Hmm?

terça-feira, 29 de Setembro de 2009

"O n.º 1 do artigo 107.º do Regulamento Disciplinar prevê punições que podem ir de 1 mês a 1 ano de suspensão. O mesmo artigo, porém, prevê, no ponto 2, que, em caso de reincidência, as penas referidas no número anterior serão agravadas para o dobro."

Agora expliquem-me como se eu tivesse o neurónio do Dias Ferreira como é que o Paulo Bento é suspenso por 12 dias.


P.S. Recordo que, na época passada, o director desportivo do Benfica, por estar numa área não autorizada, foi suspenso em mais do que 12 dias.

O gajo do boné

sábado, 26 de Setembro de 2009

Não obstante ter deixado de usar os bonés ridículos que ostentava em Paços de Ferreira, José Mota continua a dizer as suas alarvidades. Gostava de saber qual é a lei que diz que um jogador não pode ser expulso na primeira parte. Também gostava de saber qual é a equipa que não quer ter jogadores expulsos quando acaba a primeira parte com quase 20 faltas feitas.

Também gostava de saber que razão de queixa José Mota pode ter quando houve dois penalties descarados não assinalados contra a sua equipa.

Gostava ainda de saber, e principalmente que me explicassem aqueles que já dizem que somos levados ao colo porque já levamos uns quantos penalties a nosso favor, se há um limite imposto por alguma lei quanto ao número de penalties que uma equipa pode ter marcados a seu favor. Eu desconheço tal lei.

Carrega BENFICA! (e mais não digo)

O protegido

Estou neste momento a ver o Real Madrid vs Tenerife e um jogador da equipa visitante acaba de levar um cartão amarelo por ter dado uma cacetada no Ronaldo. Isto aconteceu aos quatro minutos de jogo.
Parece que em Espanha os árbitros cumprem a determinação da Fifa, que diz que os artistas, os tecnicistas, os que enchem estádios devem ser protegidos. Independentemente do tempo de jogo...

É uma pena que no campeonato português as leis não sejam as mesmas. Os jogadores do Benfica que o digam.
Por cá, o único artista que os árbitros tratam com amor e carinho dá pelo nome de Besta Alves.

O regresso

O jogador genial que desde 2000 me fez passar a ver todos os jogos do Valencia está de regresso à sua selecção. E bem o merece, já que esta época as suas exibições têm roçado a perfeição.

Mas, na minha opinião, há mais dois responsáveis por esta convocatória: Rui Costa e Jorge Jesus. O primeiro, porque não teve receio de o ir buscar à Segunda Divisão espanhola; o segundo, porque lhe entregou a batuta da equipa e lhe devolveu a alegria de jogar.

Parabéns, El Mago Pablo!

À foculporto

quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

Esta é verdadeiramente inacreditável!

O vício de mentir, enganar, aldrabar, ou como lhe quiserem chamar, está de tal maneira enraizado que nenhum aspecto passa incólume.

Ainda nem acredito bem naquilo que acabei de ler. Aquele clube não existe, mesmo...

Yebda

quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

Na época passada, a qualidade das exibições de Yebda teve uma curva descendente bastante acentuada. Nunca percebi muito bem como é que um jogador que teve um início de campeonato tão prometedor conseguiu decair tanto de produção ao longo do ano.
Durante esta pré-temporada o filme de terror teve continuação, com exibições a roçarem o horrível. Lento, apático, sem força e com uma qualidade de passe ao nível do Binya.

Apercebendo-se de que a titularidade lhe estava barrada, Yebda pediu para sair, pois queria jogar com regularidade. Apesar disso, Jesus afirmou várias vezes que contava com ele. A época é longa, há quatro competições e todos vão ter oportunidades.

Numa altura em que o Benfica vai estar privado de Javi (esperemos que seja só por um jogo), foi impossível não me lembrar de Yebda. Se tivesse permanecido no Benfica, o francês já teria dois meses de trabalho com Jorge Jesus e com toda a certeza teria evoluído em vários aspectos do seu jogo. Seria a opção natural para substituir Javi. Tal como o espanhol, Yebda tem pulmão, força, altura e físico.

Infelizmente, Yebda manteve a sua vontade e o Benfica cedeu. O francês foi para o Portsmouth, onde ainda só jogou 20 minutos.
Mas, pior do que esse escasso tempo de utilização, o grande problema é que Yebda foi para uma equipa que actualmente luta para não descer em Inglaterra. Acontece que este tipo de equipas jogam todas no célebre 4-4-2 clássico à inglesa, em que um dos médios-centro tem um pouco mais de liberdade e o outro, onde jogará Yebda, tem como única missão destruir jogo.

Julgo que, com esta (má) escolha, Yebda fechou as portas a um possível regresso ao Benfica. Ao contrário do que o próprio podia pensar, ele não precisava de jogar com regularidade. Precisava, isso sim, de aprender muita coisa. E não será certamente no Portsmouth que isso vai acontecer. Ali, Yebda não vai aprender nada e as lacunas que o seu futebol apresentava vão agudizar-se ainda mais.

Para evoluir, Yebda teria que ter ficado às ordens de Jesus. Aliás, o próprio Jesus já disse por mais do que uma vez que os treinadores ingleses são, regra geral, muito limitados tacticamente. Quem, como eu, vê com regularidade muitos jogos do campeonato inglês, não pode concordar mais.

Pode ser que Yebda dê nas vistas em Inglaterra e ainda renda algum dinheiro. Se por ventura regressar ao Benfica, foi um ano perdido e vai ter que recomeçar do zero.

"O Benfica vai ao colo", segundo certas criaturas

terça-feira, 22 de Setembro de 2009

Os comentadores benfiquistas que são convidados para programas como Trio d'Ataque e Dia Seguinte deviam simplesmente recusar-se a pactuar com tamanha palhaçada que se vem a passar ultimamente.

Os comentadores portistas não dizem mais senão que o Benfica está a ser levado ao colo e os sportinguistas, dominados pelo ódio que têm ao Benfica, talvez pela falta de militância, alinham na palhaçada.

Tudo somado, o Benfica ganhou em Leiria com um livre resultante de uma falta inexistente e com um penalti fantasma. Esta é a grande conclusão dos comentadores destes programas.

Diz-se que há um unanimismo

Descobri também que o jogo perigoso só protege jogadores com mais de 1,60 m, visto que é perfeitamente legal elevar os pés até essa altura, segundo certas pessoas.

É incrível que certas criaturas, dominadas por ódiozinhos e complexos de pequenez, percam o carácter (ah pois, não perdem... nem sequer o têm), dizendo as maiores alarvidades contra o Benfica.

