não encontro uma única explicação racional para este facto mas uma coisa sei: a grandeza do Benfica, a tal Mística de que toda a gente fala mas ninguém consegue explicar na perfeição, está ali escarrapachada com todas as letras.

Condicionamento pavloviano

Mal soube que o Vítor Baía disse que a sua eventual candidatura à Federação não passou de "pequenas conversas", fui imediatamente acometido de um forte impulso que me levou a escrever "conversas Vítor Baía" no Youtube.

Isto, para além de ser parvo, é um condicionamento pavloviano que me ataca de cada vez que me falam em conversas daquela malta.

Estão quase lá

Testemunho recolhido à momentos à saída da Assembleia Geral do zbordin:

O presidente está sempre a dizer para copiarmos o modelo do foculporto, portanto quando um determinado sócio discursou contra a direcção, comeu na tromba. Estamos no bom caminho, agora falta começarmos a pagar putas aos árbitros.

Sempre em frente, sempre em frente.

"À bola" e "com bola"

quarta-feira, 13 de Outubro de 2010



É por causa deste género de frases ridículas que depois o menino não passa a bola a ninguém e faz 439 remates por jogo. Então o menino anda há meses e meses sem jogar a ponta de corno na selecção e mal faz um jogo minimamente decente corre tudo a ajoelhar aos pés do salvador?

E que tal elogiar o Fábio Coentrão e o João Pereira, que pelas suas características tremendamente ofensivas acabam por criar mais problemas para o adversário e consequentemente mais espaços para os extremos Ronaldo e Nani?

E que tal elogiar o papel absolutamente fulcral de Moutinho e Carlos Martins, que defendem, lançam contra-ataques, constroem, pautam jogo e seguram a bola quando é preciso, no renascer do bom futebol da selecção?

E que tal elogiar Paulo Bento, que acabou com o ridículo de vermos Pepe a jogar a trinco, só para um determinado indivíduo se valorizar e poder ser vendido, como acabou por acontecer?

Mas disso ninguém fala. É Ronaldo, Ronaldo, Ronaldo e mais Ronaldo. Já enjoa. Não percebo esta histeria com um jogador que não se preocupa com tarefas defensivas básicas (e que não acarretam grande esforço) como por exemplo fechar as investidas do lateral adversário, um jogador que não demonstra o mínimo de solidariedade para com os companheiros de equipa, um jogador que chuta à maluca de tudo o que é ângulo, um jogador para quem o passe é sempre, mas sempre, a última opção. A juntar a isto temos ainda a agravante de manter a braçadeira de capitão, o que é mais ou menos o mesmo que pôr um puto mimado de quatro anos a dirigir um grupo de adultos. Esta opção, havendo um jogador com a experiência e a classe do Ricardo Carvalho mesmo ali a jeito, chega a ser criminosa.

Se eu estivesse a jogar futebol com amigos e faltasse um jogador, convidava o Aimar, o Xavi, o Iniesta, o Sneijder, o Lampard, o Gerrard ou o Pirlo. Porque todos eles jogam à bola. Já o Ronaldo, joga com a bola. E isto, parecendo que não, faz toda a diferença.


P.S. E também não sei do que é que ele é Rei. Só se for das gajas.

Aprendizes de Hitler




Sempre que um bando de mentecaptos decide trazer política e questões raciais para o desporto, acontecem vergonhas como esta.

Convém relembrar que o Benfica terá que visitar esse simpático país na fase de grupos da Uefa Futsal Cup. E se jogar em estádios sérvios já é complicado, nem imagino como será num pavilhão, com o público ali mesmo em cima dos atletas. Os jogadores negros do Benfica que se preparem para a famosa tolerância sérvia.

Triste ironia

Estoril – zbordin (17h)
foculporto - AD Limianos (19h)
Benfica - Arouca (21h)

Três jogos, três horários, três momentos distintos de audiência televisiva que reflectem na perfeição a importância dos três clubes no panorama nacional.

Só é pena que os benfiquistas que gostam de vibrar com as emoções do espectáculo ao vivo sejam sempre os principais prejudicados pela grandeza do Benfica. Chega a ser irónico...

Super Mário

Quero chamar a atenção para esta excelente entrevista de Mário Palma, uma lenda viva do Benfica e também do basquetebol português. Para ler com atenção.


P.S. Felizmente, neste momento o Benfica está muito bem servido de treinador e não faz sentido trocar. Já a selecção...

