Anda no ar um cheiro a tragédia grega

quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

Extinta está a confiança a depositar nos juramentos; não posso compreender se os deuses por quem então juraste já não governam ou se os homens vivem segundo novos princípios éticos, Eurípides.

Os jogadores gostam todos muito do Benfica quando chegam, e é a melhor coisa que lhes aconteceu na vidinha e mais não sei quê. Mas se espremermos tudo bem espremidinho no final ficam sempre apenas e só os adeptos.

Ou os paraguaios são parvos ou temos o ponta-de-lança errado

Pablo Zeballos com mais de cinco mil votos e Cardozo nem com 600 (já para não falar do Lucas Barrios, que tem 50). Votação aqui (numa barra do lado direito).

São parvos, parece-me. Ou então só seguem o campeonato paraguaio...

A minha opinião muito resumida sobre o affair Amorim

quarta-feira, 28 de Dezembro de 2011

Jorge Mendes (desde que o rapaz trocou de empresário são "episódios" atrás de "episódios").

Roí-te de inveja Tino, isto sim é um presente de Natal

terça-feira, 27 de Dezembro de 2011


Querias andar nas obras assim, não era? Temos pena!

Comei, mas com cuidado

sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011

Dada a conjuntura económica pouco favorável a grandes loucuras e os tempos austeros que aí vêm, entendi por bem ser um gajo comedido no meu pedido de Natal para o Benfica. Pedi o Neymar.

Quantos a vocês, por favor não abusem de fritos e outras gorduras durante os próximos dias, porque vamos todos precisar de corações saudáveis para aguentar os festejos do título a dez jornadas do fim e um golo do Artur de baliza a baliza, nos descontos, a dar a vitória na final da Champions.

Que nada o pare

quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011

Parte os rins a um médico, passa por entre duas enfermeiras, tira quatro auxiliares do caminho, salta por cima de uma maca e sai disparado porta fora. Não espero menos do que isto de Eusébio.

Força, King!

Já rolam cabeças


Eis que regressam as míticas montagens photoshopianas do Record. O primeiro a ficar sem cabeça foi o desgraçado do Emerson.

Calma, vou dar prendas a todos

quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011

Artur: O rei que foi e um dia será, de Terence White. A melhor obra sobre o lendário Rei Artur.

Eduardo: A Bíblia, de "vários gajos". Porque acredito que só com muita fé irá Eduardo conseguir manter-se no banco e ver Rui Patrício ser titular da selecção no Euro 2012.

Mika: Tarzan, O Filho das Selvas, de Edgar Rice Burroughs. Porque o Mika está a ser criado com os gorilas Artur e Eduardo e vai desenvolver capacidades atléticas fora do normal que, daqui a alguns anos, torná-lo-ão um herói das balizas do Benfica.

Maxi: O Fiel Jardineiro, de John le Carré. Uma homenagem ao nosso Maxi, que se manteve fiel ao seu amor até ao fim, apesar de ameaças de empresários e promessas de dinheiro.

Luisão: Moby Dick, de Herman Melville. Porque um capitão, se necessário for, deve morrer por uma causa.

Garay: César - A Vida de Um Colosso, de Adrian Goldsworthy. A espectacular e mais completa biografia do gajo que, tal como Garay, "Veni Vidi Vici".

Jardel: O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde, de Robert Louis Stevenson. Se o Jardel aprender a controlar a brutidão e estupidez do Mr. Hyde que há em si, será um excelente central.

Miguel Vítor: 1984, de George Orwell. Porque o Miguel tem todo o direito à sua individualidade enquanto jogador e a não querer jogar nas laterais.

Emerson: Elogio da Loucura, de Erasmo de Roterdão. Porque há elogios e elogios.

Capdevila: Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez. Com tanto tempo livre, o Capdevila reúne as condições ideias para ficar a saber de cor os nomes e graus de parentesco entre todos os Buendía.

Luís Martins: As Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift. A passagem de Liliput para Brobdingnag não está a ser nada fácil para o jovem Luís.

Javi: A Cor Púrpura, de Alice Walker. Para ajudar o nosso Javi com o seu grave problema de racismo.

Matic: O Homem sem Qualidades, de Robert Musil. É inegável que o Matic tem qualidades mas parece ainda não ter encontrado a melhor forma de as mostrar.

Rúben Amorim: Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe. O Rúben tem uma paixão avassaladora pelo Benfica, mas se for paciente a história não tem necessariamente que acabar mal.

Witsel: As Aventuras de Tintin, de Hergé. As estórias de um puto belga com um cabelo peculiar para outro puto belga com um cabelo peculiar.

Rúben Pinto: Adrian Mole na Crise da Adolescência, de Sue Townsend. Porque o puto ainda é muito jovem para se preocupar com o difícil mundo do futebol profissional.

Bruno César: Guerra e Paz, de Tolstoy. Apenas porque é um livro de peso.

David Simão: O Tambor, de Günter Grass. Para que o David não decida parar de crescer, como fez o pequeno Oskar.

Enzo Pérez: O Estrangeiro, de Albert Camus. Porque o Enzo aparentemente não tem motivo para fazer o que está a fazer. À semelhança de Mersault, talvez seja só "por causa do sol". Enfim...

Gaitán: Enquanto Agonizo, de William Faulkner. Porque é importante estabelecer e compreender a relação entre aquilo que pensamos que somos e aquilo que os outros pensam que somos.

Nolito: A Laranja Mecânica, de Anthony Burgess. Porque eu não gostaria nada de ver o Nolito ser submetido ao Método Ludovico. Quero um Nolito criminoso, agressivo e vagabundo dentro do campo.

Aimar: Odisseia, de Homero. Porque o Aimar ainda tem muito que ver e fazer antes de regressar à sua pátria.

Cardozo: O Processo, de Kafka. Porque o Cardozo decerto não compreende do que é acusado.

Saviola: O Senhor dos Anéis, de Tolkien. Pois como diz Galadriel a dado momento: "Even the smallest person can change the course of the future".

Rodrigo: Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust. Não, não estou a dizer que o Rodrigo é homossexual. Quero antes focar-me no facto de Proust dissertar (e como o homem disserta!) sobre como todos nós somos artistas em potência e de que precisamos apenas de conseguir utilizar a experiência que vamos adquirindo para o demonstrar.

Nélson Oliveira: O Bosque das Ilusões Perdidas, de Alain Fournier. Para o Nelson compreender que não se deve agarrar nostalgicamente ao passado, já que é impossível lá voltar.

Rodrigo Mora: Não recebe nada porque já não volta de férias.


Jorge Jesus:
A Arte da Guerra, de Sun Tzu. Porque todos os pequenos pormenores contam para vencer.

Luís Filipe Vieira: O Príncipe, de Maquiavel. Um líder de massas tem que ter este livro na mesa-de-cabeceira.


P.S. Um conselho para os meus leitores: se ainda não leram pelo menos uns três ou quatro destes livros, vão já a correr a uma livraria ou biblioteca municipal e larguem este mundinho superficial dos blogs por uns tempos, que aqui não se aprende nada de jeito.

Natal na Luz

Jornada 17: dias 20, 21 e 22 de Dezembro

Jornada 18: dias 26 e 27 de Dezembro

Jornada 19: dias 30 e 31 de Dezembro e 1 de Janeiro

Jornada 20: dias 2, 3 e 4 de Janeiro


Das várias coisas que me atraem no campeonato inglês, a forma como eles conseguem casar o futebol com a quadra natalícia, com famílias inteiras a irem à bola, é, sem dúvida, a minha preferida. Como eu gostava de, por exemplo, poder ir ver um jogo à Luz com toda a família no dia 26 ou com os amigos de directa no dia 1.

