O elogio do absurdo

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Ainda pensei em escrever um post sobre o jogo de ontem, mas não consigo. Quero esquecê-lo o mais depressa possível e desejar que seja o primeiro e último em que se falha um penálti, em que há bola no ferro, falhanços sucessivos na cara do guarda-redes, defesas (quase) impossíveis do mesmo indivíduo e, acima de tudo, em que a equipa adversária marca na única ocasião de que dispõe em todo o desafio.

Depois deste pequeno aparte, queria apenas pedir ao Jorge Jesus que me faça o favor de não voltar a parabenizar nem a considerar como "melhor em campo" um guarda-redes que finge descaradamente lesões atrás de lesões de cada vez que entra em contacto com algum jogador do Benfica. Pouco me importa se o guarda-redes defendeu um penálti e se efectuou um punhado de brilhantes defesas, quando é nítido que o seu objectivo durante o jogo, para além de obviamente não sofrer golos, é perder o máximo de tempo possível sempre que tenha oportunidade para tal, numa clara demonstração de falta fair play.

Continue-se a elogiar e a permitir este tipo de exibições e depois queixem-se que daqui a dez ou vinte anos ninguém põe os pés num estádio de futebol. Em Inglaterra, este Peçanha era assobiado pelos adeptos da própria equipa ao fim de cinco minutos...

1 comentários:

Benfiquista disse...

Assino por baixo...
Vergonhoso!

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.