Um início auspicioso

terça-feira, 12 de Outubro de 2010

A intervenção inicial de Miguel Guedes no Trio d'Ataque, onde explicou o motivo de estar ali, é do mais ignóbil que já ouvi em televisão nos últimos tempos. Aquilo de certeza que foi copiado da cartilha do Goebbels e adaptado ao futebol.

E é claro que, vindo do nada e não se compreende bem a propósito de quê, não poderia faltar a alusão ao Benfica. Desta vez para dizer que o foculporto nunca pediria aos seus adeptos para não acompanharem o clube (quem lamenta profundamente que isto não aconteça são os concessionários das bombas de gasolina e proprietários de cafés e restaurantes por esse país fora). O Benfica na cabeça. Sempre o Benfica...

No antecipar é que está o ganho

Depois de antecipar receitas de vendas de passes de jogadores que nunca foram vendidos, o zbordin acaba de fazer o mesmo com as vendas de gameboxes que nunca foram vendidas. Isto sim, é a verdadeira gestão à tuga. É o desenrasca, é o “ver se dá”. No fundo, é o salve-se quem puder. Aqui ficam mais algumas antecipações que o zbordin tem em mente:


- receitas da colecção Primavera/Verão de Costinha, depois de este fugir do zbordin e se tornar um estilista de renome na Papua Nova Guiné.


- receitas de bonitas caixinhas, com pedaços da relva do estádio do Campo Grande, com sugestivas inscrições como “O Nuno André Coelho conseguiu desarmar um adversário aqui”, “O Postiga marcou um golo daqui”, “O Maniche correu aqui, a sério!”


- receitas de almoços para fora do famoso Arroz de Lulas de Jorge Ribeiro, depois de este se ter transferido para o zbordin a custo zero, mas como cozinheiro


- receitas do CD duplo “Sinfonias Completas de Bach em maracas” de José Eduardo Bettencourt


- receitas do aluguer dos cérebros de Rui Oliveira e Costa e Dias Ferreira a um grupo de investigadores que procuram provas que comprovem que ainda há Homens de Cro-Magnon na Era Moderna


- receitas de visitas guiadas por Paulo Sérgio ao pinhal que foi plantado onde antes era a Academia de Alcochete


- receitas da campanha “Chinquilho, o orgulho do leão”, que visará ajudar a manter a única actividade desportiva em funcionamento


- receitas do livro “O primeiro prego foi meu, e dei-lhe uma martelada com tal força que nunca mais o conseguiram tirar”, de José Roquette, sobre o fim do zbordin


- receitas do livro “Eu avisei”, de Dias da Cunha , sobre o mesmo tema


- receitas do livro “Foda-se, pá!”, de Sousa Cintra, ainda sobre a mesma temática


- receitas de um DVD com os melhores momentos do Benfica no estádio do Campo Grande, do qual o Benfica piedosamente não exigirá um único cêntimo, revertendo desse modo a totalidade das receitas para o zbordin


- receitas de pedaços de azulejo do balneário visitante do estádio do Campo Grande, com inscrições como “Saviola equipou-se aqui”, “Luisão tomou banho aqui”, “Aimar urinou aqui”, etc. Novamente com o Benfica a não exigir qualquer percentagem dos lucros.

Urgente tomar o controlo das transmissões

Não ter a possiblidade de marcar o jogo da Taça para Sábado à tarde é mais um sinal de que é urgente assumir o controlo das transmissões, dado que a entidade que o detém actualmente ignora pura e simplesmente as competições e equipas nacionais.

Portanto os 3000 de Arouca vão regressar a casa, saindo de Lisboa, por volta da meia noite, certo?

Portanto os adeptos Benfiquistas de longe terão de regressar à mesma hora a suas casas para vir ver a festa da Taça?

Portanto se é a Olivedesportos que controla isto e se o Presidente é amigo do homem e se o Presidente quer jogos à tarde - o melhor que se consegue é Sábado às 21?

O homem de roupão não foi capaz de ligar ao nosso Presidente e perguntar a que horas queria a porra do jogo? Ou destes telefonemas não faz?

Mais um sinal de que é para acabar esta relação, que só beneficia, sempre, uma das partes. E não é o Benfica.

Ps:

Custava alguma coisa ontem na carta ter convidado os adeptos do Benfica a virem ao Estádio da Luz, colocando o preço do jogo a 2,5€ para sócios e 5€ para adeptos?