Não gostam? Mandem para cá

terça-feira, 20 de Dezembro de 2011

Comentários sobre Salvio retirados de um fórum do Atlético de Madrid:

pues yo no soy de reyes ni dejo de serlo, sin embargo estoi seguro de que salvio es un puto paquete que no vale para el atleti y a mi me la suda que corra mucho pero esto no es 2ºb, esto es 1º y es el atleti, al menos antes lo era, y se necesita algo mas que correr y luchar para ser titular.

pulir algunas cosas?? si llamas pulir algunas cosas a enseñarlo a regatear, centrar y tirar a puerta pues si.. podria ser bueno

A Salvio lo unico que le falta son los 3 segundos para pensar al finalizar las jugadas. Como extremo es un puñal es rapido y va muy bien al espacio, aunque no sea muy habil regateando. genera mucho futbol ofensivo aunque luego lo desperdicie el mismo fallando el ultimo pase o remate. Yo le veo muy acelerado en cuanto se calme y coja confianza para mi va a ser un buen jugador.

Yo no soy de Salvio ni dejo de serlo a mi me parece que es un jugador que puliendo algunas cosas puede ser bueno para el equipo pero si le veo la actitud del otro que lo manden a Argentina yo no le voy a defender.

yo soy del Atleti, pero si van a mal vender a reyes al Sevilla, y vamos a quedarnos con Salvio, por eso me quejo, porque soy del Atleti y quiero tener jugadores de calidad en mi equipo, no salvios que de calidad anda justito.

Cuando se vaya ya lloraremos al igual que se llora por Elias.

mira si soy un defensa y recibe el balon en mi area salvio yo me voi hasta el banquillo bebo un poco de agua, charlo un poco con los suplentes, recibo unas instrucciones del mister, me vuelvo tranquilamente hacia donde estaba antes y si aun salvio no ha tirado el balon fuera del campo tirando a puerta o se ha roto los dientes tropezandose con el balon yo cojo y se lo quito y a seguir jugando

el tonto salvio esta dando todo lo que tiene y da pena y dolor verle tropezarse consigo mismo todo el tiempo


Acho piada aos que dizem que o Salvio demora muito tempo a finalizar as jogadas e que normalmente as decide mal.

A propósito de uma votação que anda por aí a decorrer


Se eu achar esta camisola mais bonita, e até mesmo que esta se identifica mais com o Benfica, do que a do nosso equipamento alternativo, sou um mau benfiquista?

Ainda há homens dignos no futebol português

segunda-feira, 19 de Dezembro de 2011

Duarte Gomes é um árbitro sério e honesto. Reparem na hombridade do homem ao, publicamente, confessar que errou ao não assinalar um penálti a favor do foculporto no último jogo. E agora viajemos até 2007, e recordemos a forma como o mesmo Duarte Gomes admitiu, também publicamente, que se tinha equivocado ao assinalar um penálti a favor do Benfica, num jogo contra o Estrela da Amadora a contar para a Taça da Liga. Eu gosto de pessoas assim, que assumem os seus erros perante tudo e todos.

É claro que o facto de, aparentemente, escolher a dedo os jogos em que se pronuncia sobre os seus erros tendo em conta as equipas que beneficiou ou prejudicou, é um pormenor sem importância nenhuma.

Emerson, uma estrela em ascenção. Ou então, não

Uma frase recorrente nestes últimos dias é "Quem dizia mal do Emerson o que diz agora depois da exibição contra o Rio Ave?"

Pessoalmente continuo a dizer que o Emerson é fraco de mais para as aspirações do Benfica. Numa defesa com Tahar, Ronaldo e Sousa seria claramente uma mais-valia, mas agora temos Luisão, Garay e Maxi. A discrepância de qualidade é abissal. Além disso, é um bocado idiota analisar o que realmente vale um jogador após o final de cada jogo (e há muita gente que raciocina assim) e não apenas a exibição do jogador nesse mesmo jogo.

Porque depois temos um jogador que é brilhante numa semana, na outra a seguir já é só mediano, depois é fraco, mais tarde é uma merda, depois já é genial, depois tem que ser vendido, etc, etc, etc. Isto é esquizofrénico. O Emerson não é horripilante por causa de um jogo em particular nem é um grande jogador por causa de sexta passada. O Emerson, nos vinte e tal jogos que já fez, não é jogador para ser titular de um Benfica que se quer forte em todos os sectores. Já a época passada foi o mesmo filme com o Roberto...

Por falar em Roberto, julgo que esta época já toda a gente compreendeu a diferença que é jogar com um guarda-redes frio e seguro entre os postes. Pois bem, eu acho que quando o Benfica estiver a jogar com um defesa esquerdo a sério é que muita gente vai perceber aquilo que realmente vale o Emerson.

Artur também marca golos bonitos

domingo, 18 de Dezembro de 2011

Artur teve um dia especial após o triunfo sobre o Rio Ave. O guardião brasileiro visitou, no âmbito de uma iniciativa da Fundação Benfica, o IPO (Instituto Português de Oncologia), tendo realizado o desejo de dois pequenos adeptos encarnados, ansiosos por conhecer um dos seus ídolos, que espalhou alegria e simpatia no serviço de pediatria.

O Benfica não é meramente um clube desportivo. O Benfica não se esgota na alegria da vitória ou na tristeza da não-vitória (porque o Benfica nunca perde). O Benfica é isto que o Artur fez ontem, que, na minha opinião, vale bem mais do que um campeonato. É um gesto muito bonito, muito humano. É Benfica.

Dispensa comentários

11 de Dezembro de 2011

Pedro Martins: A expulsão do Olberdam foi um dos momentos que ajudaram a decidir o encontro, mas existiram outros que também influenciaram. Antes do golo há uma falta do Aimar sobre o Peçanha. E também já me deram indicações que o Cardozo está fora-de-jogo quando marcou. Jorge Sousa, hoje, não esteve à altura do jogo.

Briguel: A expulsão prejudicou a nossa tarefa e os amarelos também condicionaram. Com 11 já era complicado, com 10 pior ainda. As pessoas que analisem, o árbitro deu vermelho e temos de compreender. Não é completamente justo, acho que neste jogo teve influência no resultado.


17 de Dezembro de 2011

Pedro Martins: Essa responsabilidade é minha. Não há nada a apontar, o FC Porto jogou melhor e mereceu vencer este encontro. Tentámos anular o adversário ao máximo mas não conseguimos. Muita entrega mas manifestamente foi curto.

Peçanha: Não queríamos essa derrota mas temos de dar os parabéns ao FC Porto. Jogar no Dragão com um a menos é complicado. Se já com onze é difícil, imaginem com dez.

Natal antecipado

sábado, 17 de Dezembro de 2011


Um dos meus pedidos de Natal já está, embora confesse que estava a ver o caso mal parado. Mas para a próxima não prolonguem a novela tanto tempo, por favor. Compreendo que este tipo de coisas tenham que ser tratadas com sigilo mas para quem está de fora e não sabe o que se passa é angustiante estar a ver o tempo passar sem nada ser anunciado.

Eu gosto muito do Nolito, foi amor à primeira vista

Penso que hoje acabou o mito que diz que o Gaitán é o único desequilibrador do plantel e que sem Gaitán o futebol do Benfica é previsível. E penso também que reentregar a ala esquerda a Bruno César será raiar a loucura.

Depois do entusiasmante início de época, é verdade que o Nolito atravessou um período mais cinzento mas nunca percebi muito bem por que raio foi tirado do onze inicial. Jogadores que sabem jogar em espaços muito curtos, e que têm eles próprios um toque de bola curto, são fundamentais para destroçar a larga maioria das equipas do nosso campeonato. Não é nenhum Messi, nenhum Pedro nem nenhum Alexis Sánchez, mas é o gajo que provavelmente iria ser suplente dessa rapaziada e eu não tenho nenhum nojo nem me cai o orgulho benfiquista por ficar com as sobras do Barcelona, antes pelo contrário.