Portanto, reitero, uma vez que os comentadores benfiquistas vão a estes programas para ouvirem achincalharem o Benfica, julgo que deviam fazer uma de duas coisas:

- ficar em casa; ou,
- irem dois benfiquistas (por razões de paridade)

O dia seguinte a O Dia Seguinte

Esta madrugada uma irritante insónia impedia-me de dormir. Decidi levantar-me e ver um bocado de televisão para tentar chamar o sono. Percorria distraidamente os canais até que uma imagem me entrou pelos olhos dentro, sem dó nem piedade: Dias Ferreira palitava os dentes no programa O Dia Seguinte. Pisquei os olhos várias vezes, atónito com o que via, mas a imagem mantinha-se. Não era engano meu, não era uma alucinação, não era a falta de sono a pregar-me uma partida. Nada disso. Dias Ferreira palitava os dentes no programa O Dia Seguinte.
A visão dominava todos os meus sentidos mas, aos poucos, a audição também quis juntar-se à festa. Foi então que os meus ouvidos captaram Guilherme Aguiar a afirmar, muito indignado, que os árbitros não estavam nos relvados para fazer cumprir as leis. Nesse momento disse a mim próprio que bastava de parvoíce e regressei à cama convencido que os meus sentidos tinham decidido gozar com a minha cara. Era óbvio que o Dias Ferreira não estava a palitar os dentes e que o Guilherme Aguiar não tinha dito semelhante alarvidade. O que uma insónia consegue fazer!

Hoje, ao percorrer como habitualmente a blogosfera benfiquista, constato que outras pessoas presenciaram o mesmo fenómeno que eu. Ou anda por aí muita gente com insónias ou o Dias Ferreira estava mesmo a palitar os dentes no programa O Dia Seguinte.

União de Leria 1-2 Benfica

segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Este jogo fica indubitavelmente marcado pelo facto de Jorge Sousa ter assinalado um penálti evidente a favor do Benfica. Não sou muito dado a religião, mas para mim isto foi o "Milagre de Leiria".


Quim: uma defesa aparatosa na primeira parte, mas que não teria acontecido se estivesse bem enquadrado com a baliza, já que a bola ia fora. Sem culpas no golo.

Maxi: não foi um grande apoio ofensivo para Ramires. Na defesa cumpriu. Parecia limitado fisicamente.

Shaffer: alguns buracos já habituais na defesa. Na primeira parte ainda tentou ajudar no ataque; na segunda preocupou-se exclusivamente em defender.

Luisão: mais um jogo a roçar a perfeição, em que ninguém passou por ele.

David Luiz: alguma infelicidade no auto-golo, mas é preciso dizer que aquela não é a melhor forma de se abordar o lance. Felizmente não se deixou afectar e jogou a bom nível. Fez um passe espectacular para Keirrison, que por pouco não dava golo.

Javi: o que dizer desta exibição portentosa? Quase sempre que o Benfica perdia a bola no ataque, Javi recuperava-a de imediato e dava início à segunda vaga. Dobrou as poucas subidas de Maxi, Shaffer e David Luiz sempre com eficácia. A União de Leiria depressa deixou de tentar sair a jogar pelo centro do terreno, tal a quantidade de jogadas que Javi cortou.

Ramires: não tão influente como nos últimos jogos. Jesus fez muito bem em tirá-lo, estava de rastos.

Di Maria: algo trapalhão e inconsequente. Di Maria tem que melhorar a regularidade das suas exibições.

Aimar: mais uma grande exibição de El Mago. É ele que põe a moeda que faz girar o carrossel do ataque encarnado. A assistência para golo e o lance do penálti são apenas a face mais visível do seu jogo, mas ontem passou tudo por ele. Mesmo tudo!

Saviola: entrada fulgurante no jogo, com um golo logo aos quatro minutos. Depois, e apesar de algumas bonitas tabelinhas com Aimar e muitas desmarcações, foi-se apagando progressivamente. Julgo que Keirrison não será o melhor parceiro para Saviola, mas Jesus é que sabe...

Keirrison: pensei que o golo madrugador do Benfica ia espevitar Keirrison e retirar-lhe alguma pressão. Enganei-me.

Cardozo: entrou para o lugar do desinspirado Keirrison e quinze minutos depois repunha a justiça no marcador. Com ele, a equipa ganhou a presença na área que não tinha tido até aí.

Nuno Gomes: veio abrir a frente de ataque do Benfica e baralhar os ajustes defensivos da União de Leiria. Combinou bem com os colegas e só não marcou porque o guarda-redes adversário fez uma boa defesa com os pés. No lance do penálti, o passe para Aimar é dele. Resumindo, uma excelente entrada em campo com contributo decisivo para a reviravolta.

Ruben Amorim: entrou depois do golo de Cardozo para dar mais consistência ao meio-campo e permitir que a equipa regressasse à sua táctica habitual.

Aimar devia ter ficado de pé

Sem entrar na discussão se é ou não penalti, acho incrível que se diga que o Aimar se aproveitou. O jogador do Benfica vai para dominar a bola e leva com um par de pernas em cima, que por pouco não lhe arranca a cabeça, e há pessoas que o criticam por ter caído.

Um dos iluminados é Rui Santos, esse especialista do comentário desportivo "parvo" e "idiota", que mudou muito desde que uns portistas lhe pregaram um susto. Para este senhor, o Aimar fez espalhafato. Pois claro, acho que até devia ser castigado pelas imagens pela Comissão Disciplinar.

O outro iluminado foi o sportinguista Manuel Fernandes, que afirmou que Aimar se aproveitou da situação. Afirmou inclusivamente que tinha avisado os seus jogadores para terem cuidado com certos jogadores do Benfica que cavam faltas. Referiu ainda que foi obrigado a tirar um jogador seu que já tinha amarelo porque Di Maria já tinha tentado tirar-lhe o segundo amarelo. Pois bem, Di Maria não simulou nada; levou sim uma entrada bem dura na canela, que teria dado direito a expulsão se o árbitro não fosse quem foi.
Este tipo de crítica vindo deste senhor é de risos. Para além de ter simulado imensos penalties ao longo da sua carreira como futebolista, nunca o ouvi a criticar dois dos maiores simuladores de faltas que o nosso campeonato teve: Jardel e Liedson. Mais outro que se esqueceu da espinha dorsal...

Critérios

domingo, 20 de Setembro de 2009

8 de Fevereiro de 2009

A poucos metros do lance, e com uma excelente perspectiva do mesmo, Pedro Proença assinala penálti a uma evidente simulação de Lisandro.


