Treinador português, um futuro (só) em tons de azul

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Aqui nem sempre a competência é importante. Os compadres e os padrinhos funcionam bem no futebol português…

O meu benfiquismo não é demasiado porque o benfiquismo, o portismo ou o sportinguismo nunca é demasiado. Mas para algumas pessoas isso é complicado. Não deveria acontecer porque deveríamos ser todos desportistas e profissionais, mas sem dúvida que me fechou muitas portas… Palavras do grande Álvaro Magalhães ao jornal do Serpa dos croquetes.

Ah, pois é! É só ver a quantidade de ex-jogadores do Benfica e ex-jogadores do foculporto que tentaram iniciar uma carreira de treinador e seguir os seus respectivos trajectos. E não me venham dizer que os do Benfica são todos muito fraquinhos e por isso não vingaram e que os do foculporto são todos muito bons. Só não vê quem não quer e não são precisas escutas.

Vamos lá a factos...


Benfica:

Rui Águas: começou no Setúbal, desceu de divisão mas no ano seguinte voltou a subir. Depois esteve três anos sem trabalhar até que Jesualdo o chamou para seu adjunto no Braga, onde realizaram três boas épocas. A seguir Jesualdo foi para o foculporto e acabou aí a carreira do Rui Águas como treinador.

Mozer: depois da experiência com Mourinho seria de esperar que algum clube português apostasse nele. Pois sim! Angola e Marrocos e é se quer.

Diamantino: andou quase constantemente pela segunda divisão, depois veio para o Benfica e agora está no Fátima, clube satélite do Benfica. Em 15 anos de carreira acho que só treinou um ano na primeira divisão...

Álvaro Magalhães: fez um trabalho interessante no Gil Vicente, depois veio como adjunto para o Benfica e desde então foi sempre a descer até que abriu os olhos e saiu do país.

Chalana: começou timidamente como adjunto no Paços, depois lá conseguiu ir treinar uma equipa da segunda B durante um ano, mas não passou daí. O Benfica acolheu-o desde então.

Toni: nunca treinou nenhum clube em Portugal a não ser o Benfica, onde até foi campeão. Alguma coisa de futebol deve saber mas tem que procurar trabalho fora.

Carlos Manuel: lembro-me de uma grande época no Salgueiros, que acabou em sexto e jogava um belíssimo futebol, daí foi para o zbordin e agora treina na segunda B.

Humberto Coelho: treinou o Braga e o Salgueiros em 85/86, depois esteve quase 15 anos sem treinar até ser chamado para a selecção, onde fez um Europeu soberbo, e mesmo assim continua com as portas do campeonato português fechadas.

Veloso: este ano anda na segunda B e já vai com sorte, porque dantes andava pela terceira.

Pietra: andou dez anos como adjunto em clubes como Boavista, Belenenses, Alverca, etc. Como treinador principal só teve hipótese no Barreirense... Agora está no Benfica, e muito bem, porque já percebeu como funcionam as coisas.

João Alves: o único que teve um trajecto normal de treinador, passando por vários clubes.

Valdo: não sei porquê, mas algo me diz que se tivesse jogado no foculporto já treinava em Portugal, nem que fosse na segunda divisão.

Vítor Paneira: em quatro anos de carreira não passa da segunda B.

Valido: começou na terceira divisão, onde esteve duas épocas, depois esteve três anos sem clube até vir para o Benfica.



Foculporto:

Inácio: passados dois anos de se iniciar como treinador já estava a treinar o Marítimo, uma das equipas mais fortes à época.

Jaime Pacheco: provavelmente um dos treinadores mais burros e ao mesmo tempo com a mania que é esperto que eu já vi. Curiosamente, ou não, estreou-se logo na primeira divisão no Paços de Ferreira e conseguiu ser campeão no Boavista. Este último facto é tão escabroso que deveria ser motivo para a Uefa cancelar para todo o sempre o campeonato português.

António Sousa: mais um que vai fazendo a sua vidinha sem grandes sobressaltos.

Carlos Carvalhal: desde que começou a trabalhar só esta época está sem clube, mas não deve ser por muito mais tempo. É o que dá ir ao Porto levar pastéis ao padrinho.

Jorge Costa: estreia como treinador principal na filial de Braga, a quarta melhor equipa do campeonato de há uns anos para cá. Isto não é para todos, hã? Ah, grandes padrinhos!

Domingos: estreou-se logo numa equipa da primeira divisão, a filial de Leiria. Palavras para quê?

Rui Jorge: está na selecção portuguesa de sub-21, tendo como experiência profissional uma descida de divisão com a filial de Belém!!!

Eurico Gomes: nas dez primeiras épocas treinou nove clubes diferentes. Ou seja, por mais que fizesse merda, tinha sempre trabalho.

Rodolfo Reis: enquanto lhe apeteceu ser treinador, esteve dez anos consecutivos sempre a trabalhar em vários clubes, alternando entre a primeira e segunda divisões.

Secretário: anda a passear a micose pela segunda B. Este, se não o levantava com a famosa Paula, nem com padrinhos conseguirá levantar equipas.

João Pinto: estreou-se esta época na segunda divisão no Sporting da Covilhã. Não sei porquê, mas auguro um futuro cheio de trabalho a um gajo que não consegue articular uma frase com mais de quatro palavras.