Espero que se mantenha como titular, porque ver o Nolito no banco do Benfica é tão idiota como ir para uma festa de estudantes Erasmus e deixar os preservativos em casa.

BENFICA 5 - 1 Rio Ave

sexta-feira, 16 de Dezembro de 2011

Um jogo com dois momentos distintos: cerca de 20 minutos de domínio sem remates à baliza e com um golo sofrido; e um segundo momento com um Benfica rematador, dominador, pressionante e goleador.

Depois de sofrer o primeiro golo, contra a corrente do jogo, a equipa soltou-se e começou a rematar. Resultado: ao intervalo ganhávamos por 3-1.

A segunda parte começa com o golo de Garay e só depois dos 70 voltámos a marcar.

O Rio Ave teve algumas oportunidades, mas está um senhor na baliza.


Artur - todas as intervenções foram feitas com segurança. É fantástico como sai da baliza com confiança e determinação. Hoje precipitou-se em algumas reposições de bola.

Maxi - continua a correr muito e a apoiar o ataque. Infelizmente, tem falhado os cruzamentos. Bom jogo, mas pode melhorar.

Garay - grande jogo do argentino, coroado com um golo de cabeça.

Jardel - não é nem nunca será o Luisão. Teve algumas falhas, mas foi cumprindo.

Emerson - talvez o melhor jogo que fez com o manto sagrado. Defendeu bem e serenamente. Apoiou o ataque. Não teve falhas de maior.

Javi - grande jogo. Sempre bem nas dobras e na recuperação da bola.

Witsel - bom jogo. É um prazer vê-lo jogar. Grande técnica e poder de segurar a bola.

Aimar - não sabe jogar mal. Esteve em dois golos, mas no golo do Saviola o passe é de sonho. Renovem já.

Saviola - bom jogo do Conejo. Rematou muito e acabou por marcar. Saiu "cedo".

Cardozo - remata menos do que noutras épocas. Originou o lance do penalti e concretizou com potência... 121 km/h

Nolito - que grande jogo. Foi imparável no 1 para 1. Inventou um golo fantástico junto à linha final e podia ter marcado mais ainda na primeira parte. Na segunda parte, fez o segundo, quando não era de prever que rematasse. Muito bom.

Gaitan - discreto, talvez por estar a reentrar na competição.

Rodrigo - entrou com muita vontade. Tentou várias jogadas individuais e esteve perto de marcar por duas vezes. O guarda-redes opôs-se bem.

Nélson Oliveira - jogou 15 minutos. Rematou uma vez. Denota-se algum nervosismo, muito natural.

Benfica à moda de The Beatles

Artur: Here comes the sun, Here comes the sun, And I say "It's all right".

Eduardo: Obladi oblada life goes on bra, Lala how the life goes on.

Mika: The long and winding road...

Maxi: It's been a hard day's night and I've been workin' like a dog.

Luisão: It's getting better all the time.

Garay: I'm fixing a hole where the rain gets in.

Jardel: I get by with a little help from my friends.

Miguel Vítor: Help me if you can, I'm feeling down. And I do appreciate you being 'round. Help me, get my feet back on th ground. Won't you please, please, help me?

Emerson:
We're sorry but it's time to go.

Capdevila: The newspaper said what are you doing in bed?

Luís Martins: I will return, I'll return.

César Peixoto: All the lonely people, Where do they all come from? All the lonely people, Where do they all belong?

Javi: Black, white, green, red, can I take my friend to bed?

Matic: Because I've told you before, Oh, you can't do that.

Ruben Amorim: He's a real nowhere man, sitting in his nowhere land.

Witsel: For I don't care too much for money, For money can't buy me love.

Enzo Pérez: You say goodbye and I say hello, Hello hello, I don't know why you say goodbye, I say hello.

Gaitán: Although your mind's opaque, Try thinking more if just for your own sake. The future still looks good, And you've got time to rectify all the things that you should.

Nolito:
Let it be, let it be. There will be an answer, let it be.

Bruno César:
I'm sorry that I doubted you, I was so unfair.

David Simão: Well shake on you baby now, shake on baby, twist and shout!

Ruben Pinto:
Well I talk about boys. Don't you know I mean boys? Well I talk about boys now. Ah, boys!

Aimar:
Yeah, you've got that something, I think you'll understand, When I'll say that something, I want to hold your hand.

Rodrigo: Sitting in the English garden waiting for the sun.

Rodrigo Mora: I don't want to spoil the party so I'll go. I would hate my disappointment to show. There's nothing for me here.

Nelson Oliveira: Yesterday, all my troubles seemed so far away. Now it looks as though they're here to stay. Oh, I believe in yesterday.

Saviola: Suddenly, I'm not half the man I used to be. There's a shadow hanging over me, Oh, yesterday, came suddenly.

Cardozo: All you need is love, love, That is all you need.


Jorge Jesus:
Expert, textpert, choking smokers don't you think the joker laughs at you?

Não, não comi a Maya

Antes do sorteio da fase de grupos disse que queria o Basileia e o Otelul. Antes do sorteio dos oitavos-de-final disse que queria o Zenit. Vou aproveitar a embalagem e dizer que quero chegar à final contra uma equipa qualquer (alô, APOEL?).

Pronto, já fiz a minha parte.

Para a Rússia, pois então

Aqui ficam os resultados da sondagem referente ao adversário preferido nos oitavos-de-final da Champions:

CSKA 27,3%
Zenit 25,2%
Milan 15,5%
Marselha 12,9%
Leverkusen 12,6%
Lyon 5%
Nápoles 1,5%


Isto demonstra como os benfiquistas estão bem escaldados com máfias. O jogo de bastidores do Platini em Zagreb assustou bem mais do que a equipa do Lyon e a Camorra napolitana também mete respeito. Vamos então para a Rússia, que lá também há máfias mas em Fevereiro vai estar tanto frio que eles vão andar mais entretidos com gajas e vodka. Nasdrovia!

Leonor, mais...

quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011

Sporting gosta de ir ao papa, sempre gostou.

Aqui há uns tempos escrevi um post com o título "Leonor, menos...", um pouco indignado com o facto de a Leonor Pinhão considerar o Braga um rival directo do Benfica. Não gostei, pronto. Mas como procuro ser um gajo justo, hoje peço-lhe precisamente o contrário.

Satisfação/Insatisfação com o SLB

Os factos são inequívocos. O SLB é o maior clube do mundo em sócios, um dos maiores do mundo em adeptos, fervorosos no apoio e próximos no acompanhamento da actividade do clube.

Tamanha dimensão encerra em si óbvia heterogeneidade humana – desde a mais fina estirpe até ao fanático mais desprezível, temos de tudo, mais do que todos. E se até nos mais duros e sádicos regimes ditatoriais são visíveis focos de insatisfação (vide o caso do Cebola), nos democráticos essa questão está recorrentemente presente no dia-a-dia.

Amplamente discutidos, elogiados e criticados são 3 activos do nosso clube: Presidente, Treinador e o Goleador. Também temos intocáveis como Aimar e também temos um Emerson a quem associar um elogio nos dias que correm é mais difícil que encontrar uma vitória do Zbordin em Itália desde que o desporto rei existe. Temos obviamente de tudo.

É consensual a impossibilidade de “seguidismo cego” (felizmente no SLB existe muita gente a pensar o clube e nem todos são obrigados a partilhar e apoiar todas as medidas do Presidente).

É também óbvio para todos que é impossível evitar a intervenção dos contestatários nos media e no estádio. O clube não vai ganhar sempre, não vai golear sempre, os jogadores e o treinador terão falhas e os contestatários far-se-ão ouvir, o Cardozo irá continuar a encostar o dedo à boca para os mandar calar, etc.