19 de Setembro de 2009

A poucos metros do lance, e com uma excelente perspectiva do mesmo, Pedro Proença não assinala penálti a um evidente derrube de Alan.

Curta

sábado, 19 de Setembro de 2009

Mais um jogo, mais um benefício de Proença ao foculporto (ao não querer assinalar um penalti sobre Alan nas suas barbas e ao não expulsar Hulk por simular falta dentro da área contrária, quando já tinha um amarelo) e mais uma vez Domingos a dar os parabéns ao árbitro num jogo contra a equipa do Padrinho (se tivesse sido contra o Benfica, a choradeira não teria fim).

Espero que o Benfica saiba entrar em campo amanha com vontade de ganhar e de deixar o foculporto para trás.

Força BENFICA!

Resultado da Sondagem nº 8

À pergunta "Qual será a grande arma do Benfica para esta época?", os leitores do Céu Encarnado responderam:

- a astúcia de Jesus 66%

- a classe de Aimar 14%

- a pontaria de Cardozo 7%

- a mobilidade de Saviola 4%

- o talento de Di Maria 2%

- a regularidade de Ramires 2%

- a explosão de Coentrão 2%

Benfica 2-0 BATE Borisov

sexta-feira, 18 de Setembro de 2009

Num passado recente, recordo a aflição que era vencer sem problemas este tipo de jogos europeus em casa contra adversários claramente mais fracos, como o Nuremberga ou o Lille. E isso quando não eram cometidas verdadeiras atrocidades à história europeia do Benfica; Getafe e Metalist são os exemplos mais gritantes.

Felizmente, com Jesus tudo é diferente. O jogo decorreu sem sobressaltos e foi uma vitória clara e sem contestação, mesmo fazendo rotação de plantel e não imprimindo um ritmo demasiado alto. Afinal, diga Jesus o que disser sobre a Liga Europa, todos sabemos que o grande objectivo é o campeonato.


Júlio César: duas grandes defesas, uma em cada parte, e a mostrar sobriedade e autoridade em todo o jogo. Apesar de ser, na minha opinião, o melhor guarda-redes do plantel, Jesus está a mostrar o que Koeman deveria ter feito com Moretto.

Maxi: um excelente regresso à titularidade. Não deu grandes hipóteses a quem lhe apareceu pela frente e esteve nas jogadas dos dois golos. Primeiro, com um grande cruzamento de pé esquerdo (!!) para Cardozo e depois a recuperar uma bola no ataque e a cedê-la a Nuno Gomes. Acabou a médio direito.

César Peixoto: continua a ser o elo mais fraco. Enormes buracos na esquerda são já a sua imagem de marca. E buracos por buracos, prefiro os do Shaffer, que tem mais margem de progressão, mais garra e ataca melhor.

Luisão: mais uma exibição autoritária.

David Luiz: julgo que está a evoluir no plano mental, pelo menos não se viram tantas perdas de bola e más decisões. Na primeira parte, com o jogo meio adormecido, fez uma das suas investidas habituais e proporcionou uma bela defesa ao guarda-redes do BATE; na segunda parte repetiu a graça. Se Jesus conseguir aproveitar estas correrias do David Luiz sem prejudicar o posicionamento defensivo da equipa, como às vezes acontece, será óptimo para partir o meio-campo dos adversários.

Javi: seguro e eficaz.

Ramires: mesmo jogando a um ritmo um pouco mais baixo,não parou quieto um segundo. Começou como habitualmente na direita, depois passou para a esquerda e, por fim, Jesus alterou a táctica e colocou-o em linha com Javi. Aos 90 minutos ainda teve fôlego para pegar na bola no meio-campo e cavalgar até à entrada da grande área adversária, onde só o conseguiram parar recorrendo à falta. Cardozo, involuntariamente, como é óbvio, tirou-lhe um golo certo na segunda parte.

Felipe Menezes: não deve ser fácil entrar em campo com a missão de substituir Aimar. Felipe Menezes pareceu acusar isso nos minutos iniciais, mas depois soltou-se um pouco mais e fez uma exibição razoável, mostrando aqui e ali alguns bons pormenores técnicos.

Di Maria: chega a ser penoso de ver a quantidade de cacetadas que o argentino leva por jogo. Começou na esquerda, com algumas boas jogadas individuais, e acabou a fazer de 10, mantendo o mesmo nível.

Nuno Gomes: um golo à Nuno Gomes, escondendo-se do defesa no segundo poste e aparecendo-lhe depois à frente já com a mira na baliza, uma assistência espectacular para Cardozo, algumas faltas ganhas à entrada da área e muitas tabelinhas e desmarcações. Nem um péssimo domínio de bola, em frente à baliza, a passe de Di Maria lhe mancha a exibição.

Cardozo: bem diferente do Cardozo pesadão, lento, apático e alheado do jogo que se viu no Restelo. Ainda bem que a fase de qualificação da América do Sul está quase no fim. Mais um golinho para a sua conta.

Fábio Coentrão: foi a primeira vez em que não veio trazer nada ao jogo. Muito trapalhão e inconsequente. Mas para quem já fez tanto esta época, um jogo menos conseguido não é caso para preocupações.

Saviola: substituiu o capitão para uma merecida ovação.

Ruben Amorim: entrou para defesa direito, permitindo que Jesus testasse uma táctica diferente com Maxi no meio-campo. Fez duas recuperações de bola espectaculares. Com Maxi de volta, e Javi e Ramires a jogarem desta maneira, o Ruben não tem hipótese de ser titular. O que é uma pena...

Um era mágico, o outro arrogante

A hipocrisia de alguns jornalistas e comentadeiros já mete nojo. Ontem, quando Di Maria tentou rematar de letra, um comentador da SIC classificou o gesto de atitude desnecessária. Mais tarde, também ouvi que tinha sido uma atitude arrogante.

Então e quando era o "harry porcas" Quaresma? Aí era só magia, não era? Ou têm memória curta ou são hipócritas por natureza...

Esmiuçar as minudências

quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Se há coisa que sempre me irritou foi a designação "Chelsea de Hilário, Ricardo Carvalho e Paulo Ferreira", que passou mais tarde a "Chelsea de Hilário, Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Bosingwa e Deco". É certo que é um clube com muitos portugueses e um brasileiro que joga na selecção portuguesa, mas julgo que não era caso para tal disparate.