Mas que adepto é que vem do Algarve pagar 10€ para ver o Arouca às 21 Horas? Prefere pagar 30€ e ver o jogo do campeonato no Estádio do Algarve, pois claro. É preciso pensar em tudo e não só pensar que se resolvem as coisas com as cartas e comunicados.

Ainda falta muito para o Natal, mas faço já o meu pedido


Durante o mercado de transferências do último Verão tive esperanças que o Anderson pudesse ter vindo para o Benfica. Desde a época passada que ele praticamente não conta para Sir Alex e até pensei que nem sequer iria começar a nova temporada no United. Agora, com o aproximar de mais um período de transferências, começam novamente os rumores sobre a sua saída. Ir para outro clube inglês, rumar à Alemanha ou regressar a Portugal têm sido apontados como os cenários mais prováveis por muita imprensa desportiva europeia.

Julgo que o futebol musculado (mas com muita técnica) do Anderson assentaria que nem uma luva num meio-campo que ficou excessivamente macio e permeável com a saída do fabuloso Ramires. Gaitán, Martins e Aimar que me perdoem, mas de certeza que Javi García agradeceria ter um jogador destes por perto...

É uma questão de se falar com o Jorge Mendes. Está na altura de o Benfica tirar algum proveito de tão apaixonada relação. Não é só chegar aqui e levar, dava jeito pôr cá alguma coisita de vez em quando.

Da Rússia com amor


(clicar para aumentar)

O que falta na carta

segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

- O apelo para deslocação em massa ao estádio da Luz

- Duas ou três medidas de incentivo ao boicote, para os adeptos verem de que forma o sacrifício pedido irá ser compensado pelo clube.

É uma carta com muita importância, mas mais uma vez fico com aquele "amargo de boca" que resulta do clube voltar a pedir ao adepto e de não pensar ou avançar nada para o ajudar a cumprir com o que lhe foi pedido.

Falta agora os restantes elementos da equipa e da equipa técnica reforçarem sempre que possível as ideias força da carta do presidente.

Depois da pressão ao Victor Pereira, deslocação ao Mai, novo recado à Olivedesportos e apoio a Seara, este elemento do comunicado de Setembro é reforçado hoje.

Estamos no bom caminho!

Quando vai quebrar o Sistema

Aqui há uns dias abordámos neste espaço a questão da forma como se poderá terminar com a teia de interesses e influências montada pelo presidente do clube condenado por corrupção desportiva em 2008, referente a casos que remontam à época 2003/2004.

Identificámos 2 caminhos: o corte entre o influenciador e os vários agentes que controla, manipula e cedem aos seus interesses ou a cessação da influência do responsável pelo sistema estar instalado.

Para se conseguir resolver a questão junto dos agentes, teria de ser construído algo como um “super sistema” que envolvesse o sistema instalado. Algo que instigasse o medo junto dos agentes que os faria ceder a uma influência superior à de Pinto da Costa, anulando os efeitos da pressão que factualmente foi comprovada como existente nos últimos 20 anos, desta forma eliminando o enviezamento nas decisões e resultados que existe.

Esta questão só seria possível com violência e terrorismo sobre os agentes, o que, como sabemos, não faz parte do modus operandi do nosso clube, pelo que a solução para o fim do sistema está na cessação da influência de Pinto da Costa.

Este post recupera algumas questões que já escrevi antes, mas que, com as novas escutas, volta a ser pertinente relembrar. O presidente do clube condenado por corrupção activa tem 72 anos e dirige a agremiação desde 1982 (há 28 anos).

O poder é ditatorial, tem apenas uma cabeça, um rosto responsável pela violência e cultura de guerrilha instituída. Pinto da Costa não tem filhos no Futebol (se tivesse o resultado seria igual ao do Boavista). Tem discípulos seguidores, mas nenhum ditador preparado para o substituir na linha da sua actuação actual (o protagonismo será sempre dele até ao fim).

Os regimes ditatoriais terminam sempre da mesma forma: O ditador / líder absoluto cai e a instituição/clube/país gerido pelo ditador mergulha no abismo, por efeito da perda da figura líder e sobretudo pela instantânea luta de poder que se seguirá imediatamente após a necessidade de sucessão.