Então face a isto tudo, que soluções existem? Banir o “gang do assobio” do estádio? Forçar implementação do Vieirismo, Jesusismo ou Emersonismo? Jogar à porta fechada?

Pensei em 3 ou 4 questões que aproveito para partilhar convosco. Parti dos seguintes pressupostos:

1: Durante o jogo a equipa necessita de total e indivisível apoio, uma ligação total entre jogadores e adeptos.

2: Tem de haver formas de expressar o desagrado, mas estas não poderão impactar o desempenho imediato da equipa, ou seja, deverão ser efectuados num momento onde a razão se sobrepõe à emoção e por essa via existe maior facilidade de compreensão.

3: Todos têm de ganhar com a implementação de um processo de monitorização da satisfação/geração de feedback (sócios, adeptos, direcção, estrutura de futebol e jogadores).

As sugestões:

1:Aplaudir/Contestar no Intervalo ou no Final do Jogo. Existem 2 momentos qualitativos emocionais mas geradores de menor impacto que devem servir de avaliação: O intervalo e o final do jogo. Estes deverão ser os únicos momentos onde a contestação ou desagrado poderá na minha opinião ser manifestado. O trabalho está a meio ou no final, nada está a ser condicionado no momento pelo que o feedback (positivo ou negativo) deverá ser uma realidade que ajudará a sentir a forma como os destinatários estão a ver o acontecimento. Nestes 2 momentos, admitiria o assobio (apesar de não ser apologista que assobie a equipa, dado ter mais sugestões de outras formas de expressar o meu descontentamento, como se poderá ver já de seguida).

2: Pedir aos portadores de Redpass feedback. Todos os jogos recebo um mail com a estatística do nosso jogo em casa no fds. Este mail pode ter um link para um pequeno questionário com perguntas de escala onde se avaliam aspectos específicos do jogo (exibição global, atitude, “nota artística”, treinador, árbitro, avaliação individual dos jogadores, etc). Daqui saia um barómetro real, no dia seguinte ao jogo, da forma como os adeptos viram a exibição da equipa, que serviria internamente para procurar melhoria de desempenho e sobretudo um escape para os desabafos dos adeptos – Apoia hoje, avalia amanhã, temos interesse em ouvir-te.

3: Facebook: O espaço para todas as opiniões. O grande espaço de expressão livre que pode ser facilmente monitorizado pelo Benfica neste momento. Em breve com 1 milhão de seguidores, deve ser instrumento de divulgação e envolvimento, mas também de feedback. Existem ferramentas freeware que facilmente permitirão tirar a “temperatura” e os focus de insatisfação face ao clube e equipa, para no futuro melhorar. Este é o local certo para fazer sondagens do género: Quem gostarias que renovasse contrato com o clube? Qual o jogador que pensas deve melhorar mais o seu desempenho? Etc.

4: Assembleias Gerais e Eleições. Onde os Benfiquistas poderão contribuir para as alterações desejadas. É aqui que quem contesta deve surgir, apresentando as razões de insatisfação e as sugestões para um Benfica melhor. Só possível a sócios.

Tudo o resto (blogs, painéis televisivos, fóruns de rádio, Jornais, etc) são elementos de escape para todos, apoiantes ou contestatários, devendo ser monitorizados mas não poderão ser indicadores da satisfação com o clube.

São basicamente 2 ideias chave:

Em jogo apoiamos sem receio, apelamos à entrega , recompensamos as boas acções, aplaudimos os erros com a convicção de que o nosso impulso será positivo no curto prazo.

Pós jogo manifestamos o que de bom e menos bom encontrámos num SLB que, quer se queira interiorizar ou não, ainda apresenta significativas áreas de melhoria dentro e fora de campo (uma delas é como já se percebeu a incapacidade para obter feedback dos adeptos e sócios). Esta manifestação deverá ser controlada pelo clube e massificada em termos de acessibilidade, desde o "Estripador de Lisboa" à mais fina estirpe, porque ainda anda pela faixa do símbolo a expressão "E Pluribus Unum".

Está a chover? E então?

quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011


Eu nem tenho palavras para a beleza desta foto (cedida pelo Blog de Leste) e o sentimento que me invade quando a contemplo.

Hoje em dia este cenário é impossível, porque não nos deixam levar chapéus-de-chuva para a bola. Dizem que podemos arrancar olhos e esventrar as tripas uns aos outros. Somos uns mauzões!

A única coisa que está a ser renovada é a paciência, e mesmo essa tem limites

Parece-me que quem, desde há quatro anos e meio para cá, paga todos os meses ao Maxi, quem lhe dá a oportunidade de conquistar títulos, quem lhe possibilita ser chamado à selecção do seu país, quem lhe permite ser acarinhado por milhares e milhares de pessoas não é o senhor Paco Casal mas sim o Sport Lisboa e Benfica.

Agora se o Maxi prefere manter-se fiel ao seu empresário enquanto vai dizendo que gosta muito do Benfica, que quer ficar e toda uma série de larachas, pois que faça uma boa viagem. Que se comece a procurar um lateral direito (dois, aliás, um para titular outro para suplente).

Histórico, mítico, orgásmico


Eis o único título que o zbordin conquistou com os famosos 7-1: o título de uma capa de jornal. Já o Benfica, nessa época, não só conquistou mais um título de campeão nacional como ainda por cima venceu também a Taça de Portugal frente ao... zbordin. As taças destes dois títulos estão expostas na Luz para toda a gente ver.

Nunca entrei na sala de exposições do zbordin, mas é bem provável que esta capa d'A Bola esteja lá numa vitrina. Aliás, não numa vitrina mas sim na vitrina. O dia mais importante da vida do clube merece, com toda a certeza, lugar de destaque. Porque o zbordin acarinha a sua história. Só lhes fica bem.

Três...

terça-feira, 13 de Dezembro de 2011

...anos de Céu Encarnado. Obrigado às várias pessoas com quem, através do blog, fui travando contacto, nuns casos meramente cibernáutico, noutros ao vivo e a cores. Obrigado pelos elogios. Obrigado também pelos insultos (e aqui gostaria de realçar duas coisas: a primeira é que questionei a minha mãe sobre o assunto e ela assegurou-me que nunca enveredou pelo caminho da prostituição; a segunda é que, e compreendam isto de uma vez por todas, "cu" não tem acento no "u").

No fundo, obrigado a quem vai passando por aqui.

O melhor estádio da Europa

É o nosso, como é evidente. Votar aqui (clicar no rectângulo verde por baixo da imagem), se faz favor.


P.S.
Os adeptos do zbordin que não desesperem por o seu belíssimo estádio não se encontrar entre os candidatos. O IKEA irá brevemente colocar no seu site oficial uma votação para a casa-de-banho mais bonita e arejada.

Não era penálti


Lanço um desafio à malta d'O Jogo: continuar na senda jornalística da procura da verdade e fazer várias capas com os penáltis que foram incorrectamente assinalados a favor do foculporto até agora e também com aqueles que, seguramente, como bem sabemos, se seguirão até ao final da época.

Isso é que era de homem!

Capdevila, um tipo com sorte na vida

segunda-feira, 12 de Dezembro de 2011

Um gajo que numa época tem o privilégio de treinar todas as semanas com Aimar e depois num belo dia vai jogar na equipa de Ronaldo, Hierro, Popescu, Hagi, Figo, Zidane, McManaman, Nedved ou Cannavaro só pode ser um homem cheio de sorte. E no resto do tempo, que é absurdamente imenso, faz o que lhe apetece... Também quero!

Uma agulha num palheiro

O importante é o Benfica. Se existe uma equipa interessada, que fale com o presidente e connosco e depois se verá. É fundamental que o jogador cumpra o seu contrato, pois o clube está a cumprir com ele.

