Naval 1-2 Benfica

segunda-feira, 9 de março de 2009

Apito inicial praticamente seguido de golo. Eis uma excelente forma de iniciar um jogo, como eu não via há muito no Benfica. Infelizmente o que sucedeu a seguir é algo digno de anedota: o Benfica remetido à defesa, com o autocarro em frente à baliza, e a utilizar a célebre táctica do "pontapé p'rá frente e fé em Deus". O meio-campo pertencia por inteiro ao adversário e não foi surpresa constatar que, por volta dos 30 minutos, a Naval tivesse 73% de posse de bola e 15 ataques, contra 4 do Benfica.
Na segunda parte suspeito que o Benfica se preparava para continuar o mesmo estilo de jogo, mas felizmente a Naval empatou o desafio e obrigou a nossa rapaziada a tentar jogar futebol. Só aí pudemos ver raça e vontade de vencer. Só aí vimos um cheirinho de Benfica.

Moreira - apesar das fases de domínio da Naval, foi um mero espectador. Sem hipóteses no golo.

Maxi - um pouco abaixo do que já lhe vimos fazer esta época.

Luisão - foi pena a falha no lance do golo da Naval, porque estava mais uma vez a ser imperial.

Miguel Vítor - desta vez foi ele o patrão da defesa. Limpou a zona dele e por vezes a de David Luiz. Assistência primorosa de cabeça para o golo de Katso.

David Luiz - algumas perdas de bola comprometedoras.

Reyes - primeira parte absolutamente ridícula. Depois do intervalo, quase todo o jogo ofensivo passou pelos seus pés. Muito bem nos lançamentos para Di Maria.

Katso - na primeira parte, à semelhança da equipa, esteve algo perdido. No segundo tempo cresceu imenso de produção e foi dono e senhor do meio-campo. Marcou o golo da vitória, num bela jogada estudada.

Yebda - tal como o seu colega do lado, subiu de rendimento na segunda parte.

Di Maria - se já durante os primeiros 45 minutos parecia o único que procurava dar um pontapé no marasmo da equipa, no segundo tempo explodiu para uma bela exibição, com muitas arrancadas pela esquerda e um remate que bateu com violência na trave. Tem que melhorar defensivamente, David Luiz apanha demasiadas vezes com dois adversários em cima.

Aimar - marcou o primeiro golo no campeonato com um belo pontapé. Depois, como a equipa se fechou lá atrás, perdeu influência no jogo. Reapareceu um pouco depois do intervalo.

Cardozo - muito esforçado e combativo na frente, como sempre. Procurou algumas tabelinhas com os companheiros, mas nada lhe parecia correr bem. Ia marcando um golão, com um toque de classe.

Nuno Gomes - entrou para o lugar do esgotado Cardozo, mas pouco tocou na bola.

Jorge Ribeiro - ajudou David Luiz a fechar o corredor esquerdo.

Urreta - substituição apenas para queimar tempo.

1 comentários:

am disse...

Uma primeira parte miserável com duas equipas a praticar um futebol fraco. Uma segunda parte melhor mas, mesmo assim, a anos luz do que deve ser o futebol. O Benfica não está a jogar nada é verdade, mas ontem foi a única equipa que quis vencer. E a única que fez por isso. Porque, ou muito me engano, ou o Moreira não fez uma, UMA, defesa que fosse. Agora, caros amigos benfiquistas, há razões para andarmos preocupados com este futebol triste e cinzento. QUEREMOS MAIS!

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.