O curioso é que nunca me lembro de ter ouvido o "Atlético de Simão", o "Lyon de Tiago", o "Valência de Manuel Fernandes, Miguel e Hugo Viana" ou até o saudoso "Milan de Rui Costa", só para dar alguns exemplos. Por outro lado, recordo-me perfeitamente de ouvir o "Werder Bremen de Hugo Almeida", esse avançado de classe mundial.

Porém, agora há uma novidade. Ontem vi o programa dos resumos da Champions e reparei que o fenómeno alastrou para outros clubes. A minúscula moça com ar de actriz de filmes porno para anões refere-se com entusiasmo ao "Lyon de Lisandro" e ao "Marselha de Lucho". Deixámos portanto de ter a lógica utilizada no caso do Chelsea, em que jogam portugueses, para ter uma nova lógica que diz respeito a jogadores que já jogaram no campeonato português.

O problema é que esta lógica tem falhas graves...
Porque é que a Juventus não há-de ser do Tiago, o Standard do Ricardo Rocha ou o Unirea do Bruno Fernandes e do Semedo? Ou até mesmo o Wolfsburg do Benaglio, que já jogou em Portugal e é bom rapaz?
Porque é que se analisarmos todas estas incongruências verificamos que o critério seguido é sempre o mesmo? Ex-jogadores do foculporto.
Porque é que até nestas pequenas e ridículas minudências, mas que de tão gritantes não podem passar despercebidas, o foculporto tem que ser mais valorizado do que os outros?

É caso para dizer: "E a Rtp, é de quem?".

Não é preciso responder, era uma pergunta retórica.

foculporto, o exemplo da moral

"Porque terá o delegado colocado em causa o seu bom-nome e reputação de forma tão displicente? O que o determinou a mentir? A promessa de alguma recompensa ou favor? Ou terá sido exercida alguma 'violência moral' sobre o delegado, isto é, terá o delegado sido alvo de alguma coacção que o levasse a mentir e a cometer um ilícito muito grave? Qual a entidade que beneficiaria e aproveitaria da falsificação do relatório?".

Parece que o foculporto anda atormentado, senão veja-se as dúvidas que suscita a propósito do castigo ao tal delegado da Liga no jogo Benfica-Nacional. E o tormento em que vive fá-lo meter no seu saco um clube honesto.

Estes "senhores" devem pensar que são exemplo moral para alguém. Cavem um buraco e escondam-se lá...vocês, a fruta, os árbitros que corrompem e todos os que andam à volta do vosso sistema.

A Uefa dos Ovrebos

quarta-feira, 16 de Setembro de 2009

Julgo que é impossível esquecer a actuação do árbitro da meia-final da Champions da época passada, entre o Chelsea e o Barcelona. Em Portugal já tinha visto muitas habilidades daquele género, mas na Europa foi a primeira vez.

Disseram os ingénuos que a Uefa não arriscaria a credibilidade da competição encomendando tão escandalosa arbitragem, e que aquilo foi apenas uma série de infelizes coincidências. Se assim fosse, mandaria a prudência que aquele árbitro ficasse afastado dos holofotes da ribalta durante uns tempos ou que, no máximo, arbitrasse uns jogos menores da Liga Europa.

Mas, como é óbvio, a Uefa não conhece a palavra prudência nem tão pouco se preocupa com discrição. Lá fora, as coisas passam-se como em Portugal: às claras e sem pudores. E, assim sendo, ontem pudemos ver o senhor Tom Henning Ovrebo a apitar alegremente mais um jogo da Champions.

Desta vez, a encomenda era para um clube conhecido pela sua honestidade e de passado impoluto, a Juventus...
Também é engraçado verificar que, além da Juve, os outros dois principais protagonistas do Calciocaos, a Fiorentina e o Milan, também estão na Champions.


Agora vamos pegar nisto tudo e ver alguns exemplos de como a Uefa trata os clubes portugueses...

Verão de 2008 - Benfica e Guimarães procuram que se faça justiça e afrontam as altas cúpulas da Uefa.
Resultado: o Guimarães é afastado da fase de grupos da Champions graças a duas arbitragens do nível da do Chelsea vs Barcelona.

Verão de 2009 - o zbordin é empurrado para fora da fase de grupos da Champions em prol da Fiorentina. Julgo que se pusermos os clubismos de parte é consensual que a arbitragem em Alvalade foi uma nítida encomenda.

Vários Verões passados - o foculporto é sistematicamente beneficiado em jogos da Champions. Desde o célebre golo mal anulado ao Manchester em Old Trafford, que permitiu que o foculporto seguisse em frente e fosse depois campeão europeu, até ao jogo de ontem em Stamford Bridge.
Ontem à noite parecia mesmo que estava a ver um jogo do campeonato português. Houve de tudo: uma expulsão perdoada à Besta Alves, por agressão a Terry, e consequente penálti por marcar contra o foculporto; o Fucile quase arranca uma perna ao Malouda e não acontece nada; uma quantidade de faltas junto à área do foculporto em que o árbitro manda seguir; o monstro verde e o Falcão mergulham na área do Chelsea e não há cartão; o monstro verde tem uma entrada perigosa sobre o Carvalho e outra sobre o Cole e não há cartão; um indivíduo chamado Fernando, que deu pau o jogo inteiro, só conseguiu ser expulso nos descontos. Aliás, o único jogador do foculporto a ser admoestado com cartão amarelo em todo o encontro foi mesmo o Fernando. Tudo isto são coincidências? Pois sim...

Quanto ao Benfica, que é aquilo que verdadeiramente me interessa, só espero que o tal Verão de 2008 não contribua para nos estarem reservadas umas bonitas encomendas durante esta campanha europeia.

É bom não esquecer que a Uefa tem sempre a faca e o queijo na mão e não costuma olhar a meios para atingir os seus interesses. Na época passada o Mundo e, principalmente, os patrocinadores pediam uma final entre Messi e Ronaldo e assim foi...

Travão no entusiasmo

Eu sei que é difícil não andar entusiasmado com as exibições do Glorioso, mas é primordial que não viremos isso contra nós.

Acabei de ouvir na BenficaTV um pedido a Jorge Jesus: ser campeão sem derrotas.

Há uns dias houve também um jogador a afirmar que queria ganhar com nova goleada.

Calma!!! Não podemos cair em entusiasmos desmedidos, que se virem contra nós. Um roubo de igreja pode ditar uma derrota do Benfica e lá se vai o entusiasmo.

Acho que Jorge Jesus terá um papel fundamental dentro do grupo no sentido de acalmar os jogadores e de os fazer descer à terra. Mas já quanto ao que toca ao exterior do grupo de trabalho, nomeadamente adeptos, Jesus já nada pode fazer. Somos nós que temos que esfriar um bocado e evitar cair na loucura de passar a mensagem "já cá canta". A luta vai ser dura e longa...