Não é a primeira vez que copio para aqui declarações do empresário de Javi, e não será seguramente a última. Empresário esse cujo nome acabei de ler na notícia mas que, mais uma vez, já esqueci, o que é sintomático do low profile do homem. Fala muito pouco e fala bem, não cria ondas, não alimenta rumores, não faz pressão através da imprensa, não manda bocas foleiras. No fundo, dá total estabilidade à relação clube/jogador.

Agora a minha questão é a seguinte: por que é que este homem é um entre mil? É uma pena que assim seja.

And counting...


Um falhanço para mais tarde mostrar aos netos e dizer "Vêem? O avô também fazia destas" e um golo que transformou um empate que nos tiraria da liderança numa vitória muito sofrida e respectivos e saborosos três pontos. Isto depois de há uns dias outro golo seu nos ter colocado como possíveis adversários no sorteio CSKA, Zenit e restantes segundos classificados em vez de Real Madrid, Barcelona ou outros do género.

Óscar Cardozo é um jogador bastante sui generis e incompreendido. Espera-se dele aquilo que ele nunca poderá fazer e não se dá valor suficiente àquilo que ele efectivamente faz de bom. Uns adoram; outros detestam. Mas o que é certo é que Cardozo já marcou, continua e, espero eu, continuará a marcar uma era no Benfica, no que a pontas-de-lança diz respeito.

Marítimo 0 - 1 BENFICA

domingo, 11 de Dezembro de 2011

Por só ter visto o jogo a partir dos 30 minutos, não vou fazer uma análise individualizada dos jogadores do Benfica, mas sim da equipa no seu todo.

Do que vi, a equipa pareceu-me lenta e a cometer imensos erros no ataque, com passes falhados e pouquíssimos remates. O próprio desenho das jogadas esteve muito aquém do esperado.

Na defesa, também houve desconcentrações, com Jardel a conseguir o melhor e o pior.

Apesar de termos ficado com mais um jogador em campo, o Marítimo conseguiu criar algumas oportunidades, quando seria de esperar que fosse o Benfica a pegar no jogo e a tentar decidi-lo.

Foi uma vitória importante, que nos recoloca no primeiro lugar.

Venha agora o Rio Ave.

Grande jogatana

Tive pena de hoje não poder ter estado em Lisboa para ir ver o grande jogo de basquetebol que acabou agora. O Benfica tem realmente um belo plantel, recheado de boas soluções. O Sérgio Ramos, que faz hoje 36 anos, já não tem a preponderância de outras épocas mas mantém-se como o verdadeiro líder da equipa.

Meia-verdade

Afinal Ricardinho vem mesmo para o campeonato português. O Record só falhou no clube. É uma melhoria significativa nos índices de veracidade das notícias desse jornal. Os meus parabéns à redacção do Record, pois então.

SLBenfica Fantasy Manager 2012 - para Iphone

Quem tiver este jogo instalado e quiser aumentar o número de sócios, por favor partilhe neste post o código de sócio.

O meu é GiZLRS

Desperdício

sexta-feira, 9 de Dezembro de 2011


Boa técnica, movimenta-se bem, mais um grande golo hoje. É um desperdício estar emprestado ao último classificado do campeonato.

O que vale é que eu prezo bastante a amizade

Um amigo meu adepto do foculporto, daqueles que passou sempre uma esponja sobre as escutas, as viagens do Calheiros, o guarda Abel, os quinhentinhos e todo esse conhecido rol de habilidades, porque "isso são tudo coisas saídas da cabeça de benfiquistas que não sabem perder", vira-se para mim e diz: Ó pá, tu já me viste a escandaleira daquilo do Lyon e do Ajax? A UEFA é uma vergonha!

Ricardinho assina pelo zbordin

quinta-feira, 8 de Dezembro de 2011

Tenho uma história com o Benfica. Foram sete anos, ganhei muitos títulos, fiz muitos amigos. Eu costumava dizer que o Benfica era a minha segunda família e, se calhar, até passava mais tempo no Benfica do que com a minha família e não esqueço o sentimento que criei com o Clube e com os adeptos. Acima de tudo, quero que todos saibam que o meu clube em Portugal é o Benfica e que, quando voltar, vai ser de águia ao peito. Mais aqui.

Afinal foi apenas mais um sonho molhado do Alexandre Pais e de alguns dirigentes do zbordin. Limpem-se, por favor.

Próximo...

Podem votar aqui ao lado, se faz favor.

Apesar do frio e da possível neve em Fevereiro, eu prefiro uma das equipas russas, talvez o Zenit. Por outro lado, a única equipa que quero claramente evitar é o Milan.

P.S. Ontem escrevi o seguinte: No grupo D o segundo lugar é do Ajax, a menos que, por exemplo, perca por três golos de diferença contra o Real e o Lyon vença o Zagreb por cinco de diferença. Depois de ver os dois golos anulados ao Ajax e a goleada à antiga do Lyon... Estes gajos da UEFA são uns brincalhões do caraças e de certeza que quem nestes últimos dias andou nas casas de apostas a colocar dinheiro no improvável apuramento do Lyon vai ter um Natal bem gordinho. Parabéns a esses "visionários" da bola.

"Valeu pelo resultado", uma frase banal mas que ainda dá pontos

quarta-feira, 7 de Dezembro de 2011

Enquanto as regras não forem alteradas, eu vou sempre preferir vencer um jogo sem jogar nada de jeito do que não vencer e fazer uma exibição de encher o olho mas com as bolas a acabarem todas nos ferros ou nas luvas do guarda-redes adversário.

Agora o que me preocupa é se o Benfica vai aguentar continuar a apresentar um futebol sem grande chama sempre a vencer.

E com a subida do IVA no preço dos bilhetes já a partir de Janeiro, se calhar estes vão ficar um bocado caros só para ver 60/65 minutos de futebol. É que quando o Aimar sai do relvado o futebol acaba.

Por outro lado, claro que quem se entretém a assobiar dá sempre o seu dinheiro por bem empregue, presumo. Sempre é mais barato e animado ir à bola descarregar as frustrações do que arrotar 50 ou 60 euros para passar uma hora deitado num sofá a debitar o que vai na alma numa consulta psiquiátrica.

Match Highly Underrated

1: Zero Pontos na LC

2: Derrota com o Vaslui na última jornada do campeonato Romeno

3: Futebol básico, pontapé para a frente

4: Jogadores medianos, sem capacidade para desequilibrar

5: Em passeio por Lisboa

Isto é o Otelul com quem jogaremos mais logo. Mais um típico jogo que, não tendo nada indiciador de que pode correr mal, às vezes corre.

E como queremos manter o lugar cimeiro e o contexto alargado diz-nos que:

1: Já marcaram golos fora ao Basel e criaram oportunidades frente ao Man Utd em Old Trafford

2: A defesa do SLB será Ruben ou Miguel Vitor / Jardel / Garay / Emerson. Não é descabido pensar que poderão existir falhas / desatenções comprometedoras (esperemos que não)

3: Existe descompressão dos jogadores do Benfica, por garantia do apuramento

4: Pode estar nos nossos jogadores o pensamento “Isto mais cedo ou mais tarde resolve-se”

5: Os adeptos e sócios presentes (em números baixos), estão também à espera que se resolva facilmente

O caldo pode entornar! Para que não aconteça, precisamos de entrar a matar e deixar tudo rapidamente resolvido. Carrega Benfica!

O Benfica não vai passar à próxima fase e portanto não jogará contra ninguém. É pena.

Pelos vistos há novo sururu no reino da águia. Sinceramente não consigo ver onde está o mal de Jesus dizer, bem-disposto e num clima de descontracção que "gostava de defrontar o Barcelona, mas na final. Era bom sinal, de que o Benfica tinha chegado à final", isto depois de lhe terem perguntado contra quem gostaria de jogar.