Quando esta questão surgir, não existirá consenso na sucessão (os Ruis Moreiras, os Poncios, os Manueis, os Salvadores e todos os restantes cães vão procurar o osso do protagonismo e tentar assumir a liderança). O modelo de liderança vai ser necessariamente diferente, porque o novo líder não será consensual e sobretudo não terá capacidade para “reproduzir” o perfil de Pinto da Costa.
Os lacaios Henriques, Araújos, Reinaldos, etc, sem orientação do líder, vão perder a referência e por consequência passarão a ser inofensivos (faltará a estratégia de suporte à acção).

Quando Pinto da Costa cair, a cidade do Porto irá necessariamente reagir. A cidade do Porto é digna e na sua maioria “odeia” as práticas e modelo actual do clube de futebol que é a sua face, que lhe dá exposição mediática.

Os Artur Santos Silva, os Belmiros de Azevedo, os Rui Rio, Os Manoel de Oliveira (ainda vivo nessa altura), Os Souto Moura, Siza Vieira e Ludgeros Marques não vão deixar que se institua novamente este regime que gerou isolamento da cidade tanto pelo poder central (a esvaziar completamente o Porto de actividades e eventos – o último foi o Red Bull, entretanto cancelado) como pelo poder local, que cortou todo o apoio e relação actual com o clube). Isolamento este gerado sobretudo pelo reconhecimento das práticas não lícitas que justificam os últimos anos de sucesso desportivo.

O FCP, quando Pinto da Costa cair, ficará órfão do ditador e não lhe será possível erguer novamente uma figura proeminente incontestável, porque a cidade do Porto não vai permitir novos Apitos Dourados e outros episódios que denigrem a imagem da cidade.

Quando isto acontecer, a agremiação terá um sério problema desportivo. Com a teia desmontada ou inactiva, o FCP deixará de ter elementos de compensação e naturalmente a falta de argumentos para lutar com o maior clube do mundo virá ao de cima. O FCP cairá desportiva e financeiramente para o nível do Sporting, sobretudo porque não conseguirá gerar receitas para os níveis de investimento necessários para combater com o Sport Lisboa e Benfica.

Os restantes clubes nacionais deixarão de ter de prestar vassalagem. As suspeitas na arbitragem, liga e federação terminarão e os rostos conhecidos serão substituídos por rostos competentes. Teremos um campeonato são, onde o melhor tendencialmente prevalecerá. E o melhor será naturalmente o Maior.

Será por volta de 2016, talvez antes. Já falta pouco. Até lá não só resistiremos como estaremos mais fortes se mantivermos a denúncia das influências que encontramos, a pressão sobre os media e a aliança em torno do nosso clube.

Do Andor para o Zero Cego? Não, obrigado

...existem conversações avançadas entre as duas partes e tudo indica que Miguel Guedes estará já amanhã no programa desportivo. O JN diz que sim.

Vocalista dos Blind Zero aceitou ser comentador, mas a estação terá voltado atrás. O DN diz que não.


Eu espero sinceramente que o DN tenha razão. Se pensam que o Andor Moreira consegue ser asqueroso, recomendo-vos que oiçam pelo menos uma vez o programa Grandes Adeptos da Antena 1, para verem o que é anti-benfiquismo escondido debaixo de uma capa de pseudo-erudição e ares de superioridade intelectual. Aliás, aproveito para recordar umas palavrinhas do menino em Abril deste ano:

Eu confesso que há uma coisa nos timings que me incomoda: é que o Benfica festeje o campeonato no dia 25 de Abril.

Atentando à história gloriosa do Benfica nos tempos do antigamente, as vitórias sistemáticas do Benfica rimam muito pouco com liberdade. E tendo em conta que os túneis são sítios de opressão eu não gostaria de ver o Benfica ganhar o campeonato no dia 25 de Abril.

A mim incomoda-me que o Benfica festeje o título no dia 25 de Abril.


Friso novamente que espero bem que o DN esteja certo. Caso contrário, o senhor António-Pedro que se prepare para enfrentar o protótipo do verdadeiro chico esperto.

Sobre as eleições na FPF

A probabilidade de Fernando Seara ser eleito presidente da Federação Portuguesa de Futebol é directamente proporcional à probabilidade de ser assinalado um penálti contra o foculporto na 10º jornada.

Pretty good

domingo, 10 de Outubro de 2010

Descobri um novo blog sobre o Benfica, com a extraordinária particularidade de ser totalmente escrito em inglês. Parece-me que isto de escrever sobre o Benfica em inglês é algo que pode ser muito importante, porque vai haver cada vez mais filhos de benfiquistas, emigrados por esse mundo fora, cujo conhecimento da língua portuguesa vai ser bastante diminuto. O inglês será aí uma ferramenta importante para aproximar essas jovens gerações do Benfica. E julgo que todos sabemos que os tradutores online automáticos são realmente muito fraquinhos...