Peixoto, velocidade, diagonais e muita parvoíce

terça-feira, 15 de Setembro de 2009

Confirma-se o que eu suspeitava: os indivíduos que escrevinham para o Reco-reco vêem os jogos do Benfica de costas para o relvado.

"César Peixoto realizou uma exibição consistente que lhe deve valer a titularidade no lado esquerdo da defesa."

O César até pode ser titular no próximo jogo, mas a sua exibição em Belém foi tudo menos consistente.

"O jogador de 29 anos não deu espaços a defender e, nas poucas vezes que subiu para apoiar o ataque, fê-lo de forma segura, de modo a não colocar em risco a estrutura defensiva da equipa."

Não deu espaços? Vão lá perguntar ao David Luiz a opinião dele sobre esse assunto.
Quanto às subidas no terreno foram quase nulas. O Ruben Amorim subiu mais vezes e criou mais perigo e também nunca colocou em risco a estrutura defensiva da equipa.

Senhores escrevinhadores, por favor não analisem jogos de futebol, limitem-se a fazer aquelas vossas análises parvas baseadas em estatísticas e números. É que essas, ao menos, ainda dão para rir.

Como esta saudosa capa do Record que informava que um livre do Ronny do zbordin atingiu os 222 km/h, quando é sabido que o livre mais potente de sempre do Roberto Carlos atingiu os 142 km/h e que os petardos do Koeman rondavam os 120 km/h.


E, continuando neste tema, dentro do jornal vinha a seguinte pérola:

"...uma vez que o jogador brasileiro se encontrava descaído para a direita e a bola entrou junto ao poste mais distante, não descrevendo uma linha recta, mas sim uma diagonal".

Vou repetir: "não descrevendo uma linha recta, mas sim uma diagonal".

Portanto, temos uma diagonal que não é recta. I rest my case.

Escutas ilegais

segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

O Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa veio hoje confirmar que as escutas telefónicas utilizadas no processo "Apito Final" são ilegais, o que pode, inclusivamente, vir a aproveitar ao presidente do foculporto e ao Boavista.

Vigora entre nós, pois, uma ordem jurídica exigente ao nível das formalidades e tão cega que chega ao ponto de ter perante si factos ilícitos, de índole criminal, mas aos quais não pode dar relevância por terem sido obtidos de forma não permitida.

Se, por um lado, esta situação defende os cidadãos de poderem ser alvo de escutas telefónicas não autorizadas por um juíz, por outro lado, temos que outros cidadãos cometem ilícitos criminais sem que nada lhes possa acontecer, pois as escutas telefónicas em que são apanhados a corromper este e aquele de nada valem.

E agora só falta mesmo o Estado ter de pagar indemnizações àqueles que praticaram crimes por terem sido apanhados de modo indevido...

Despedido

Carlos Azenha foi despedido do cargo de treinador do V. Setúbal, à 4.ª jornada.

Ora, este era o grande treinador que B. Carvalho tanto quis trazer para o Benfica, depois de despedir Jorge Jesus.

Para além da pesada derrota eleitoral, aquele já soma outras duas. A 1.ª é o facto de o Benfica, sob o comando de Jorge Jesus, estar a mostrar bom futebol, estar a marcar muitos e bons golos e, o mais importante, estar a ganhar. A 2.ª derrota é precisamente o facto de Azenha não ter sequer aquecido o banco, o que demonstra bem que ainda tem muita sopa para comer e que, afinal, ainda lhe faltará muito para ter capacidade para treinar o Glorioso (se é que algum dia vai ter).

Filial do foculporto de Belém 0-4 Benfica

O Benfica marcou muito cedo mas, estranhamente, durante o resto da primeira parte pareceu acomodar-se àquela escassa vantagem, permitindo que o Belém acalentasse esperanças de chegar ao empate.
O intervalo fez bem à equipa, que entrou claramente à procura do segundo golo, o qual apareceu novamente muito cedo. A partir daí o Belém percebeu que já não havia nada a fazer, Jesus fez descansar alguns jogadores e só deu mesmo Benfica.


Quim: impediu que o Belém se colocasse em vantagem muito cedo e, mais tarde, o golo do empate. Exibição segura.

Ruben Amorim: cedo percebeu que José Pedro não estava muito disponível para ajudar a defender e aproveitou esse facto para subir pelo seu flanco, causando muitos desequilíbrios na defesa do Belém. É pena que agora que começa a ganhar algumas rotinas de lateral direito tenha que ceder o seu lugar a Maxi.

César Peixoto: confesso que fiquei surpreendido quando vi o seu nome no onze inicial. Julgo que teve uma exibição bastante apagada; mal a defender e péssimo no apoio ao ataque. Apesar de por vezes cometer alguns erros defensivos, Shaffer faz esta posição incomparavelmente melhor.

Luisão: mais uma exibição autoritária e sem mácula.

David Luiz: não teve as suas habituais desconcentrações e fechou muito bem os buracos que César Peixoto ia abrindo na esquerda. Aquelas faltas na linha lateral "à Ricardo Rocha" é que são incompreensíveis...

Javi García: deu muita luta no meio-campo e foi lá à frente marcar o seu golinho de cabeça.

Ramires: continua a ser positivamente cansativo vê-lo jogar. Parece que está em todo o lado ao mesmo tempo e tudo o que faz sai quase sempre bem. Sem se dar por ele, já tem três golos no campeonato. É claramente um fora de série.

Aimar: entrou em campo um pouco apático, mas a partir dos trinta minutos decidiu abrir o livro. Tem realmente pormenores individuais que só por si já justificam o preço do bilhete, mas é nas jogadas mais simples que se vê a sua enorme importância na equipa. Houve um momento especialmente delicioso na segunda parte: a bola vem pelo ar e Aimar está ladeado por dois adversários mais altos e mais fortes; depois, de uma forma quase impossível ele consegue parar a bola no peito e sair a jogar entre os dois.

Di Maria: as duas entradas assassinas que sofreu nos primeiros minutos e que passaram sem acção disciplinar condicionaram e muito o jogo do argentino. É perfeitamente natural que um jogador fique receoso de levar ainda mais porrada e de não saírem cartões do bolso do árbitro. Jesus percebeu isso e mandou-o várias vezes para o lado direito do ataque.

Saviola: a jogada do golo é magistral mas não é nada habitual em Saviola. Ele é fundamentalmente um jogador de equipa e provou-o no resto do jogo com inúmeras desmarcações, tabelas e passes. Serviu Cardozo para o segundo golo.