Talvez tivesse sido melhor se o homem tivesse dito, com ar carrancudo, que não gostaria de jogar contra ninguém porque o Benfica nem sequer iria passar à próxima fase ou algo deste género.

Eu acho que se deve criticar Jesus onde há motivos concretos e plausíveis para isso, e infelizmente vão havendo alguns, e também acho que ele se deve refrear mais no discurso. Agora pegar em pentelhices deste género... Get a life.

O primeiro tem que ser nosso

terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

Já são conhecidas as classificações de quatro grupos da Champions. Como estou a contar que o Benfica vença amanhã o Otelul, hoje estava especialmente atento às várias lutas pelos segundos lugares. No grupo E correu tudo como eu queria, o Chelsea desalojou o Leverkusen do primeiro lugar e os alemães passaram para segundo. No grupo F penso que não correu bem, já que o Olympiacos, apesar de ter vencido o Arsenal, não conseguiu roubar o segundo lugar ao Marselha, que conseguiu a qualificação com dois golos nos últimos cinco minutos. No grupo G também não correu bem, porque estava a contar que o Zenit ganhasse no Dragão e deixasse assim o APOEL em segundo. No grupo H já estava tudo decidido, o segundo lugar é do Milan.

Quanto a amanhã... No grupo A a escolha não é nada fácil mas acho que prefiro o Nápoles ao City. No grupo B, entre o Lille e o Trabzonspor (o CSKA só com uma conjugação improvável de resultados pode ficar em segundo) prefiro os turcos, até porque já jogámos contra eles. No grupo D o segundo lugar é do Ajax, a menos que, por exemplo, perca por três golos de diferença contra o Real e o Lyon vença o Zagreb por cinco de diferença.

Mas se o Benfica não ficar em primeiro estas considerações não interessam para nada e o possível leque de adversários será muito mais complicado.

Simples

O jogo do Otelul é muito simples: chutam para a frente e tentam ganhar as segundas bolas, Wesley, ex-Leixões e actualmente no Vaslui.

O futebol descrito por quem anda lá dentro é tão simples... E sabe bem ler isto em alternativa a um qualquer "a equipa do Otelul assenta os seus princípios de jogo num bloco extremamente baixo, com uma basculação eficiente, bombeando o esférico para a área contrária mal adquirem a posse de bola, com um pivô colocado entre os centrais adversários para ganhar os duelos aéreos e servir da melhor forma os companheiros que se posicionam em seu redor".

Eu sei que a vida está difícil e que o futebol também que dar de comer a pseudo-intelectuais que gostam de utilizar palavras caras para tentarem dar a ideia a quem os ouve ou lê de que realmente dominam o tema como ninguém, que o futebol é tão ou mais complicado do que Física Quântica ou Engenharia Molecular, e que para o comum mortal compreender o que se passa no relvado tem sempre que estar atento aos seus doutos ensinamentos. E depois há o outro lado da moeda, o espectador que, numa forma de ser muito portuguesa, interioriza humildemente que não percebe nada de futebol e que realmente aquela gente sábia é que sabe da poda e o melhor que ele tem a fazer é ouvi-los e lê-los bem caladinho no seu canto e abster-se de se pronunciar, sob o risco de outra pessoa lhe dizer "'Tá calado que tu não percebes nada disto".

As discussões acaloradas entre amigos no café ou ao frio no meio da rua praticamente desapareceram e deram origem ao "Quero ver se chego depressa a casa para ver o programa X", "Mas o não sei quantos escreveu ontem no jornal que tal e coiso" ou "aquele gajo do blog não sei quê disse renhinhi renhonhó". Quase parece mal ter ideias próprias sobre o que aconteceu em 90 minutos de um qualquer jogo de futebol e ai de quem tenha opinião contrária aos gurus da imprensa, da televisão e dos blogs. Leva logo com o tal "tu não percebes nada disto" que até anda de lado e se refila muito ainda corre o risco de ser excluído da lista de amigos do Facebook.

Eu não gosto que me expliquem futebol de uma forma científica, tal como não gosto que me façam o mesmo com música, por exemplo. Vejo um jogo e ouço música e o que retiro daí é um problema meu, ninguém tem nada a ver com isso. Gosto de procurar outras opiniões, mas só gosto daquelas que são dadas sem pretensiosismo e não suporto as que tentam converter-me ou as que tentam diminuir a minha. Porque não há o certo e o errado. Há a opinião. Há os que preferem Messi e os que preferem Ronaldo e nenhum destes grupos é imbecil por não pensar o mesmo que o outro nem ninguém tem o direito de os fazer mudar de opinião só porque sim. Não há ciência. Há eu quase ter um ataque cardíaco com um golo falhado ou, regressando novamente ao exemplo da música, chorar como uma criança com Beethoven. E não há palavras de ninguém que me consigam fazer reviver o que senti naquele preciso momento.

Aqui há uns vinte anos começaram a aparecer na comunicação social as primeiras tentativas de tirar ao futebol o carácter marcadamente popular e acessível e lembro-me de que toda a gente se ria imenso desses tais pseudo-intelectuais. Hoje são eles que se riem de nós.

Marco, és grande

Era isto que eu queria escrever, mas não tinha tido tempo. Obrigado Marco.

PS: O título do post do Marco é para mim, aplicável especificamente a esta situação. Jesus já foi grande no passado e esperamos voltará a ser num futuro próximo.

Os desafios do SLB para 2011/2012 – Domingos Soares Oliveira

Já abordei Jorge Jesus, o Presidente, Miguel Bento e Rui Costa. Vamos às Finanças e a Domingos Soares Oliveira.

370.549 € foram os custos anuais que o SLB suportou em relação a este Administrador na época transacta, informação do nosso relatório de contas de 2010/2011. Parece muito? É porque de facto é. Para a esmagadora maioria dos sócios e simpatizantes, o administrador do pelouro financeiro ganha muito mais do que devia. Todavia, nem para todos é claro que esta figura é, a par do presidente, o principal responsável do clube hoje em dia. E essa responsabilidade passa actualmente por garantir a estabilidade financeira e o cumprimento dos compromissos que se exigem ao Sport Lisboa e Benfica.

O que faz Domingos Soares Oliveira (DSO) no dia-a-dia? Muita coisa. Renegociar os direitos televisivos, gerar liquidez para cobrir necessidades financeiras, garantir financiamento para investimentos e reforço do plantel, vender jogadores, negociar parcerias, aprovar e monitorizar a massa salarial, etc… São inúmeras as responsabilidades deste ex-consultor de origem sportinguista, no SLB há já 8 anos.

DSO não dá muitas entrevistas. O seu perfil é reservado e pouco visível o que só o beneficia a ele e ao clube. Mas a sua importância dentro do clube é inversamente proporcional às vezes que o ouvimos, lemos ou vemos, sobretudo actualmente num contexto de forte constrangimento económico ao qual o SLB não será certamente imune.

Na actuação e capacidade de DSO e da sua equipa radica um dos pilares para garantia de sucesso nesta época e nas épocas vindouras. DSO gere o orçamento do SLB, é o nosso ministro das finanças, e tem a difícil tarefa, época após época, de tentar incrementar receitas e diminuir despesas (uma coisa tão básica e simples de dizer, mas tão difícil de ver concretizada nos dias que correm), de forma que potenciar o nosso sucesso. Quais os seus desafios actuais e de que forma poderá ultrapassá-los?

