No fundo

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Numa peça que a Rtp exibiu hoje no Jornal da Tarde, Bruno Carvalho usou um argumento absolutamente deplorável para pedir a demissão de Luís Filipe Vieira da presidência do Benfica: a doença cardíaca do presidente.

"Tem uma condição cardíaca, segundo ele. Eu não sei se isso é verdade ou não... Mas eu admito que seja verdade.
O Marco Van Basten quando teve um problema de joelho deixou de jogar futebol, porque não podia jogar futebol. Eu acho que um presidente de futebol, que é um desporto de emoções, que tem um problema cardíaco não pode ser presidente de um clube."

Mais do que proferir estas afirmações absolutamente ridículas, Bruno Carvalho pôs em causa a palavra do presidente do Benfica e dos médicos que lhe diagnosticaram o problema no coração.
Nunca levei muito a sério a personagem "benfiquista de gema" que Bruno Carvalho vem interpretando de há uns meses para cá, nem tão pouco a sua candidatura, já que o que ele disse, diz e vai dizer em relação ao Benfica interessa-me tanto como ver um programa do Dr. Phil na Sic Mulher. Mas pôr em causa uma doença de alguém para atingir determinado objectivo é algo tão reles, doentio e de baixo nível que me deixou estupefacto.

Podia dizer que Bruno Carvalho bateu no fundo, mas estaria a mentir. Ele nunca saiu de lá.

2 comentários:

No.Worries disse...

Surreal!

De facto mostra bem o reles que ele é.

E mantenho esta ideia: não acredito que ele vá até ao fim com esta treta de "candidato", mas se for, qualquer resultado acima dos zero por cento nas eleições seria surpresa para mim.

Quem é que pode votar num triste destes?
De certeza que não é o sócio nº 13953 que escreve estas palavras...

Benfiquista disse...

Desde que ouvi falar desta pessoa que ainda não percebi se é a sério, ou se só quer publicidade...

É que a ser sério, não há ponta por onde se pegue...

Ao que chegou o anti-benfiquismo...

Saudações Benfiquistas

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.