Cardozo: este é o tipo de avançado que as grandes equipas gostam de ter. Quando joga bem marca dois ou três golos; quando joga horrivelmente mal, como ontem, mesmo assim marca um.

Keirrison: tem melhorado de jogo para jogo. Não foi um corpo estranho na equipa e entendeu-se razoavelmente bem com os seus companheiros da frente. Teve um lance em que poderia ter rematado mas preferiu passar para o lado, o que demonstra que ainda não está 100% confiante. Esteve na jogada do quarto golo.

Fábio Coentrão: mais um jogo em que salta do banco, dá um abanão no jogo e ainda acaba com uma assistência. Por tudo o que tem feito, julgo que já merecia um golo no campeonato. A jogar assim, é natural que os principais clubes europeus o comecem a ter debaixo de olho.

Maxi: o regresso do guerreiro. Bem-vindo ao campeonato, Maxi!

A factura de Salvador

domingo, 13 de Setembro de 2009

Isto não falha: mais um jogo da filial corrupta de Braga e mais uma vitória com lances duvidosos. Aliás, esses lances de duvidosos nada têm, mais nítidos não poderiam ser.
Hoje, já perto do final do jogo, saiu do apito do inenarrável Xistra um penálti salvador para a equipa de Salvador.

É óbvio que para a semana a factura dos últimos quatro jogos vai ser paga. E com juros...

Um Belém cada vez mais azul

sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

Vou esperar para ver se o Belém também vai impedir o "acesso à Bancada Poente do Estádio a portadores de símbolos alusivos ao clube adversário" quando esse adversário for o clube corrupto.
Tenho sérias dúvidas sobre a legalidade desta democrática medida tomada pela direcção dos pastéis e vou tentar esmiuçar o assunto.

Quanto ao Benfica, por mim era simples: em Dezembro o Felipe Bastos e o Adu passavam para outras equipas.

Hipócrita

Hoje, o treinador do clube da fruta decidiu atacar indirectamente o Benfica, ao afirmar que deseja saber o que o delegado da Liga ontem suspenso terá omitido no relatório do jogo Benfica-Nacional da época passada.

Com isto, exerce-se pressão pública sobre a comissão disciplinar, no sentido de esta instaurar castigos pelos tais factos omitidos.

Era de esperar que, num tempo em que jogamos bem e mostramos "fibra", começassem estas pressões. Mas isto não constitui espanto nenhum.

O que salta à vista é a hipocrisia deste homem. É treinador do clube da fruta e dos chocolatinhos, do clube onde actua o jogador mais violento do campeonato, do clube que amedronta quem se vira contra ele, do clube cujo presidente recebe árbitros em casa na véspera de jogos, etc... Que lata...

Isto não é uma situação que me espante...mas que irrita, irrita.

Duda, o afortunado

quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

Ontem, à hora em que jogava a equipa do Queiroz (ou Queirós), um amigo mandou-me um sms a dizer que o Duda era muito fraquinho.

Eu respondi-lhe que nem sequer estava a ver o jogo e que a sorte do Duda era não haver nenhum defesa esquerdo brasileiro minimamente decente para naturalizar.

Já cá faltava

quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

Eu já estava a estranhar que foculporto e zbordin não se juntassem uma vez mais, como sempre, para atacar o Benfica em relação à questão do patrocínio da Sagres.
Pois bem, isso aconteceu ontem num Seminário de Marketing Desportivo em Lisboa.

"É preocupante quando o principal patrocinador da liga (Sagres) está associado a um clube que está também em competição (Benfica). A Liga de Clubes deve intervir nesta questão e estar no mercado à procura de uma marca que seja confortável para todos, ou impor que o patrocinador da Liga não fosse também o de outro clube", disse Henrique Pais, um indivíduo ligado ao foculporto.

Olhe, senhor
Henrique Pais, sabe o que é que não é bom? É um presidente de um clube receber árbitros em casa na véspera de jogos e oferecer prostitutas e dinheiro em troca de arbitragens favoráveis. Isso é que não é mesmo nada bom. Aliás, se me permite acrescentar, julgo até que é mau.

Sondagem nº 8

terça-feira, 8 de Setembro de 2009

É um facto que as recentes exibições do Benfica têm vindo a entusiasmar bastante e a maior parte dos benfiquistas acredita que esta época poderá vir a ser um grande sucesso.

Mas qual será a arma que mais vai desequilibrar?

Betty


"Sabe, o meu verdadeiro sonho era ser uma dançarina de cancan chamada Betty. Mas olhe que ser presidente do zbordin também é giro. Só é pena não dar para usar aquelas saias muito bonitas e as meias de liga. Diga lá se esta foto não ficava muito mais sexy, hum? Quer dizer, olhe que se calhar... Espere aqui um bocadinho que eu volto já."

Bola de trapos

segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

Depois de há uma semana termos sido presenteados com Jorge Jesus no papel de Terminator, hoje temos Maxi Pereira a segurar um gelado Super Maxi.

Será que a parvoíce não tem limites? O que virá a seguir?

O Júlio César com um uniforme militar romano e uma coroa de louros na cabeça?
Uma montagem a preto e branco da cara do Sidnei no corpo do Sidney Poitier?
O Ramires a abrir uma lata de atum?
O Fábio a comer "Pezinhos de porco de coentrada"?
O Saviola a copular com uma coelhinha?

Bolas, espero não lhes ter dado ideias...

Gota de água

domingo, 6 de Setembro de 2009

O senhor Agostinho Oliveira proferiu hoje a frase do ano: "Estamos a construir o futuro".

Vou repetir: "Estamos a construir o futuro".

Se isto não fosse gravíssimo quase dava vontade de rir.
Mas será que esta gente não tem um pingo de vergonha na cara? E além de não terem vergonha ainda gozam com os portugueses? Futuro, mas qual futuro? O de uma convocatória de um brasileiro que daqui a três meses faz 32 anos? É este o futuro que querem para a selecção portuguesa?

Esta hedionda equipa técnica é a prova de que a desfaçatez, a incompetência, a irresponsabilidade e o conluio andam normalmente de mãos dadas.

Tenham dignidade e demitam-se, por amor de Deus!

Começar em beleza

Começou mais uma época de futsal e o Benfica recomeçou a fazer o que sabe melhor: vencer.

Parabéns aos jogadores e equipa técnica por mais uma Supertaça conquistada!