  1. Assegurando ordenados por completo, a tempo e horas. Ui, que parece tão fácil, mas não é. Em todas as empresas há custos, quanto mais nos clubes. Até nas empresas quando não há dinheiro para pagar, existem queixas dos lesados, o pessoal passa fome, o pessoal arranja outro emprego na construção civil, sei lá… quanto mais nos clubes. Dinheiro na conta para pagar aos atletas é a premissa base.
  2. Apoiar e suportar Marketing (pricing, contratos patrocínio, etc). Não é à toa que DSO tem o pelouro financeiro e é o administrador responsável pelo Marketing. Os investimentos e acções desta vertente necessitam de orçamento aprovado e, por essa via, do aval de DSO. A supervisão desta componente garante que o DSO controla onde, quando e no que resultam os investimentos nesta componente chave de geração de receitas.
  3. Pressionar/resistir à pressão dos Bancos. Uma das componentes chave. DSO tem de se manter próximo das entidades financeiras, procurando as melhores condições para que, sempre que o clube necessite, seja possível garantir o financiamento necessário para a operação e para os investimentos. Com o corte global nos empréstimos, garantir proximidade da fonte para conseguir a liquidez necessária é actualmente fundamental.
  4. Inovar/Encontrar novas fontes de receita/financiamento (ex.: fundos). Se e quando os empréstimos cessarem, manter-se-á a necessidade de financiamento. Nesse momento, não pode ser apenas a venda de jogadores a financiar a actividade, dado que as dívidas exigíveis a curto prazo são ainda muito elevadas, pelo que novas soluções terão de estar a ser pesquisadas diariamente. E não vão poder também ser os empréstimos obrigacionistas a pagarem-se uns aos outros… Terá que ser feito mais e melhor no futuro.
  5. Cumprir e acompanhar compromissos financeiros e fiscais. O passado deverá servir de exemplo e ser recordado. O retrocesso não é opção e a credibilidade recuperada manter-se-á se o clube for cumpridor, interna e externamente. Primeiro ordenados e despesas de funcionamento, depois compromissos fiscais e financeiros e só depois investimento, deve ser esta a ordem de prioridades de DSO.
  6. Incrementar utilização de cláusulas por objectivos . Um aspecto fundamental que desconhecemos se está a ser implementado de forma óptima. Temos jogadores que funcionam bem nesta componente (Cardozo) e sabemos que a utilização de uma componente variável na remuneração é normalmente benéfica em termos de envolvimento e produtividade, pelo que se espera que a Direcção Financeira generalize esta questão a todos os elementos do plantel, inclusive juniores com contratos profissionais.
  7. Optimizar condições financeiras das contratações (processo e cláusulas). Tem sido uma das áreas onde a engenharia negocial tem deixado mais a desejar e a posição do clube no mercado, sobretudo sul-americano, já devia permitir a optimização do processo, como a compra por valores base mais pagamento por objectivos futuros, compra de parte do passe com opção de compra (esta questão já implementada com frequência), obrigatoriedade de aceitação de empréstimo pelo clube de origem em caso de falha de adaptação, etc.
  8. Renegociar Contratos (antecipar receitas e melhorar condições). Fundamental nos dias que correm lutar pela antecipação dos contratos vigentes, procurando o mais cedo possível a actualização de valores combinados no passado. Este processo permitirá antecipar e incrementar as receitas almejadas. Uma ideia que poderia ser implementada seria antecipar a venda dos Redpass do próximo ano, ao mesmo preço deste ano, poupando aos sócios o aumento do IVA em 2012 (vai passar de 6% para 23% nos bilhetes) e permitindo novo encaixe financeiro para o clube, por exemplo.
  9. Gerir massa salarial. Deixei para o fim um aspecto absolutamente crítico. Um dos principais problemas que o clube tem são os encargos resultantes dos custos com pessoal, fruto da existência de um número enorme de jogadores com ligação ao clube. A definição interna de um “tecto salarial” é fundamental para garantir a manutenção do equilíbrio financeiro. Só se pode gerir o que se conhece e controla e esta dimensão tem de ser gerida por DSO, até porque JJ tem tendência para pedir sem limites e LFV tendência para tentar agradar JJ e para provar que sabe comprar. Dois problemas que DSO tem de controlar...
Nos últimos 10 anos, os clubes tornaram-se um conjunto de empresas. Estas têm de conseguir per si ou com ajuda de alavancagem financeira de terceiros o desejado equilíbrio. A responsabilidade de DSO é garantir esta questão, é para isso que recebe os euros ao final do mês. Uns dirão que é merecido/outros excessivo.

Uma coisa é certa, 8 anos de experiência de SLB já dão bagagem suficiente para conhecer o “negócio” e fazer valer à entidade patronal os euros que recebe. O próximo passo será garantir consecutivamente resultados positivos, sem subterfúgios ou engenharias financeiras. Isso sim seria gestão financeira de excelência consensualmente justificativa dos 370.549 €. Vamos a isso!

Error, please come back later

segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011

Ia sugerir que ajudássemos o nosso Maxi na votação para a equipa do ano, mas reparei que o Rolando aparece como opção para melhor defesa central. Há portanto um erro no site da UEFA. Vamos esperar que rectifiquem a situação para, aí sim, dar uns votinhos ao Maxi.

À conversa com um indivíduo do departamento financeiro

Como está a encarar esta época do Benfica?

Estou radiante, já assegurámos a passagem à fase seguinte da Champions.

E em relação ao campeonato?

Não ligo muito.

Perdão?

Quer dizer, ligo aos jogos em casa por causa dos espectadores.

Emociona-o ver o estádio repleto de benfiquistas?

Não, não (risos). Ao intervalo telefono para a bilhética para eles me fornecerem o número de espectadores e depois entretenho-me a calcular a receita. São momentos especiais.

Quer dizer que não lhe interessa muito se o Benfica lidera o campeonato?

Interessa, claro. Quando o Benfica lidera vem mais gente ao estádio. Logo, mais receita.

A eliminação na Taça de Portugal não o incomodou?

Não, de todo. Já tivemos os custos da deslocação ao Algarve e agora estes custos da deslocação à Madeira, muito mais dispendiosos, como é evidente. As receitas dos jogos da Taça são ridículas, e ainda por cima são a dividir por três (clubes e Federação). É uma competição que deveria ser extinta. Sou muito mais entusiasta da Taça da Liga.

Mas é uma prova tão recente...

É, mas dá muito mais dinheiro do que a Taça de Portugal. Nestes últimos anos o Benfica tem-se portado muito bem na Taça da Liga.

Sim, já são três vitórias consecutivas.

Como? Ah, sim, pois... As vitórias... Eu estava a referir-me às receitas, onde o Benfica tem estado muito pujante nessa prova.

Regressemos então à Champions. Vê os jogos?

Sim, sim. Não perco um!

Vibra bastante com essa competição, portanto.

Sim, vibro imenso. Por exemplo, o último jogo, em Manchester, foi espectacular! Começámos muito fortes a ganhar 800 mil euros, no final da primeira parte passámos para apenas 400 mil euros, na segunda parte estivemos alguns minutos sem ganhar nada, depois passámos novamente a ganhar 400 mil euros e perto do fim cheguei a acreditar que poderíamos sair de Old Trafford com os 800 mil euros. Acabámos por garantir 400 mil euros. Dado o valor de mercado do plantel do adversário posso dizer que foi um belo resultado financeiro.

Foi uma noite de muita emoção?

Sim, foi muito intenso. Até porque estava a acompanhar o jogo com a calculadora numa mão e o relatório e contas na outra. Antes de vir para o Benfica só tinha passado por sensações semelhantes com as flutuações da Bolsa.

Confiante para o último jogo da fase de grupos? Uma vitória assegura o primeiro lugar.

Sim, perspectivo o encaixe de mais 800 mil euros. E terminar em primeiro lugar será importante para depois evitar colossos financeiros como o Real, o Barcelona ou o Bayern.

Conhece bem essas equipas?