Podem espreitá-lo aqui.

É desta!





Começa hoje a caminhada para o título. O Benfica reforçou-se muito bem e julgo que esta época o caneco não escapa.

É hoje às 17h no pavilhão. Vamos lá apoiar a equipa.

Civismo

sábado, 9 de Outubro de 2010

O que aconteceria se o Benfica realizasse uma iniciativa deste género no Porto? Um bando de superdragays juntava-se, aparecia no campo e espancava quem lhes aparecesse à frente, fossem miúdos ou graúdos, até que o evento acabasse e toda a gente fugisse.

O que acontece ao Dragon Force realizado em Lisboa? Nada. A isto chama-se civismo.

Craque ou Cromo, como descortinar antes de chegar?



Comprei no início da época a caderneta do Benfica campeão e entre craques apareciam obviamente os nossos "cromos", que também tinhamos e continuamos a ter no nosso plantel. Éder Luis era um deles.

O homem chegou em Janeiro, foi embora 6 ou 7 meses depois, retornando ao Brasil, desta vez para o Vasco.

Verdadeiros craques pegam de estaca no mês seguinte, em qualquer lado - vide Ramires. Mas nem todos se adaptam com tanta facilidade ou, sejamos honestos, são tão bons como o Queniano.

Jesus já veio a público afirmar que Éder Luis falhou na adaptação, sobretudo pela vertente psicológica. O homem regressou ao Brasil e voltou a fazer boas exibições e golos, provando que, pelo menos no Brasil, é jogador de futebol. Não era jogador era para o Benfica.

Onde quero chegar com este post é que vendo o PFC e os jogos dos jogadores o sucesso está longe de garantido na contratação. Falta uma questão fundamental, que deve ser considerada tão importante como a forma como tratam a bola - a questão psicológica.

É fundamental conhecer todos os potenciais candidatos como se faz nas empresas - testes, perguntas, avaliação psicológica, falar sobre a sua visão do futebol. Provavelmente com avaliação do perfil de Éder Luis se poderia ter percebido que não podia ser um activo "Benfica". E voltar a trazer Éder Luis para o clube em Janeiro só porque está a jogar bem no Vasco, será provavelmente um novo erro, que deve ser evitado.

Gerir o clube como uma empresa implica recrutar activos e capital humano como empresa, tanto para o clube como para a equipa de futebol. É preciso profissionalismo no processo, como exigimos depois em campo.

Ver jogos de futebol não chega para garantir contratações de sucesso. Ter amigos advogados não chega para resolver com sucesso os casos de justiça onde o clube está envolvido.

Porque um clube melhor se faz também com pessoas cada vez melhores, vamos lá tratar de buscar mais competência para o Benfica, para o futebol e para as empresas do clube. Queremos craques!

Pergunta do dia N.º 2

sexta-feira, 8 de Outubro de 2010

Era assim tão difícil por a malta a jogar à bola, Queirozsz?

Quem diria, colocar os defesas centrais a sério no centro da defesa, os médios a médios pode dar resultados.

Genial, Paulo Bento, genial!

Um capitão à Benfica


Apesar de o cabeça de cartaz da última edição da Mística ser o Fábio Coentrão, o meu grande destaque vai para a reportagem/entrevista a Carlos Carneiro. Não deixem de ler. Aqui fica um cheirinho:

Nunca fui para o estrangeiro porque nunca quis, pois tenho tido quase todos os anos propostas. Mas é bom ser uma referência em Portugal. Não ser mais um. E há coisas que o dinheiro não paga. A minha carreira não se baseia em questões económicas. E depois, a partir do momento em que vim para o Benfica, não me vejo a sair daqui, pois estou no maior clube do mundo. Sou bem tratado, tenho condições de trabalho e a forma como as pessoas me fazem sentir... não há dinheiro nenhum no mundo que pague. Enquanto houver interesse do Benfica, eu jogarei aqui. Tenho um prazer enorme em cá estar, de andar no estádio, de cumprimentar as pessoas...

O Carlos é Benfica por todos os poros.

Resposta célere e contundente do SLB

Muito bem o SLB a reagir rapidamente às declarações falsas de Pinto de Sousa.

Um exemplo claro de um departamento de comunicação neste caso atento e "escudeiro" das declarações do Presidente.