Argentina vs Brasil

Quero felicitar o "nosso" Luisão pelo belo golo de cabeça que marcou e agradecer a todos os santinhos pelo Andújar não ser, também ele, "nosso".

De olho em Javi

sábado, 5 de Setembro de 2009

Fiquei muito contente ao ler as palavras do seleccionador espanhol sobre Javi García. Está realmente a ter um grande arranque de época e as suas exibições merecem ser acompanhadas com regularidade por Del Bosque e, eventualmente, até poderão justificar uma chamada à selecção...

À selecção espanhola, evidentemente. A portuguesa já tem um trinco brasileiro, não precisamos de espanhóis para nada.

"Este vai ser o meu ano"

sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

Já somos dois a pensar assim, Di Maria.

Aguenta e não chora

"Eles estão necessitados de um verdadeiro ponta-de-lança. Por isso, foram ao Brasil comprar um. Não fazemos isso na Dinamarca, nem no resto da Escandinávia, comparando com o que acontece nos países do sul da Europa. Mas por mim está tudo bem."
Jon Dahl Tomasson, 3 de Setembro de 2009

Esta segue directamente para o Queiroz (ou é Queirós?) e para o Madaíl (ou, segundo Scolari, Merdaíl). Junto vai um tubinho de vaselina, para não doer tanto.

Benfica 3-1 Celtic

quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

Se este jogo tivesse sido a sério, no Celtic Park, e se o árbitro fosse um escocês católico, ainda assim dificilmente conseguiria ser tão tendencioso como o foi o senhor Silviu Petresco. Em Portugal ainda consigo perceber as arbitragens: os homens do apito fazem aquilo para que foram subornados. No caso de ontem, não há justificação para tamanha dualidade de critérios.
Quanto ao jogo, destaque negativo para mais duas lesões na lateral direita (espero que não sejam graves) e positivo para a maneira como os jogadores passaram a encarar estes jogos e ainda para a forma como toda a equipa festejou o golo do miúdo Ruben Pinto.


Júlio César: do pouco trabalho que teve, fez duas ou três defesas dignas desse nome. Julgo que não tem culpa no lance do golo, saiu da baliza e até conseguiu defender o remate do adversário. O problema é que a bola foi pingar direitinha para outro jogador livre de marcação em plena pequena área.

Luís Filipe: não sou um grande fã do Luís, mas reconheço que o rapaz tem um azar do caraças. Saiu lesionado logo aos 20'.

Shaffer: primeira parte fraca, depois do intervalo corrigiu o seu posicionamento em campo e esteve melhor.

Roderick: mais lúcido do que Sidnei, apesar de aqui e ali cometer alguns erros próprios da idade. A partir dos 55' subiu no terreno para ocupar o lugar de Javi e saiu-se bastante bem. Roderick tem um potencial fantástico!

Sidnei: não compreendo porque entrou em campo tão intranquilo. Foi melhorando aos poucos mas mesmo assim não fez um bom jogo.

Javi: não esteve tão exuberante como é habitual, pois tal não foi necessário. Mas depois de ter visto um companheiro ser brindado com uma falta dura e o árbitro mandar seguir (como habitual), Javi resolveu ser um pouco mais exuberante com um escocês, o que lhe valeu um amarelo. Jesus não arriscou e tirou-o do jogo. E fez muito bem, porque com este árbitro já se estava a adivinhar o desfecho da história.

Ruben Pinto: gostei bastante da exibição deste miúdo. Ajudou a defender e a atacar, revelou bons pormenores técnicos e até marcou um golo. Quando foi substituído era bem visível a felicidade que lhe ia no rosto.

César Peixoto: confesso que fiquei surpreendido com os atributos técnicos do César, não sabia que aquele pé esquerdo era tão bom. Foi alternando com Di Maria entre a posição 10 e o lado esquerdo do meio-campo e esteve bem em ambas.

Di Maria: não havia Aimar, não havia Coentrão, nem havia Saviola. Di Maria, envergando a braçadeira de capitão, jogou por todos eles e encheu o campo. Se por um lado estava a ser um prazer vê-lo jogar, por outro estava com receio que ele se lesionasse e a partir dos 60' eu já só pedia ao Jesus que o tirasse.

Keirrison: marcou um golo madrugador, numa recarga a um remate de Nélson Oliveira, e pensei que ia arrancar para uma grande exibição. Puro engano, a partir desse 2' Keirrison pouco mais fez. Vê-se que tem muita técnica mas as jogadas não querem sair. Ainda tem muito trabalho pela frente. Muito, mesmo...

Nélson Oliveira: protagonizou uma excelente jogada individual logo a abrir o jogo mas infelizmente o remate embateu no poste, sobrando depois para Keirrison inaugurar o marcador. Mostrou alguns pormenores engraçados mas ainda está muito verde para estas andanças.

Ruben Amorim: entrou para o lugar do desafortunado Luís Filipe e fez um jogo razoável. Como um azar nunca vem só, lesionou-se em cima do minuto 90. Aliás, não se lesionou, foi lesionado: num lance absolutamente inofensivo, enquanto protegia a bola junto da linha de fundo, um escocês deu-lhe uma cacetada por trás. É por este tipo de coisas que sou avesso a jogos amigáveis contra equipas britânicas. Nunca sabem quando tirar o pé.

David Luiz: quando o vi substituir o amarelado Javi pensei que Jesus o ia testar a trinco. Enganei-me, o David foi para central. A defesa melhorou bastante com a sua entrada em campo.

Saviola: entrou para espevitar o ataque e conseguiu-o. Marcou um golo numa recarga a um remate de fora da área de Di Maria.

Diogo Figueiras: apenas 8 minutos em campo, não deu para ver muito.

Tiago Ramos: entrou nos descontos para o lugar do lesionado Amorim. O jogo acabou pouco depois.

Tolerância zero

quarta-feira, 2 de Setembro de 2009

Julgo que o Balboa não foi lá muito bem aconselhado na entrevista que deu ao jornal "I". O objectivo era claro, mas correu mal. O feitiço virou-se assim contra o feiticeiro.

Felizmente para o Balboa que no clube que ele acusa de não lhe pagar o salário ninguém é espancado nem ameaçado quando abre a boca, mas o Benfica deverá ser totalmente intransigente com quem põe em causa o bom nome da instituição.

Cuidado...

Soube agora que o Benfica, daqui a poucas horas, vai ter que jogar num relvado sintético. É uma péssima notícia, já que este tipo de piso é óptimo para lesões.

Portanto, não quero saber quantos golos vão marcar ou sofrer, quero é que ninguém se aleije. E também espero que, para a próxima, o Benfica exija relva natural.