Conheço. Já li muitos estudos económicos e costumo sempre espreitar os relatórios e contas dessas equipas. São muito fortes, muito bem estruturadas... São máquinas de fazer dinheiro.

Teme jogadores como Ronaldo, Messi, Ribéry?

Se o Cristiano Ronaldo custou quase 100 milhões de euros tem que ser muito produtivo. O Ribéry custou perto de 30 milhões, portanto está ao nível daquilo que alguns jogadores do Benfica valem hoje em dia. Quanto ao Messi, não posso opinar porque nunca foi vendido e portanto não tenho nenhuma base objectiva na qual sustentar a minha avaliação. Comenta-se muito sobre qual será o seu real valor, mas é tudo muito subjectivo e eu não discuto subjectividade.

Regressando às provas internas... Depois desse jogo da Champions vem novo duelo com o Marítimo.

Eu por mim perdia por falta de comparência. Mais duas viagens de avião, hotel... Não faz sentido, ainda há uns dias lá fomos.

Aproxima-se a reabertura do mercado de transferências. O Benfica vai mexer no plantel?

Estamos sempre atentos a boas oportunidades de negócio. Por outro lado, os nossos jogadores estão a valorizar-se bastante com a campanha europeia, por isso é natural que haja interessados. Vamos ver...

Falou em boas oportunidades de negócio. O Benfica tem apostado em adquirir muitos jovens praticamente desconhecidos. É para manter essa política?

Sim. Se por cada vinte jovens que entrem no Benfica, com salários muito baixos e a uma média de 200 mil euros cada, saia um por um valor de cerca de 20 milhões de euros, isso representará um lucro de 16 milhões de euros. E mesmo que saia por apenas 10 milhões de euros, será um lucro de 6 milhões de euros. Será sempre uma boa política.

Como está a renovação de Aimar?

Estamos a tentar que baixe o salário. Mas por mim saía já e dava o lugar a um jovem com potencial para ser vendido no futuro.

E a situação de Saviola?

Saviola tem a maior discrepância do plantel entre aquilo que aufere e aquilo que produz. Tem que sair já em Janeiro, enquanto podemos encaixar algo com a sua transferência. O mesmo é válido para Capdevila.

Qual é a sua posição em relação ao tema polémico dos contratos televisivos?

Para mim não há polémica nenhuma. Assinaremos com quem pagar mais.

Fale-nos um pouco sobre si... Como foi ir para o Benfica?

Foi uma excelente oportunidade profissional. Não podia recusar trabalhar para um das maiores marcas portuguesas.

É adepto do Benfica?

Sou adepto do Índice Dow Jones.

Pratica desporto?

Sim, golfe. Como é relativamente parado, é o melhor desporto para discutir negócios. Aliás, eu falo mais do que jogo (risos). Além disso, praticamente não suo. Detesto suar, isso é coisa de pobre.

Ao menos que sirva de exemplo

sábado, 3 de Dezembro de 2011

Ficou novamente bem explícito que o defesa esquerdo é abaixo do sofrível, Maxi não tem concorrência na direita, Matic não é trinco nem nunca vai ser e jogar com dois médios-centro, dois alas e dois avançados contra equipas minimamente organizadas e que povoam bem o centro do terreno é de doidos.

O meu medo é que o facto de ficarmos mais um ano a ver o Jamor ao longe não seja suficiente para Jesus abdicar de certas ideias fixas.


E Saviola... Que dizer? Como é possível o fabuloso e decisivo jogador da época 2009/10 apresentar-se nesta forma técnica e física? Com 29 anos... Há mínimos, porra!

Aimar-dependência

sexta-feira, 2 de Dezembro de 2011

É ainda mais grave do que eu pensava. Não sei que diga...

Cada coisa a seu tempo

Sim, é um grupo complicado e do mais difícil que poderia ter calhado. Desde as 18 horas que não se fala de outra coisa neste país. Já enjoa, caramba... "Tivemos azar", "É um grupo difícil", "Calharam-nos as melhores equipas", "Não temos hipótese", etc... Calma, porra!

O Benfica tem mais do que tempo para preparar os jogos da Taça da Liga e não percebo o porquê de voltar a este tema tanto tempo depois.

É unânime! Bom, quase unânime...

Witsel: gostava que ele ficasse o mais tempo possível.

Gaitán: renovava já, antes que apareça outro clube.

Duarte Lima: deve evidentemente renovar e ofereço-me para tratar de toda a papelada a troco de uns míseros milhões de euros e um cadáver no mato, desde que não tenha que me deslocar ao Brasil.

Nicolas Sarkozy: esperem só um momento... Estou, Angela, estão aqui uns gajos a perguntar se o Aimar deve renovar... O que queres que lhes responda?

Manuel Vilarinho: e... hic... ainda... hic... trago... hic... o... hic... o... hic... Jardel. Burp!

Professor Marcelo: dou nota 10 a essa renovação.

Barack Obama: yes, he can.

Muammar Kadhafi (mesmo, mesmo, antes de falecer): Aimaru Akbar!

Paco Casal: posso meter a unha na comissão?

Jorge Mendes: posso meter a unha na comissão?

Vale e Azevedo: posso meter a mão na transferência?

Passos Coelho: quanto é que ele recebe? Hmm... Ora bem, a retenção na fonte fica em... Sim, sim, deve renovar. E aumentem-lhe o salário, se possível.

Maya: prevejo que o Aimar fique mais uma época e que eu amanhã, para não variar, acabe a noite a ser papada por um puto com idade para ser meu net... filh... irmão, vá.

Carlos Cruz: é aquele muito pequenino com ar de miúdo? Se o acho bom o suficiente para renovar? Não sei, nunca o vi na casa de Elvas. Hmm... E os outros todos também não, hã?! Podem aceder ao meu site que provo tudo.

Jerónimo de Sousa: avante p'lo Benfica!

Joseph Ratzinger: oremos, irmãos.

Cavaco Silva: Nestes tempos difíceis, Portugal deve esforçar-se por manter os melhores profissionais, blá, blá, blá ( já montículos de saliva nos cantos da boca), blá, blá, blá...

Francisco Louçã: por defeito sou contra qualquer tipo de medida anunciada por alguém que não eu próprio. Mas dado que se trata de outro génio vivo como eu, vou abrir uma excepção e vou ser a favor.

Armando Vara: é uma excelente medida de gestão, mas quero deixar bem claro que não falei sobre isso ao telemóvel com ninguém. Posso mandar-lhe umas alheiras para o incentivar.

Manuel Godinho: já ofereci uma caixa de robalos e duas de pão-de-ló ao rapaz para ele assinar.

João Malheiro: vou já escrever um livro sobre isso. Com sorte ainda vou a tempo das vendas de Natal.

José Sócrates: desculpe, estou aqui a meio de uma aula de filosofia em Paris. Além disso não quero comentar mais nada relacionado com esse país, que tão mal me tratou. Ingratos, pá!

Fany, Chipú, Bitó, Ticá e outros seres daquele programa imbecil da TVI: sim, o Benfica deve ficar no Aimar.




Carriço: nããããããããoooooooo! Ainda estou à espera de um transplante de rins.

Eduardo Barroso: e eu de cérebro.

Jabba the Hutt (conhecido no planeta Terra como Manuel Serrão): e eu de ADN humano.

Mais um marco histórico

Factura que o Benfica vai enviar para Alvalade a exigir a indemnização pelos prejuízos provocados na Luz inclui compensação pelo fecho da zona nos jogos com Otelul Galati e Rio Ave.

Irá o zbordin entrar para a história do futebol ao ser obrigado a adquirir bilhetes de um jogo da Champions sem sequer estar presente na mesma?

Não falha

quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

Estava agora mesmo a ver a notícia do estripador na RTP e a pensar: Ainda vão arranjar maneira de dizer que o homem é do Benfica.

Pimba!

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.