Casos paranormais:

Ulisses Morais: profissionalmente é uma das maiores nódoas que por aí anda. No entanto, tem as costas largas e vai passeando a sua incompetência por meia dúzia de clubes. Para isso, basta-lhe vociferar alarvidades sempre que defronta o Benfica.

Carlos Azenha: o que este homem sabe de futebol ficou à vista de todos em poucas semanas. O próprio presidente do Setúbal afirmou que não o queria contratar mas que insistiram bastante e lá teve que ser. Este caso é o exemplo máximo de como funcionam as coisas no nosso futebol.

Daúto Faquirá: o tal que pelos clubes onde passa elabora relatórios para o foculporto sobre jogadores que estão emprestados pelo foculporto e sobre jogadores do próprio clube. Deve ter o futuro assegurado até se reformar.

Baltemar Brito: a propósito da experiência com Mourinho de que falei em relação ao Mozer, recordo que até a este calhau com olhos de seu nome Baltemar Brito foi permitido tomar conta do Belenenses durante uns tempos esta época. Resultado? O Belenenses está em penúltimo.

9 comentários:

Miguel disse...

Excelente compilação!

O sistema não dorme.

A cultura de ódio ao Benfica vai aumentando de ano para ano, em clubes que antes tinham boas relações connosco.

Parece-me que isso se deve ao desejo de terem boas relações com a agremiação corrupta do norte, o que normalmente trás bons resultados:
- jogadores emprestados;
- protecção das arbitragens;

Eu tenho como segundo clube a equipa da minha terra natal e desde que começaram os compadrios com o fcporco... acabou o meu apoio!

Anónimo disse...

dois excelentes posts seguidos que deveriam ser trabalho dos jornalistas e não dos blogs.

parabéns!

Henry14 disse...

Excelente post, tal como anterior. Os meus parabéns.

(só não concordo com a inclusão de Daúto nos "casos paranormais", visto que ele até me parece um treinador razoável, e como tal merecedor de trabalho. )

JNF disse...

Só duas pequenas correcções:

1 - o Diamantino já foi despedido do Fátima.

2 - não esquecer o trabalho do Álvaro na Naval.

Brilhante post. E imagino que se o Zé Mota tivesse sido jogador do Porto, a esta hora seria treinador do Portimonense, Beira-Mar, Sporting ou assim parecido.

VHugo disse...

Pois é, mas os jornais só estão interessados em lamber botas!

www.forcamagicoslb.blogspot.com

red wings disse...

Já toquei em tempos neste assunto,mas de um modo muito leve e não tão detalhado e muito bem feito ,como este está.
Penso q neste momento,nas 2 ligas,o único q se pode relacionar com o Glorioso,é o Rui Vitória,pois o Diamantino,no Fátima,já era.
Se formos contabilizar ex-porkos e lambe-cus,tirando um lagartito ou outro,são a quase totalidade.
Infelizmente,há clubes históricos,nas divisões secundárias,que merecem estar na 1ªe que para o conseguir,tiveram que se vender à corja corrupta.
Falo no caso particular q me toca ,o Olhanense,q segundo me era dito,antes da era corrupta,nos tempos do Álvaro,cada vez q passavam o Mondego,os roubos sucediam-se.
Digo isto,pq conheço Olhão e posso garantir,q adeptos dos porkos,contam-se pelos dedos duma mão.
Há sim uma razoável colónia lagarta ressabiada,mas nem de longe nem de perto se aproxima do nºde Benfiquistas,lagartos esses,os grandes responsáveis dos problemas q se passaram,quando o SLB aqui jogou em Olhão.
Este ano a porkalhada foi-se embora e tirando o daúto dos relatórios,até a equipa é melhor e até está a jogar futebol,não se vendo aquela caça ao homem q se viu o ano passado.
Veremos como se portam nos próximos jogos.O Olhanense sempre teve por tradição,um futebol de passe curto,rendilhado,e quando bem jogado,difícil de contrariar.

Éter disse...

Não sabia que o Diamantino já tinha sido posto a andar. Então o Fátima tem uma colónia de jovens da nossa formação e nem sequer conseguimos lá manter um treinador das nossas cores? Está boa...

O Daúto está ali não pela falta de valor, como os outros três exemplos, mas por se prostituir. Até porque as equipas dele normalmente praticam bom futebol.

JNF, tens razão. Esqueci-me da boa passagem do Álvaro pela Naval.

Mr.T disse...

Caro éter só um pormenor o domingos começou a treinar no foculporto b e depois é que foi para o leiria.
Continuação do bom trabalho em defesa do nosso clube!

E já agora parabéns "atrasados" pelo blog do qual sou visitante assíduo praticamente desde o inicio. O que me permitiu também conhecer outros blogs da gloriosaesfera assim como libertar-me da visita diária aos sites dos diversos pasquins desportivos "portogueses".

jota disse...

Análise impressionante. Excelente trabalho.

O futebol português está doente...o cancro alastra por todos os lados. O padrinho com sede no estádio do freixo está senil mas, enquanto respirar e declamar poesia de sarjeta, o SLBenfica não pode nunca baixar a guarda a esses cães!

Saudações benfiquistas,
JCXA

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.