Resultado da Sondagem nº 7

Em resposta à pergunta "Cardozo deve continuar a ser a primeira opção para marcar os penáltis?", os leitores do Céu Encarnado responderam:

- Sim 50%

- Dar-lhe só mais uma hipótese 40%

- Não 10%


É bom ver que os benfiquistas, tal como Jorge Jesus, mantiveram a confiança no Cardozo. Mas o que interessa realmente é que ele voltou aos golos e não tenho dúvidas de que vai ser o melhor marcador da Liga.

Benfica 8-1 filial corrupta de Setúbal

terça-feira, 1 de Setembro de 2009

Ah, bons tempos... - deve ter pensado Eusébio da Silva Ferreira enquanto assistia ao jogo de ontem.

E foi de facto uma exibição como eu não via há muitos anos. Os únicos momentos em que os jogadores adversários puderam respirar um pouco foram talvez os primeiros quinze minutos da segunda parte, nos quais o Benfica, qual gladiador num circo romano à espera do polegar para cima ou para baixo do público, parecia estar a decidir se acabava o massacre ou se deixava a estropiada vítima sair dali com vida. Infelizmente para a filial de Setúbal o público mostrou o polegar para baixo...


Quim: não deve ter estado com atenção nas aulas de História e esqueceu-se que no circo romano, ao contrário dos circos dos nossos dias, não havia palhaços mas sim combates e muito sangue. Decidiu ter piada no local errado e sofreu mais um golo ridículo, a somar aos vários da sua longa carreira.

Ruben Amorim: fez a sua melhor exibição a lateral direito. Defendeu o pouco que havia para defender e apoiou muito bem as manobras ofensivas da equipa.

Shaffer: muito pouco trabalho lá atrás permitiu-lhe subir bastantes vezes no terreno. Infelizmente, desta vez os seus cruzamentos não causaram grande perigo.

Luisão: quer fosse por terra ou por ar, nada passou por ele. Jogo sem falhas e ainda marcou um golo.

David Luiz: tal como os seus parceiros da defesa, não teve muito trabalho e o pouco que teve para limpar, fê-lo bem. Destaco o corte/passe em profundidade espectacular que fez no meio-campo adversário que possibilitou mais um golo para o Benfica. Não me canso de afirmar que o David é o meu jogador preferido mas alguém tem que lhe meter na cabeça que uma coisa é um central subir com bola para causar desequilíbrios, outra bem diferente é subir com bola e querer fintar tudo e todos. Com equipas mais experientes pode correr mal.

Javi García: noite relativamente calma para o guarda-costas do meio-campo do Benfica. Ainda assim mostrou a habitual garra em todos os lances que disputou e, depois das ameaças contra os vitós, marcou finalmente um merecido golo de cabeça. Ainda assistiu (involuntariamente?) Cardozo para o sexto do Benfica.

Ramires: Corre, recupera a bola, passa, corre, desmarca-se, aparece perto da área para ser mais uma opção de finalização, corre para o meio-campo, recupera mais uma bola e começa tudo de novo. Quantas vezes fez Ramires isto ontem? Sinceramente não sei, perdi-lhe a conta. Quase fico eu próprio cansado com tanta correria do Ramires mas, ironicamente, não me canso de o ver jogar. Na minha opinião foi o melhor em campo.

Di Maria: o defesa direito do Setúbal deve ter passado a noite em claro, com medo que o Di Maria saísse do armário ou debaixo da cama, tal a avalanche de arrancadas e cruzamentos que o argentino fez nas suas barbas. Duas dessas deram golo.

Aimar: Não precisa de grandes fintas nem de correrias para liderar a equipa. Faz tudo de uma forma tão simples que até parece fácil. Mas não é. Duas assistências, um belíssimo golo e uma ovação de pé quando foi substituído. Em suma, uma noite perfeita. Era tão bom que Aimar tivesse 20 anos...

Saviola: se me dissessem que o Benfica tinha marcado oito golos mas que o Saviola tinha ficado em branco e nem sequer uma assistência lhe tinha saído dos pés eu não acreditava. Mas aconteceu. E o pequeno argentino fez por merecer o contrário, pelo muito que correu e tabelou com os colegas. Na segunda parte teve uma grande jogada individual que merecia golo mas o guarda-redes fez bem a mancha. Contudo, se tivesse passado a bola era golo certo e a jogada aparecia nos resumos televisivos. Assim só quem foi ao estádio é que viu.

Cardozo: regresso aos penáltis à Cardozo (com um estoiro), uma assistência para Ramires, um golo de cabeça e outro com o pé. Ninguém lhe pode pedir mais.

César Peixoto: entrou para defesa esquerdo mas não era seguramente um bom jogo para testar as suas capacidades defensivas. Desmarcou muito bem Fábio Coentrão no lance do oitavo golo.

Fábio Coentrão: com 5-0 no marcador era perfeitamente natural que os jogadores abrandassem um pouco o ritmo. Jorge Jesus percebeu isso e decidiu colocar Fábio Coentrão em campo. O jovem extremo respondeu como nos tem habituado, velocidade, raça e bom futebol que culminaram num grande cruzamento para a cabeça de Nuno Gomes. Três jogos, três assistências. Isto promete!

Nuno Gomes: cinco minutos depois de ter entrado já estava a marcar para fechar a goleada. Um golo típico do Nuno, vai correndo em direcção à baliza mas no último instante dá um passo atrás e cabeceia livre de marcação.


P.S. Gostava de relembrar a entrada brutal de que foi alvo o David Luiz. No estádio não deu para perceber bem, mas já vi imagens e é claro que só não partiram a perna do David por mera sorte. Será preciso que o futebol português tenha um caso como o do vídeo que coloquei dois posts abaixo para os árbitros acordarem para este tipo de lances?

De Milão a Barcelona, passando por Setúbal

Quando assumiu o comando da filial do foculporto de Setúbal, Carlos Azenha disse que queria que a sua nova equipa defendesse como o Milan e atacasse como o Barça.

Em virtude da goleada hoje sofrida e atendendo a que na Supertaça Europeia o Barcelona precisou de ir a prolongamento para marcar um golo ao Shakhtar e que, no Sábado passado, o Milan levou quatro golos sem resposta do Inter, é justo dizer que apesar de a defesa da filial do foculporto de Setúbal valer metade da do Milan, o ataque é superior ao do Barça.

Isto é confuso? É, mas não tanto como a cabeça do Azenha.

Related Posts with Thumbnails
 
Céu Encarnado - by Templates para novo blogger
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.