Normalmente é preciso dar mais do que uma vassourada para os ratos fugirem. Vamos lá ver se é à 2ª vassourada que ele se esconde, ou se volta a levantar o nariz.

O Benfica estará, como se provou hoje, atento!

O comunicado do nosso clube:

"Em reacção à entrevista do Presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, à Antena 1, o sr. Pinto de Sousa – arguido do processo Apito Dourado – reagiu em comunicado enviado para as redacções dos principais jornais diários.

Como o mesmo contém algumas incorrecções, outras falsidades e outros tantos lapsos de memória, o Sport Lisboa e Benfica vem esclarecer que:

a) O senhor Pinto de Sousa está ligado a um dos períodos mais negros do futebol português, em que o tráfico de influencias, a corrupção e o compadrio foram prática corrente aceite e promovida por alguns dos principais responsáveis do nosso futebol.

b) O facto da justiça ainda não ter condenado o sr. Pinto de Sousa não significa que ele seja inocente. As provas existem, a sua evidência é indesmentível e só um formalismo jurídico ainda não permitiu a sua condenação. É bom recordar que o processo não terminou, está pendente de recurso no tribunal da Relação.

c) O Presidente do Sport Lisboa e Benfica – ao contrário do que foi afirmado pelo senhor Pinto de Sousa – não almoçou com ele “diversas vezes”, jantou duas, a pedido de um amigo comum e – facto relevante – antes de serem conhecidos os contornos e o envolvimento do senhor Pinto de Sousa no Processo Apito Dourado.

d) A verdade nunca pode ser considerada uma manobra de diversão, e só pela cumplicidade de alguns agentes judiciais é que a justiça ignorou a evidência das provas, como bem recentemente ficou provado.

e) O Sport Lisboa e Benfica, efectivamente, nada tem a ver com as amizades do Senhor Pinto de Sousa, mas tem a ver com a transparência e a verdade no futebol português e o facto deste ter voltado a contactar árbitros no activo e a movimentar-se para colocar o senhor Paulo Costa como presidente do futuro Conselho de Arbitragem da FPF. Sinal preocupante de que há quem queira que as velhas práticas voltem a fazer parte do nosso quotidiano.

f) Já agora, e como a memória é curta, convém lembrar que foi o senhor Pinto de Sousa que quis impor – seguramente por indicação de alguém – o senhor Martins dos Santos para a final da Taça de Portugal da época 2003/2004.

h) O senhor Pinto de Sousa pode ainda não ter sido condenado pela justiça, mas não é por isso que voltou a fazer parte dos homens sérios deste país."

Não concordo com isto

Segundo Luís Filipe Vieira, se o autocarro do Benfica for apedrejado na chegada ao Porto, poderá haver uma surpresa desagradável.

Sou da opinião que este tipo de declarações não produz o efeito desejado. Depois de tais declarações podemos contar com apedrejamento. Há jogos psicológicos que não funcionam em certas circunstâncias e com certas pessoas.

Quem, no Estádio do Algarve, saiu disparado dos autocarros e varreu tudo o que vestido de vermelho lhe apareceu à frente não sucumbe perante este tipo de ameaça. Bem pelo contrário...Fará pior e vai querer saber qual é a tal surpresa que de que Luís Filipe Vieira fala.

Então se a surpresa for faltar ao jogo, aí é que eles nem hesitam...

O rato acusou o toque


Desde 2004 que não exerço qualquer cargo ligado ao futebol em geral e à arbitragem em particular. Sou, por conseguinte livre de almoçar ou jantar com quem bem entender.

Olha, olha! Afinal as almoçaradas e as jantaradas com árbitros têm mesmo acontecido desde o início desta época...

Claro que esses repastos são para falar do Orçamento de Estado, do gigantesco derrame tóxico na Hungria e dos mineiros chilenos presos debaixo da terra. Só mesmo os malucos dos benfiquistas para pensarem que ali se fala de futebol.

Mostremos a força do Benfica

quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

Seguindo o apelo do Pedro F. Ferreira, também eu considero que é essencial que os benfiquistas demonstrem claramente a quem manda na Rtp que não vão compactuar com o amordaçar de quem se bate pela verdade e com a tentativa de encobrimento dos factos mais podres da história do futebol português.

Aqui ficam os endereços:

- RTP - Mensagens

- RTP – Provedor

- RTP - triodeataque@rtp.pt

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.